Em 2016 terminaram em quarto. Em 2017, terminaram em quinto. Em 2018, subiram ao pódio, terminando em terceiro. Em 2019, subiram um lugar, ganhando a medalha de prata. A questão para o Absa Cape Epic de 2020 é se a Cannondale Factory Racing consegue juntar os nomes Manuel Fumic e Henrique Avancini à lista de vencedores da corrida.

Cannondale Factory Racing Cape Epic 2020
Photo by Nick Muzik/Cape Epic

Fazer isso não será fácil, eles vão enfrentar terrenos formidáveis e o percurso, que tem sido a questão mais desafiadora para os equipamentos, nos últimos anos.

Sendo dois dos atletas mais simpáticos e carismáticos do desporto, Fumic e Avancini são os favoritos do público a sua tentativa de vencer A-Corrida-Que-Mede-Tudo, que até agora lhes tem escapado, será seguida de perto por fãs do BTT de todo o mundo, mas a atenção especial virá da África do Sul, Alemanha e, claro, do país natal de Avancini, o Brasil.

“A cena do BTT está a crescer rapidamente no Brasil”, afirmou o quatro vezes campeão brasileiro de cross-country. “Não sei explicar todas as razões pelas quais os brasileiros têm tanta paixão pelo BTT. Tudo o que posso dizer é que temos um amor especial por este desporto”.

Cannondale Factory Racing Cape Epic 2020
Photo by Nick Muzik/Cape Epic

A prova da adoração do Brasil ao BTT é o facto de existirem 25 equipas brasileiras registadas para disputar o Cape Epic 2020; além do comprometimento físico destes atletas, o Brasil contribuiu com a segunda maior quantidade de visualizações para a transmissão ao vivo de 2019.

Voltando a sua atenção para como encaixar uma corrida por etapas de classe mundial num movimentado ano olímpico, o ex-campeão mundial de maratona acrescentou: “Do meu ponto de vista, esta corrida é uma das maiores para qualquer ciclista de montanha. Acredito que qualquer ciclista que inicie o Absa Cape Epic precisa de a terminar.”

Os pensamentos de Avancini sobre o assunto são ecoados pelo seu parceiro, Fumic. “Nos últimos anos, a África do Sul em geral, e Stellenbosch, em particular, tornaram-se a base da equipa para a nossa preparação”, disse o alemão. “Estamos felizes por voltar a participar num dos maiores eventos do calendário de BTT, o Absa Cape Epic é o derradeiro teste”.

Cannondale Factory Racing Cape Epic 2020
Photo by Nick Muzik/Cape Epic

“Evoluímos ao longo dos anos, conquistámos muitas vitórias em etapas e dois pódios na geral”, destacou Fumic. “Estamos de volta este ano para finalmente obter a camisa amarela e a vitória na geral”.

O campo de treino da Cannondale Factory Racing ocorreu mais uma vez na África do Sul em dezembro de 2019. Toda a equipa, composta por atletas, gestor de equipas, gestor de desempenho, técnico treinador, treinador de ginásio, mecânico, fisioterapeuta e chef, passou 15 dias a familiarizar-se com o terreno e as temperaturas do Cabo Ocidental, bem como o teste de equipamentos em percursos semelhantes aos percorridos em março. Num dos seus poucos dias de folga, Avancini e Fumic juntaram-se a Oliver Munnik e Craig Kolesky para filmar o Land Rover Technical Terrain das Etapas 1 e 2, que será lançado nas próximas semanas.

Para Fumic, o parceiro sénior da equipa, 2020 será a sua tentativa final para o título. “2020 é a minha última temporada, depois de 20 anos de corridas”, esclareceu. “Ganhei muitas corridas na minha carreira, mas ainda me falta a grande vitória no Cape Epic. Estou muito motivado e realmente ansioso pelo último desafio com Henrique e a minha Cannondale Team”.

Cannondale Factory Racing Cape Epic 2020
Photo by Nick Muzik/Cape Epic

Para isso, a Cannondale Factory Racing precisará superar os vencedores de 2019, a SCOTT-SRAM MTB-Racing, dada a natureza feroz das suas batalhas em Hermanus, Elgin e Stellenbosch em março de 2019, os fãs do BTT aguardam ansiosamente a desforra entre a dupla Nino Schurter / Lars Forster e Fumic / Avancini. “Claro, Nino e Lars serão uma das equipas a ter em conta em 2020 e vou gostar de ter esse tipo de desforra no meu último ano”, disse Fumic. “Tivemos algumas boas lutas com eles e foi uma corrida à justa em 2019”.

“Estou empolgado por ver Nino e Lars de volta na corrida e ter a hipótese de correr contra eles enquanto pedalo com Fumic pela última vez”, concordou Avancini. “É importante estar na mesma página que o seu parceiro, caso contrário, pode estar mais motivado com algo do que o seu parceiro”, aconselhou Avancini. “Isto está relacionado com tudo na corrida. Manter o equilíbrio emocional e as ambições no mesmo nível é a chave para o sucesso”.

“O Absa Cape Epic é imprevisível; é selvagem e difícil de vencer”, refletiu Fumic.

Os fãs podem ter certeza de que a equipa Cannondale Factory Racing garantirá mais uma vez que a corrida de 2020 seja emocionante.

Oito etapas emocionantes de ação de BTT aguardam e, como Fumic disse: “Tudo pode acontecer e isso torna o Cape Epic tão único. Mal podemos esperar… “

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome