O Feirense tem um plano traçado para lutar por vitórias em etapas na Volta a Portugal, a começar já no domingo, no prólogo de Fafe, onde Rafael Reis vai apontar à primeira amarela, assumiu Joaquim Andrade.

Volta a Portugal | Feirense 'espreita' primeira amarela com Rafael Reis“Acima de tudo, vamos com o objetivo traçado de, a cada dia, tentar lutar pela vitória em qualquer uma das etapas. Sabemos que, atendendo à nossa constituição da equipa, na classificação geral as coisas são um pouco mais cVolta a Portugalomplicadas. Então, teremos essa aposta diária, depois o lugar na geral, se acontecer, será um acréscimo”, explicou à Lusa o diretor desportivo da formação de Santa Maria da Feira.

A declaração de intenções ‘levantou o véu’ sobre a pretensão do Feirense para o prólogo com que se inicia a edição especial da Volta a Portugal, com Joaquim Andrade a não esconder que Rafael Reis, que venceu as etapas de abertura das edições de 2016 e 2018 da prova, nas quais foi o primeiro líder, gostaria de sair dos sete quilómetros do exercício individual de amarelo.

“É uma das nossas aspirações. Sabemos que vamos ter concorrentes à altura, que o percurso é exigente, teremos também alguns ciclistas das equipas estrangeiras que, já pude constatar, são também especialistas naquele tipo de prova, mas, claro, temos essa ambição e ansiamos também por isso. Esperamos que ele possa estar no seu melhor. Se vai vencer ou não vencer, não sei, mas de certeza que vai ser um dos protagonistas do dia”, defendeu.

O antigo ciclista e recordista de participações na Volta a Portugal (21) disse não ter receio que a longa paragem motivada pela covid-19 afete os seus ciclistas, que mantiveram um ritmo normal de treino, e até prognosticou que os meses sem competir possam significar que os corredores cheguem “com mais alguma frescura à Volta a Portugal do que chegavam nos outros anos”.

“Agora, é claro, os grandes pontos chave da Volta a Portugal são nos primeiros dias e sabemos que irão ser dias bastante competitivos e que temos contra nós também o facto de a minha equipa ser muito jovem, e, às vezes, a experiência conta muito para abordar este tipo de corridas. Agora, aqueles que têm mais experiencia tentarão também salvaguardar e tentar passar a mensagem aos mais jovens de como ultrapassar certos momentos”, estimou.

Para Joaquim Andrade, o percurso da edição especial da prova rainha do calendário nacional, que vai ligar Fafe a Lisboa, num prólogo e oito etapas, é “interessante”, embora os dois pontos montanhosos, ou seja, a Senhora da Graça (ponto final da segunda etapa) e a Torre (da quarta) pudessem estar mais distribuídos.

“Se tivéssemos um mais no início e outro mais no final, talvez equilibrasse um pouco mais, mas, de qualquer forma, isto vai abrir outras perspetivas à corrida e só depois dela se desenrolar… no segundo dia [chegada a Santa Luzia], pode já haver algumas diferenças, mas na Senhora da Graça já se começarão a cavar algumas diferenças e, acima de tudo, na Serra da Estrela, muita gente vai ficar afastada da decisão”, previu, notando que o percurso não é muito propício a que haja reviravoltas na geral a partir da Torre, porque as etapas são mais acessíveis e fáceis de controlar.

O diretor desportivo do Feirense considera que o traçado tem ainda algumas surpresas, nomeadamente na penúltima etapa, com chegada a Setúbal, onde vê uma tirada “algo armadilhada” que pode fazer algumas diferenças, mas, ainda assim, alertou para “o risco de a corrida ficar muito desenhada na Serra da Estrela e tornarem-se muito monótonas aquelas etapas” até ao contrarrelógio de Lisboa, onde a Volta termina em 05 de outubro.

Relativamente ao novo coronavírus, Andrade explicou que os seus ciclistas já tiveram tempo para interiorizar os procedimentos do protocolo sanitário da corrida, mas reconheceu que “há sempre aquele receio de que possa acontecer alguma coisa”. “Deixa-os sempre um pouco intranquilos, seja quem for, desde os mais jovens aos mais experientes”, completou.

Feirense

Equipa: Rafael Reis (Por), Oscar Pelegrí (Esp), Jesus Carretero (Esp), Fábio Oliveira (Por), Gonçalo Amado (Por) Bernardo Saavreda (Por) e António Ferreira (Por).

Diretor Desportivo: Joaquim Andrade.