Miranda Bike Parts continua como “main sponsor” da renovada Miranda-Mortágua na nova época

139

A Miranda Bike Parts, uma das líderes mundiais no fabrico de componentes de transmissão para bicicletas, vai continuar em 2019 como principal patrocinador da equipa Continental UCI Miranda-Mortágua. Uma aposta da marca portuguesa no ciclismo de estrada, que pelo terceiro ano consecutivo veste de vermelho a equipa profissional de Mortágua.

“A Miranda Bike Parts mantém a sua presença no ciclismo e a sua equipa, mas com a nova temporada traz produtos renovados e mais leves”, revelou João Filipe Miranda, CMO da Miranda Bike Parts, a poucos dias do arranque da época.

Em 2019 os 10 corredores do novo plantel vão utilizar nas suas bicicletas de competição e treino os pedaleiros de estrada Sistema Modular XMOD®, com cranks em carbono, eixo em titânio e sistema de pratos XMOD® Dual:1.

“A aposta na Miranda-Mortágua contribui também para a continuidade da marca Miranda Bike Parts no ciclismo profissional e para a promoção e melhoria dos seus produtos”, acrescentou João Filipe Miranda, explicando que esta é também “uma forma de testar os nossos produtos, em contexto real, promovendo a modalidade e colaborando na própria evolução dos corredores”.

Uma confiança que o Velo Clube do Centro foi conquistando à marca, sendo este um ano especial, porque celebra o 20.º aniversário e mantém a equipa no escalão máximo do ciclismo português, ao ter subido ao estatuto de Equipa Continental UCI em 2018. Esta temporada a Miranda-Mortágua continua a aposta no ciclismo de formação e amanhã, dia 2, pelas 17 horas, realiza a sua Gala de Apresentação, no Centro de Animação Cultural de Mortágua. O novo plantel será conhecido na cerimónia, aberta ao público e com a presença de todos os corredores, que vestem as mesmas cores com imagem renovada.

Artur Chaves e Tiago Leal são os dois ciclistas que continuam. Com a nova época “regressam a casa” Gaspar Gonçalves, Daniel Freitas e Hugo Sancho. Aos cinco juntam-se os reforços Pedro Pinto, Ivo Pinheiro e os espanhóis Cristian Mota, Sérgio Vega e Jesús Nanclares, que perfazem os 10 bravos que vão disputar a temporada de 2019.

Pedro Silva, diretor desportivo da Miranda-Mortágua e presidente do Velo Clube do Centro, com um plantel 90% renovado afirma que esta vai ser “uma equipa muito mais experiente, ambiciosa e versátil, a quem vamos exigir mais ao nível de resultados”.

Já estão “bem definidos os objetivos para 2019, que passam por estar bem no início do ano, especialmente na Volta ao Algarve e na Volta ao Alentejo e a meio do ano nos Campeonatos Nacionais, bem como nas provas internacionais que temos agendadas, principalmente em Espanha”.

O grande objetivo do ano, como não podia deixar de ser, “será a Volta a Portugal, onde vamos estar presentes com ciclistas para ganhar etapas e outros para chegar aos 10 ou 15 primeiros da classificação geral”. Desta forma o dirigente antevê “uma época recheada de sucesso e bons resultados”.

Gaspar Gonçalves, 23 anos, natural de Lamego, disse que este é “um regresso feliz, porque fiz aqui a minha formação, corri cá cinco anos e voltar a estar com o Chefe Silva é especial. Para esta época temos uma equipa forte, renovada e com juventude com muita qualidade”. Já Daniel Freitas, 27 anos, de Vila Nova de Gaia, admite que volta “com boas ambições.

O Chefe Silva confiou em mim para discutir as melhores corridas na frente, sendo também meu objetivo contribuir para a evolução de alguns ciclistas jovens, para quem fico ao dispor”.

Hugo Sancho, mortaguense, aos 36 anos retorna a casa com visível satisfação e muito focado no trabalho: “Foi aqui que comecei, em 2003. Estou no meio de pessoas que conheço, há muitas expectativas e responsabilidades, mas é daí que também vem a motivação para abraçar a nova época”. Ao ser o mais experiente vai ser também um mentor para os colegas.

Deixar uma resposta