Outubro é sinónimo de 2 Grandes Voltas 3 Monumentos 6 Clássicas e muitas horas em direto com o melhor ciclismo no Eurosport.

Photo by Justin Setterfield/Getty Images

Em Outubro, os grandes eventos desportivos mundiais continuam a proporcionar muitas horas de ação e entretenimento aos seus fãs e vai poder ver tudo no Eurosport.

O ciclismo prepara-se para um mês único, como não há memória, com a Volta a Itália e a Volta a Espanha coladas durante seis dias de competição. Pelo meio realizam-se outras provas icónicas como os ‘Monumentos’ Liège-Bastogne-Liège, Paris – Roubaix ou a Volta a Flandres e ainda clássicas de prestígio e tradição como De Brabantse Pijl – La Flèche Brabançonne, Amstel Gold Race, Paris – Tours, Gent – Wevelgem, Scheldprijs e Driedaagse Brugge – De Panne.

Conheça melhor aquilo que vai poder ver em outubro no Eurosport:

Ciclismo no EurosportVolta a Itália – 3 a 25 outubro

Depois de muita incerteza e de um longo período de adiamento, devido à pandemia de COVID-19, o Giro d’Italia está de volta à estrada! A partir do dia 3 de outubro os fãs de ciclismo vão poder acompanhar em direto e em exclusivo no Eurosport esta ‘Grande Volta’.

A 103.ª edição do Giro arranca na região da Sicília, palco de quatro etapas, entre as quais se inclui uma passagem pelo Monte Etna, que chega a uma altitude de 1.775 metros. O pelotão segue para a ‘bota’, mas este ano o percurso é centrado na costa adriática rumo a norte. As etapas de montanha vão exigir muito das pernas dos ciclistas e estão previstas subidas a Madonna di Campiglio, Stelvio, Izoard e Sestriere. O Giro termina com um contrarrelógio individual na Piazza Duomo, na cidade de Milão. Quem será o melhor no final dos 3497.9 quilómetros do Giro 2020? Quem vestirá a camisola rosa? Quem irá erguer o troféu infinito em Milão e entrar para a história? Acompanhe o Giro d’Italia em exclusivo no Eurosport e descubra a resposta.

Richard Carapaz não vai estar presente nesta edição do Giro para defender a ‘Maglia Rosa’, depois da vitória em 2019. O equatoriano preferiu centrar as suas energias na Vuelta 2020. Os italianos Alfredo Binda e Fausto Coppi e o belga Eddy Merckx conquistaram o Giro cinco vezes cada, ao longo das suas carreiras, e são os ciclistas mais destacados na lista de vencedores.

Ciclismo no EurosportVolta a Espanha – 20 de outubro a 8 de novembro

Se ver uma ‘Grande Volta’ é bom, então duas é ainda melhor! Em outubro, os fãs de ciclismo vivem um momento fantástico no qual vão poder acompanhar o final da Volta a Itália e o início da Volta a Espanha em simultâneo. Durante seis dias, as corridas vão mesmo colar uma à outra. As tardes no Eurosport são para ficar agarrado ao ecrã e acompanhar o melhor ciclismo do mundo.

De 20 de outubro a 8 de novembro discute-se a 75.ª edição de La Vuelta. Ao todo, o pelotão terá de cumprir 2.892,2 quilómetros, divididos em 18 etapas, num percurso desenhado pelo norte e centro de Espanha. O arranque acontece em Irún já com alguma montanha pelo caminho nos 171 quilómetros de etapa. A Volta a Espanha 2020 conta ainda com quatro etapas em linha, seis de média montanha, um contrarrelógio individual e ainda cinco de alta montanha. Estão previstas subidas ao Tourmalet, em França, ao duríssimo Angliru e La Covatilla. A prova termina, como é habitual, em Madrid.

Esta será a oportunidade de ver Chris Froome, vencedor da Vuelta em 2011 e 2017, com as cores da INEOS pela última vez, já que o britânico muda de equipa na próxima temporada. Mas o britânico não é a única atração nesta corrida que atrai anualmente grandes estrelas do pelotão internacional.

A camisola vermelha – símbolo do líder da Vuelta – cumpre 11 anos de existência e é já uma instituição! No ano passado, o esloveno Primoz Roglic vestiu a ‘camiseta roja’ no pódio em Madrid. Foi a primeira Grande Volta da carreira do homem da Jumbo-Visma.

Ciclismo no EurosportLiège – Bastogne – Liège – 4 de outubro – Bélgica – Eurosport 2 – 18:00H (em diferido)

A Liège-Bastogne-Liège é um dos cinco ‘Monumentos’ do ciclismo, juntamente com a Milano-Sanremo, a Volta à Flandres, a Paris-Roubaix e a Volta à Lombardia. A primeira edição realizada em 1892 faz desta prova, também conhecida por ‘La Doyenne’ (A Velha Senhora), uma das mais antigas da história da modalidade.

A Liège-Bastogne-Liège é considerada uma das provas de um dia mais difíceis do mundo devido à sua distância e percurso exigente e por vezes marcado por condições atmosféricas adversas. Ao contrário de outras clássicas, a dificuldade para o pelotão não advém dos setores de empedrado, mas sim das subidas.

Ao longo da história de 105 edições, contam-se vencedores como Léon Houa, Moreno Argentin, Alejandro Valverde ou Eddy Merckx, o supercampeão belga que detém um recorde de cinco vitórias, obtidas em 1969, 1971, 1972, 1973 e 1975. No ano passado, o dinamarquês Jakob Fuglsang (Astana) venceu esta histórica corrida.

De Brabantse Pijl / La Flèche Brabançonne – 7 de outubro – Bélgica – Eurosport 2 – 15:30H

A De Brabantse Pijl ou La Flèche Brabançonne faz parte do calendário das Clássicas da Flandres. A corrida tem um perfil essencialmente plano, ideal para sprinters, e inclui vários setores de empedrado que em muito complicam a vida dos ciclistas. Criada em 1961, esta clássica cumpre este ano a sua 60.ª edição. Os ciclistas belgas têm dominado a competição com um total de 38 vitórias, das quais se destacam as quatro de Edwig Van Hooydonk, obtidas em 1987, 1991, 1993 e 1995, um feito inigualável até aos dias de hoje. Na época passada, o holandês Mathieu van der Poel (Corendon-Circus) garantiu a sua primeira vitória da carreira na Flèche Brabançonne.

Amstel Gold Race – 10 de outubro – Bélgica – Eurosport 2 – 17:30H (em diferido)

A Amstle Gold Race faz parte do calendário das “Clássicas das Ardenas” tendo-se estreado em 1966. Nasceu a partir da vontade dos organizadores terem uma prova que competisse com os ‘Monumentos’ de Itália e da Flandres. A referência Amstel Gold, que dá o nome à prova, está relacionada com a marca de cerveja que patrocina o evento e não com o rio Amstel.

Este ano, a Amstel Gold Race parte novamente da Praça Vrijthof, em Maastricht. A meta estará situada no Vilt-Valkenburg. O pelotão enfrenta mais de 250 quilómetros recheados de muitos pontos críticos, empedrado e setores particularmente exigentes e muitas subidas. O Cauberg, uma rampa de 1200m com um grau de inclinação máximo de 12%, em Valkenburg aan de Geul, é um dos principais pontos de atração.

Entre os vencedores recentes da Amstel Gold Race encontram-se Mathieu van der Poel (2019), Michael Valgren Andersen (2018), Philippe Gilbert (2017, 2014, 2011 e 2010), Enrico Gasparotto (2016) ou Michal Kwiatkowski (2015). Com cinco triunfos, o holandês Jan Raas detém o recorde de vitórias na Amstel Gold Race (1977, 1978, 1979, 1980 e 1982).

Gent – Wevelgem – 11 de outubro – Bélgica – Eurosport 1 – 19:00H (em diferido)

A Gent – Wevelgenm, clássica belga criada em 1934, liga as localidades de Ypres e Wevelgenm num percurso de 280 quilómetros. Os principais obstáculos na prova são o vento, a chuva e os ‘muros’, dos quais se destacam o Baneberg, o Monteberg e o Kemmelberg, este último uma subida de 1km, em empedrado, com uma inclinação máxima de 23%. No entanto, o perfil da corrida adequa-se mais aos sprinters, que têm dominado o palmarés da prova. Em 81 edições, a vitória foi para ciclistas da casa em 49 vezes. Robert Van Eenaeme, Rik Voan Looy, Eddy Merckx, Mario Cipollini, Peter Sagan e Tom Boonen com três triunfos cada são alguns dos campeões mais destacados da Gent – Wevelgen. No ano passado, Alexander Kristoff (UAE – Team Emirates) venceu a corrida ao “sprint” batendo o alemão Jonh Degenkolb e o belga Oliver Naesen.

Paris – Tours – 11 de outubro – França – Eurosport 2 – 15:30H (em diferido)

Acompanhe a Paris – Tours uma emocionante prova de ciclismo de estrada de apenas um dia disputada entre estas duas cidades de França, num percurso com uma extensão de cerca de 250 km. A primeira edição da Paris – Tours realizou-se em 1896, o que a converte numa das clássicas mais antigas do mundo. Ao longo de 113 edições foram muitos os ciclistas a inscreverem o seu nome na história da competição. Em 2019, a vitória foi garantida pelo belga Jelle Wallays (Lotto Soudal).

Scheldeprijs / Grand Prix de l’Escaut – 14 de outubro – Bélgica – Eurosport 1 – 15:30

A Scheldeprijs ou Grand Prix de l’Escaut é uma emocionante clássica que se inclui no calendário das Clássicas da Flandres. Criada em 1907 é uma das competições mais antigas de sempre na região, sendo conhecida no passado por Scheldeprijs Schoten e Scheldeprjis Vlaanderen. A corrida tem cerca de 200 quilómetros e um perfil essencialmente plano, muito ao gosto dos sprinters. Pelo caminho, o pelotão enfrenta vários setores de empedrado que variam entre os 1300 e os 3000 metros.

O alemão Marcel Kittel já conquistou cinco edições da Scheldeprijs (2012, 2013 e 2014, 2016 e 2017). Um recorde na competição! No ano passado, a vitória coube ao holandês Fabio Jakobsen (Deceunink-Quick-Step), repetindo o êxito de 2018. No historial de vencedores da Scheldeprijs figuram os nomes como Eddy Merckx, Rik Van Looy, Mario Cipollini, Freddy Maertens, Roger De Vlaeminck, Erik Zabel ou Tom Boonen.

Volta a Flandres – 18 de outubro – Bélgica – Emissão simultânea com Giro e Vuelta – Resumo em diferido no Eurosport 2 – 20:30H

A Volta à Flandres é uma das mais importantes clássicas realizadas na Bélgica e um dos cinco ‘Monumentos’ da temporada. Criado em 1913, o Tour de Flandres ou De Ronde van Vlaanderen, cumpriu a sua 100.ª edição em 2016. É organizada ininterruptamente desde 1919. Este ano cumpre-se a 104.ª edição do famoso ‘Monumento’.

A Volta a Flandres é famosa pelos seus ‘muros’, rampas acentuadas muitas delas em ‘pavê’ ou empedrado, que prometem criar muitas dificuldades aos ciclistas, algumas quedas, e muita emoção aos espetadores. O mais icónico é o Muro van Geraardsbergen, com a sua famosa igreja no alto. No ano passado, a vitória coube ao italiano Alberto Bettiol (EF Education First). Ainda assim, os belgas dominam a tabela de vitórias com um total de 69.

Três Dias de Bruges – De Panne – 21 de outubro – Bélgica – Eurosport 1 – 14:45H

Os Três Dias Bruges – De Panne, ou Driedaagse Brugge – De Panne, é uma prova belga de estrada de grande prestígio que em 2019 entrou, pela primeira vez, para o Circuito Mundial da UCI. O pelotão terá de pedalar cerca de 200 quilómetros entre Bruges e De Panne até chegar à meta. Ao longo da corrida, os ciclistas irão enfrentar muitos setores de empedrado e ventos fortes.

No palmarés desta clássica belga constam vencedores como Johan Museeuw, Michele Bartoli, Peter Van Petegem, Seán Kelly, Jelle Nijdam, Viatcheslav Ekimov. O belga Eric Vanderaerden é o recordista com cinco títulos: 1986, 1987, 1988, 1989 e 1993. No ano passado o triunfo coube ao holandês Dylan Groenewegen (Jumbo – Jisma).

Paris – Roubaix 25 de outubro – França – Eurosport 1 – 08:45H

A Paris-Roubaix é uma das mais antigas e emblemáticas clássicas da história, famosa pela sua dureza, devido ao grande número de setores de empedrado que os ciclistas enfrentam. Conhecida também como ‘Inferno do Norte’ é um dos cinco ‘Monumentos’ da temporada.

Criada em 1896, tinha inicialmente partida de Paris, estando a meta situada no Velódromo de Roubaix, nos arredores de Lille, cerca de 250 quilómetros depois. Desde 1977 o arranque acontece em Compiègne, 80 quilómetros a Norte de Paris. Para os amantes da modalidade, esta é a grande oportunidade para ver alguns dos melhores do mundo em estradas que geralmente estão fechadas ao trânsito nos restantes dias do ano. O pelotão chega a ter de superar 29 setores de empedrado, num total de 50 quilómetros. Trouée d’Arenberg, Mons-en-Pévèle, Carrefour de l’Arbre ou Quiévy – Saint-Python são alguns dos setores de empedrado mais famosos devido à sua extensão, estado do piso e grau de dificuldade.

No ano passado, o triunfo pertenceu ao belga Philippe Gilbert (Deceunink-Quick-Step), que depois de quase seis horas de prova, teve pernas para bater ao sprint o alemão Nils Politt num Velódromo de Roubaix completamente cheio. Foi a 22.ª clássica da carreira de Gilbert.

Ciclismo no EurosportO Eurosport orgulha-se de ser ‘A Casa do Ciclismo’ na Europa e o destino inevitável para todos os fãs da modalidade. O Eurosport garante uma cobertura sem rival de algumas das provas mais prestigiadas do calendário onde se incluem as três Grandes Voltas, os cinco Monumentos, mais de 35 corridas do World Tour da Union Cycliste International (UCI), e todos os Campeonatos do Mundo. São mais de 2.500 horas de ciclismo em direto repartidas ao longo de 200 dias de competição e mais de 100 eventos desportivos.