Todas as edições da Mediterranean Epic serão lembradas, mas a de 2020 serviu para dar o grande salto internacional e está posicionar-se como uma referência absoluta nas provas por etapas de BTT na Europa.

David Valero e Ramona Forchini vencem a Mediterranean Epic 2020Corredores e corredoras do mais alto nível do mundo elogiaram a prova, as suas rotas, marcações, cobertura da mídia e nível de participação.

A última etapa foi o final perfeito para 4 dias de Mountain Bike intenso para descobrir tudo o que o paraíso do ciclismo na província de Castellón pode oferecer.

Todas as características deste território condensaram-se em uma única etapa, subidas duras, inúmeros trilhos de todos os tipos, paisagens espetaculares, terreno e contrastes variados.

Hoje foi o dia em que os riders tiveram que enfrentar o grande colosso da Mediterranean Epic, o Alt del Colomer, mais conhecido como Bartolo. A maior e mais alta elevação da corrida para chegar a um dos pontos com as melhores paisagens de toda a região.

Como tem sido habitual, a corrida começou no ritmo do cross-country, com todos os ciclistas dispostos a fazer tudo neste último dia.

David Valero (MMR Factory Racing) teve a difícil tarefa de manter a margem de meio minuto que o separava do francês Victor Koretzky (KMC Orbea). No entanto, o primeiro ataque seletivo ficou a cargo de Iván Díaz (Cultbikes), que forçou o ritmo na primeira descida técnica do dia e abriu uma vantagem que seria capaz de manter por muitos quilómetros, coroando o Bartolo sozinho.

Atrás dele, Valero marcou um ritmo seletivo que pegou Koretzky e que somente o holandês Milan Vader (KMC Orbea) conseguiu acompanhar. Chegou ao quilometro 26, depois de coroar o Alt del Colomer, o terreno já era totalmente favorável até a linha de chegada.

Valero e Vader conseguiram apanhar Diaz pouco antes de entrar nos 15 km finais, onde o trio principal colaborou incansavelmente para consolidar a sua vantagem.

Nos metros finais, Iván Díaz foi o mais rápido e, como fez em 2019, conseguiu vencer a etapa final da Mediterranean Epic 2020. Vader, segundo na meta, recebeu outro prémio importante, ascendendo ao 3º lugar da geral.

David Rosa (Team Massi) terminou no 34º lugar da geral. Joaquim Bica terminou no 3º lugar da geral em Master 50.

Na prova feminina, surgiu a batalha entre a suíça Ramona Forchini (jb Brunex Felt) e a canadense Emily Batty (Trek Factory Racing).

Ambas chegaram juntas ao início da grande subida do dia, mas longe de colaborar, Forchini atacou nas áreas mais difíceis até conseguir distância para Batty.

A partir daí começou uma luta solo entre as duas, Forchini conseguiu manter a vantagem no até ao final e venceu a geral da Mediterranean Epic 2020 em grande estilo, vencendo também a última etapa. Com isso, como Valero, ela também repete o triunfo que obteve em 2019.

Emily Batty foi a 2ª na etapa e na geral, enquanto a suíça Jacqueline Schnnebeli (jb Brunex Felt) entrou em 3º na etapa e, graças a ela, também subiu para o 3º lugar da geral feminina.

Maaris Meier (Miranda Factory Team) terminou no 17º lugar da geral e Celina Carpinteiro (BTT Loulé/Elvis) foi 24ª da geral. Em master Andreia Freitas terminou no 2º lugar da geral.

Desde o seu nascimento, a Mediterranean Epic estabeleceu um padrão muito alto após cada edição, mas sempre encontrou uma maneira de melhorar a cada temporada.

Esta corrida de 2020 foi a confirmação de uma prova única no MTB, com um conjunto de atletas de classe mundial e corridas vibrantes e emocionantes em todas as etapas.

Além disso, graças ao seu compromisso com uma transmissão ao vivo, a Mediterranean Epic conseguiu aproximar os fãs da ação, que permite ver como os melhores ciclistass do mundo competem numa corrida por etapas.