A Câmara Municipal da Guarda anunciou que vai criar uma ciclovia, com nove quilómetros de extensão, para que os habitantes da cidade também possam deslocar-se para o trabalho de bicicleta.

A infraestrutura que fará a ligação entre a zona do Instituto Politécnico e o bairro de São Domingos, com passagem pelo Parque Industrial e pela zona da Guarda-Gare, tem um percurso contíguo à Via de Cintura Externa da Guarda (VICEG).

O projeto “Ciclovia da Cidade da Guarda: O incremento dos modos suaves no acesso ao Parque Industrial da Guarda”, da autoria do arquiteto João Marujo e da arquiteta paisagista Carla Madeira, foi apresentado na quarta-feira durante a conferência “Mobilidade Urbana Sustentável”, promovida pela Câmara Municipal da Guarda.

“Não é um percurso com o objetivo desportivo ou de percurso de manutenção, é um percurso com o objetivo e com o conceito de proporcionar mobilidade sustentável à cidade. E, nesse aspeto, o Parque Industrial é um ponto onde nós queremos que as pessoas cheguem, para além do automóvel, também de bicicleta e a pé”, explicou João Marujo.

Segundo o arquiteto, o conceito do projeto “assenta muito” na base de “possibilitar a mobilidade das pessoas ao seu local de trabalho, para não terem que usar o carro, e passarem a usar a bicicleta ou andarem a pé”.

Na apresentação pública do plano, o responsável disse que o percurso, em cerca de três quartos, andará contiguamente à VICEG, pois uma das preocupações foi encontrar alternativas sem atravessar aquela via rodoviária.

Por outro lado, através do traçado da VICEG é possível aceder aos vários pontos da cidade “de uma forma mais suave”.

O arquiteto referiu tratar-se de um trajeto estruturante que está planeado para fazer ramificações aos vários bairros, que depois proporcionarão ligações a percursos distintos.

João Marujo indicou que na conceção do projeto foram encontradas soluções que, em alguns pontos da cidade, como acontece no acesso à zona do Hospital Sousa Martins, permitem “minimizar o impacto das inclinações e resolvê-las de uma forma mais confortável”.

Também a ponte pedonal de atravessamento da VICEG, na Guarda-Gare, que atualmente tem acesso por uma escadaria, será aumentada com uma rampa que dará continuidade ao tabuleiro existente e que permitirá um acesso direto a partir da rotunda que existe no início da Avenida de São Miguel.

A estimativa de custos “deve andar um pouco acima de um milhão de euros”, segundo o arquiteto.

O presidente da Câmara Municipal da Guarda, Álvaro Amaro (PSD), anunciou que a obra vai ser candidatada a fundos comunitários.

“É algo muito reformista, creio que muito importante numa cidade que não é propriamente muito plana, como todos nós bem sabemos, mas importa atuarmos no sentido de facilitar essa mobilidade e fazê-lo do modo sustentável”, disse.

Deixar uma resposta