Simon Yates (Mitchelton-Scott) venceu o 55º Tirreno-Adriático, após registar o 18.º melhor tempo no contrarrelógio da oitava e última etapa, ganha pelo italiano Filippo Ganna (INEOS).

Simon Yates vence a 55ª edição do Tirreno-Adriático
© LaPresse

Ganna, de 24 anos, foi o único homem a baixar dos 11 minutos no traçado de 10,1 quilómetros em San Benedetto del Tronto, com um tempo de 10.42 minutos, 18 segundos a menos do que o belga Victor Campenaerts (NTT), bicampeão europeu de ‘crono’ em 2017 e 2018, que foi segundo.

O bicampeão mundial em título, o australiano Rohan Dennis (INEOS), não foi além do terceiro lugar, a 26 segundos, com outro ciclista da INEOS, Geraint Thomas, no quarto lugar, com um tempo que acabou por não ser suficiente para ‘roubar’ a liderança a Yates.

Simon Yates vence a 55ª edição do Tirreno-Adriático
© Getty Images

Thomas acabou no segundo lugar da geral final, a 17 segundos do vencedor, que consegue um dos triunfos mais importantes de uma carreira cujo ponto alto foi a vitória na Volta a Espanha de 2018.

A fechar o pódio esteve o polaco Rafal Majka (BORA-hansgrohe), a 29 segundos de Yates, com o português Rui Costa (UAE Emirates) a terminar no 28.º lugar final, após ser 33.º no ‘crono’, e Rúben Guerreiro no 39.º posto, ao fazer o 70.º melhor tempo de hoje.

O Tirreno-Adriático, prova do escalão WorldTour, serve todos os anos para antecipar a Volta a Itália em bicicleta, que em 2020 arranca em 03 de outubro.