Depois da união com a Bike Clube de Portugal, a Oliveirense apresentou hoje a nova modalidade de ciclismo, com um plantel com uma média de idades de 20 anos que vai competir no escalão continental e sub-23.

Sob o nome UD Oliveirense/InOutBuild, a antiga equipa da Liberty Seguros-Carglass fixou-se no concelho de Oliveira de Azeméis, onde está sediado o Bike Clube de Portugal, que assume a gestão desportiva e financeira da modalidade.

“Vai ser uma mais valia, quer para o concelho, quer para a Oliveirense, quer para o ciclismo nacional. Espero que esta equipa cresça, ano após ano, e que dentro de dois ou três anos consigamos atingir o patamar de excelência com jovens”, afirmou o diretor desportivo, Manuel Correia.

Para este ano, confessa que o orçamento desceu para metade, fixando-se agora em cerca de 80 mil euros, devido à perda dos dois sponsors anteriores, sendo que um deles comunicou a decisão no final de novembro, numa altura em que, confessou o diretor desportivo, ficaram “à deriva”.

“Tivemos de deixar partir aqueles que gostaríamos que ficassem cá mais um ano, mas o mais importante foi conseguirmos sobreviver. Foi uma pequena loucura que eu e o Luís Pinheiro [diretor desportivo] cometemos, começar e construir uma equipa do zero. Não era isso que queríamos trazer para cá, mas agora contamos com o apoio da Oliveirense”, admitiu.

A curto prazo, Manuel Correia explicou que não se pode esperar muito devido à juventude da equipa nas grandes provas nacionais, mas admite que o corredor Venceslau Fernandes, filho da antiga glória do ciclismo, “poderá estar na discussão da juventude na Volta a Portugal”.

Para o presidente do emblema oliveirense, Horácio Bastos, esta adição “traz mais ecletismo a um clube já eclético”, confessando ainda a vontade de juntar mais uma modalidade no clube num futuro próximo e indica estar a aproveitar as características do concelho.

“Esta integração do Bike Clube de Portugal é o aproveitamento das potencialidades que temos em Oliveira de Azeméis. Resolvemos apadrinhar essa união com o clube da terra. O que esperamos agora é uma evolução contínua. Temos perfeita noção que vamos correr com atletas jovens, temos um orçamento bastante reduzido, comparado com outras equipas e vamos evoluir passo a passo”, vincou.

O responsável sublinhou ser necessária “margem de tempo” para a equipa crescer, visto que é uma “equipa de formação” e que o próprio clube não pode “ambicionar ou colocar metas inatingíveis”, mas sim “colocar os pés no chão e avaliar a evolução dos ciclistas”.

“Dentro de três ou quatro anos será uma modalidade com visibilidade na Oliveirense e no panorama nacional. No hóquei em patins, lutamos para ser campeões, no basquetebol, também, no futebol – apesar do défice das infraestruturas –, ambicionamos chegar à I Liga, porque é que no ciclismo haveria de ser diferente”, questionou.

O plantel da Oliveirense é constituído por Fábio Costa (19 anos), Filipe Rocha (21), Hélder Costa (18), João Carneiro (19), José Sousa (19), Pedro Miguel Lopes (19), Pedro Lopes (19), Rafael Lourenço (21) e Venceslau Fernandes (22), com o objetivo de juntar “um ciclista espanhol de 25 anos” nos próximos tempos.

Deixar uma resposta