A Vittoria, produtora maioritariamente de pneus e rodas, fez-nos chegar um par de pneus Vittoria Mezcal Graphene 2.0 tamanho 29×2.25, a sua mais recente inovação no que toca a compostos de pneus, sendo que nos propusemos a usar e abusar deles por forma a dar o nosso veredito.

O Vittoria Mezcal Graphene 2.0 é um pneu polivalente e versátil para quando pedalamos em terrenos de várias consistências, desde a areia à pedra, esteja ele seco ou molhado, embora para terrenos enlameados a Vittoria apresente melhores opções.

Com um rasto de baixo perfil e uma faixa central de rolagem com tacos bastante próximos, oferece uma excelente capacidade de rolagem. No entanto, quanto começamos a seguir o rasto em direção às arestas, verificamos um aumento do espaçamento entre os tacos, que fornecem uma ótima aderência e segurança ao manobrar em zonas mais técnicas e/ou íngremes, à medida que inclinamos a bicicleta.

Ao chegarmos efetivamente à aresta, podemos ver os tacos de maior dimensão, também eles espaçados, que seguram efetivamente a bicicleta ao curvar. Estes espaçamentos e tamanhos diferentes de tacos, combinados com a direccionalidade dos mesmos, fornecem além de segurança e aderência ao curvar, tração ao transpor raízes ou pedras.

Este pneu, ao usar a tecnologia Graphene 2.0, promete uma melhor aderência em piso molhado, ao mesmo tempo que aumenta a sua durabilidade e resistência a furos. Juntando a isto, o seu composto 4C (uma utilização de 4 tipos diferentes de borracha), a Vittoria garante ter achado a “formula mágica” para optimizar a aderência, o suporte nas paredes e a durabilidade, tudo num só pneu, com um peso que não é demasiado para o tamanho, colocando a balança nos cerca de 680g no tamanho 29×2.25.

Depois de cerca de 1500km de utilização, sem problemas a nível de furos, em que colocámos os Vittoria Mezcal Graphene 2.0 à prova nas mais variadas situações e tipos de terrenos, incluindo 400km com mais 15kg de carga em alforges, em pedra áspera ou seixos, areia ou raízes, seco ou molhado, singletrack ou estradão, estes portaram-se realmente à altura, perdendo apenas um pouco de performance em zonas de alguma lama, onde falta alguma tração e por vezes acumulam lama entre os tacos.

Os Vittoria Mezcal Graphene 2.0 ainda apresentam muito rasto e continuam prontos para mais umas boas centenas ou mesmo milhar de quilómetros, mesmo depois de um encontro com uma pedra solta e relativamente grande, que enrolou sobre a roda e trilhou o pneu, causando-lhe dois rasgos.

Nada que um remendo no seu interior e líquido selante não tenha resolvido e tenha ficado apto para uso recreativo mesmo em tubeless.

Mais informações sobre os pneus Vittoria Mezcal Graphene 2.0 em www.vittoria.com.

Review
Durabilidade
10
Peso
8
Aderência
9
Tração
8
Preço
8
Artigo anteriorRescaldo da VI Maratona D’Arrota a Presunto – Mação
Próximo artigoTiago Ferreira e Hans Becking vencem etapa Rainha e aumentam a liderança do Brasil Ride 2019
Ricardo Machado
Amante da adrenalina e do ciclismo em geral, mas em particular das disciplinas de XCO e XCM. Por vezes dedico-me ao ciclismo de estrada, mas sinto-me realmente em casa quando pedalo em singletracks no meio da natureza. Troquei o vício do tabaco pelo vício do BTT e esse, nunca mais o larguei. Mais tarde iniciei-me também no ciclismo de estrada/ciclo-turismo. Membro de um grupo de ciclo-turismo local, as bicicletas são uma das minhas maiores paixões e gosto de estar sempre a par das novidades, bem como de participar em eventos ciclísticos por esse país a fora.

Deixar uma resposta