O ciclista esloveno Primoz Roglic (Jumbo-Visma) conquistou hoje o Tirreno-Adriatico, com apenas um segundo de vantagem sobre o britânico Adam Yates (Mitchelton-Scott), destronado no contrarrelógio individual, que foi vencido pelo belga Victor Campanaerts (Lotto Soudal).

Campanaerts, atual bicampeão europeu do ‘crono’, cumpriu os 10 quilómetros da sétima e última etapa, em San Benedetto del Tronto, em 11.23 minutos, menos três segundos do que o italiano Alberto Bettiol (Education First), segundo colocado, e quatro do que o holandês Jos Van Emden (Jumbo-Visma), terceiro.

Na luta pela geral individual, Yates liderou desde a vitória na segunda etapa, para perder no último dia a ‘amarela’ para Roglic, que era segundo, mas recuperou tempo suficiente para vencer a prova, por apenas um segundo, enquanto o dinamarquês Jakob Fuglsang (Astana) fechou o pódio, a 30 segundos.

O esloveno, de 29 anos, segue imparável em 2019, somando a segunda vitória final em duas provas, depois de triunfar na estreia na temporada, na Volta aos Emirados Árabes Unidos.

O português Nelson Oliveira (Movistar) esteve hoje longe de resultados que tem conseguido na especialidade e foi 12.º, a 14 segundos do vencedor, acabando em 30.º da geral, enquanto Rui Costa (UAE Emirates) foi 31.º e conseguiu acabar a prova no 10.º lugar da geral final.

Para Rui Costa, este foi o terceiro ‘top 10’ da temporada, depois de abrir 2019 com um 10.º lugar na Volta à Comunidade Valenciana, ao qual se seguiu o quarto posto da geral individual na Volta a Omã, antes de um 17.º na Volta aos Emirados e de abandonar a ‘clássica’ Strade Bianchi.

José Gonçalves (Katusha-Alpecin) foi 32.º no dia e fechou em 26.º na geral, um lugar abaixo do colega de equipa Ruben Guerreiro, 25.º na geral final, depois do 98.º posto no ‘crono’ de hoje.

Deixar uma resposta