Miranda-Mortágua estreia-se na Vuelta a Madrid este fim-de-semana

26

De 4 a 6 de maio, a equipa Continental UCI Miranda-Mortágua vai estar em Espanha, para disputar a XXXI Vuelta Ciclista Internacional a la Comunidad de Madrid. Uma prova importante de calendário internacional, classificada com a categoria 2.1 e que conta este ano com três etapas que prometem muita animação e espetáculo. A competição do fim-de-semana representa também a estreia além-fronteiras da equipa nesta temporada, que vem trazer responsabilidade acrescida pelo nível que é reconhecido a esta corrida com história.

Pedro Silva, diretor desportivo da Miranda-Mortágua, destaca “a confiança da organização depositada na equipa, ao convidar para participar na prova, que vai ser a única fora do país na época que corre. Somos uma equipa UCI recém-formada e queremos mostrar, durante os três dias, que somos merecedores dessa confiança”. Para o dirigente, “a nossa ambição é marcar presença e sair de cabeça erguida. Estamos conscientes das dificuldades e do nível deste desafio, mas também estamos motivados e preparados para dar o melhor”.

Após um período de descanso, são sete os ciclistas que voltam à estrada para a 31.ª edição da Vuelta a Madrid. Destacam-se dois regressos: António Barbio, que esteve ausente nas últimas provas e que será o chefe de fila em Madrid e João Rocha, que faz a primeira prova nesta temporada após várias lesões que o impediram de estar ao melhor nível. Juntam-se Nuno Meireles, Francisco Campos, Jorge Magalhães, Gonçalo Carvalho e Hugo Nunes.

Sexta-feira, 4 de maio, marca o primeiro dia de competição, com partida e chegada em Manzanares El Real, num total de 175,4 kms. Será uma etapa marcada pela alta montanha, sempre em terreno acidentado, onde as principais dificuldades estão marcadas para a parte final, a 25 kms da meta no Puerto de Cotos, com uma montanha de segunda categoria para que os trepadores e favoritos para a Classificação Geral se destaquem.

No sábado, dia 5, a segunda etapa será entre Alcobendas e San Sebastián de los Reyes, numa distância de 134,5 km. Trata-se de um traçado de rompe pernas com três prémios de montanha, onde existe a incerteza de uma chegada em pelotão compacto a San Sebastián de los Reyes.

Domingo, último dia de prova, é corrido por completo na capital espanhola. O circuito do Paseo de la Castellana terá partida e chegada em frente ao estádio Santiago Bernabéu, onde os ciclistas terão de percorrer 19 voltas num circuito de 5,26 kms, perfazendo no total 99,9 kms.

A XXXI Vuelta Ciclista Internacional a la Comunidad de Madrid vai ter um pelotão de muita qualidade, composto por 17 equipas, com destaque para a presença de uma equipa do escalão World Tour, a Movistar Team, e quatro do escalão Pro Continental.

A grande novidade para este ano será a transmissão em direto das duas últimas horas de prova na Telemadrid, através do canal LaOtra, disponível no seguinte link: https://goo.gl/8Y3ApG.

Website oficial da XXXI Vuelta Ciclista Internacional a la Comunidad de Madrid: vueltamadrid.com.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome