O espanhol Antonio Angulo (Efapel) venceu hoje ao ‘sprint’ a terceira de quatro etapas do 40.º Grande Prémio Abimota, reforçando a liderança da classificação geral à entrada para o último dia da prova.

Antonio Angulo vence terceira etapa do Grande Prémio Abimota e reforça liderança da geral
© João Fonseca Photographer

Antonio Angulo cumpriu os 185,3 quilómetros entre Almeida e Vouzela, em Viseu, em 4:40.34 horas, batendo sobre a meta Francisco Campos (W52-FC Porto), segundo, e o também ‘dragão’ César Fonte, que ficou no último lugar do pódio.

Ao cortar a meta, Angulo ergueu os braços e soltou uma gargalhada, explicando, depois, que o fez por esta ser “a primeira amarela” do ano, tendo um sabor especial vencer com ela vestida, depois de ter triunfado, em maio, na 11.ª edição do Memorial Bruno Neves.

O espanhol, que também lidera a classificação por pontos, tinha sido segundo na segunda etapa, atrás do vencedor de 2018, o compatriota Óscar Pelegrí (Vito-Feirense), o que lhe valeu a subida à liderança da classificação geral, conseguindo hoje um triunfo que também reforça o estatuto de líder.

Já Francisco Campos, voltou a não subir ao lugar mais alto do pódio, terminando em segundo, depois do terceiro lugar de sexta-feira, com César Fonte a destacar-se no segundo lugar da geral, a 10 segundos de Angulo.

Um trio de membros da W52-FC Porto) segue a 14 segundos, António Carvalho, terceiro, o líder da juventude Jorge Magalhães, quarto, e o espanhol Angel Sánchez Rebollido, quinto, com Pelegrí a 15.

A 16 segundos, segue um quarteto de ciclistas, dois da Euskadi, os espanhóis Mikel Alonso (sétimo) e Ibai Azurmendi (10.º), e dois da Efapel, Bruno Silva (oitavo) e o espanhol Marcos Jurado (nono).

Efapel e W52-FC Porto dominam a geral, com quatro ‘dragões’ no ‘top 10’ e três da Efapel, que chegou ao Abimota com apenas cinco ciclistas.

Numa tirada com duas contagens de montanha de terceira categoria, a contar para uma classificação agora liderada pelo espanhol Steven Calderon (Kuota – Construcciones Paulino), várias fugas animaram o dia.

Tiago Machado (Sporting-Tavira) ou Ángel Sánchez Rebollido integraram uma primeira tentativa, enquanto o próprio camisola amarela e Gonçalo Leaça (LA Alumínios) tentaram a menos de 40 quilómetros do fim, sem sucesso.

O ‘sprint’ acabou por ser decidido pela colocação dos candidatos à entrada para a reta final, numa curva à esquerda em que Angulo ‘ganhou’ a meta, enquanto o vencedor da Volta a Portugal de 2017 e 2018, o espanhol Raúl Alarcón (W52-FC Porto), atrasou-se e saiu do ‘top 10’ da geral.

No domingo, a quarta e última tirada liga Anadia a Águeda, em Aveiro, ao longo de 174,3 quilómetros, com duas contagens de montanha, uma de terceira e outra de segunda categoria, com a meta instalada na Avenida 25 de Abril.

Antonio Angulo vence terceira etapa do Grande Prémio Abimota e reforça liderança da geral
© João Fonseca Photographer

Declarações após a terceira etapa do 40.º Grande Prémio Abimota:

Antonio Angulo, Efapel (vencedor da etapa e líder da classificação geral): “Para mim, foi perfeita, consegui a vitória. Com a equipa vimos a chegada desta etapa, sabíamos que depois da curva à esquerda tínhamos uns 150 metros de reta. Entrei bem colocado e saí com força, conseguindo vencer.

Sim, dá-me muita confiança ganhar. Vamos ver amanhã [domingo, a última etapa] como estou, até porque foi uma pena na sexta-feira só ter conseguido ser segundo. Estou feliz porque este ano ainda não tinha vestido a camisola amarela, por isso vamos tentar no domingo.

No domingo, há uma subida na parte final que pode fazer romper, mas tenho boas sensações e tenho uma equipa que vai dar tudo. Vamos com tudo”.

Francisco Campos, W52-FC Porto (segundo na etapa): “Ambicionamos sempre o lugar mais alto do pódio, e mais uma vez falhámos. Não é o que desejávamos. Tem-nos faltado alguma confiança, os adversários não vinham assim tão fortes. Faltou ali uma colocação na frente para a curva, fazia toda a diferença. Devíamos ter estudado um bocadinho mais a chegada e talvez vencêssemos.

(Sobre a curva antes do final) A abordagem à curva, num espaço muito curto para a meta, ou se está muito forte ou já é muito difícil passar o adversário que sai na frente.

Estou a sentir-me bem e o meu objetivo principal é a Volta à França do Futuro, porque é o meu último ano de sub-23 e por isso a minha última oportunidade”.

Classificações do 40.º Grande Prémio Abimota, após a terceira etapa, uma ligação de 185,3 quilómetros entre Almeida e Vouzela:

Classificação da etapa:

1. Antonio Angulo, Esp (Efapel), 4:40.34 horas.
2. Francisco Campos, Por (W52-FC Porto), m.t.
3. César Fonte, Por (W52-FC Porto), m.t.
4. Óscar Pelegrí, Esp (Vito-Feirense), m.t.
5. João Benta, Por (Rádio Popular-Boavista), m.t.
6. Filipe Cardoso, Por (Vito-Feirense), m.t.
7. Bruno Silva, Por (Efapel), m.t.
8. Tiago Machado, Por (Sporting-Tavira), m.t.
9. António Barbio, Por (LA Alumínios), m.t.
10. Marcos Jurado, Esp (Efapel), m.t.

Classificação da geral individual:

1. Antonio Angulo, Esp (Efapel), 9:03.33 horas.
2. César Fonte, Por (W52-FC Porto), a 10 segundos.
3. António Carvalho, Por (W52-FC Porto), a 14.
4. Jorge Magalhães, Por (W52-FC Porto), m.t.
5. Angel Sánchez Rebollido, Esp (W52-FC Porto), m.t.
6. Óscar Pelegrí, Esp (Vito-Feirense), a 15.
7. Mikel Alonso, Esp (Euskadi), a 16.
8. Bruno Silva, Por (Efapel), m.t.
9. Marcos Jurado, Esp (Efapel), m.t.
10. Ibai Azurmendi, Esp (Euskadi), m.t.

Deixar uma resposta