A Team Ineos continuará a parceria com a Unior Bike Tools, mas com uma grande mudança visual, para 2020 a Team Ineos usará as ferramentas de cor vermelha da Unior.

Team Ineos usará ferramentas vermelhas da UniorAs ferramentas da Unior são fabricadas em vermelho para o mercado norte-americano e têm a mesma qualidade e função que as ferramentas originais, azuis, todas as ferramentas Unior são fabricadas na Europa.

A Team Ineos nomeou Jeff Crombie como um dos membros da equipa de mecânica e a seguir reproduzimos as suas palavras sobre as ferramentas e o seu trabalho em geral:

Team Ineos Will Use Red Unior Bike ToolsFale-nos de si e como chegou à Team Ineos?

Comecei a trabalhar numa equipa profissional há oito anos no Canadá. Era uma equipa pequena, mas acho que é assim que a maioria começa. Depois continuei a subir na hierarquia. Gosto de estar na Europa e finalmente tive essa oportunidade com a Ineos.

Como vê a importância dos mecânicos numa equipa como a Ineos?

É tão crítico como a preparação dos ciclistas. Se eles estão em boa forma e a bicicleta não funciona, o seu esforço será desperdiçado. Como em tudo no ciclismo, tudo se resume a uma equipa, por isso temos que trabalhar tão duro como os ciclistas treinam.

Vê a mecânica como os heróis desconhecidos do mundo do ciclismo?

Não, porque escolhemos fazer esse trabalho. Os heróis não escolheriam fazer isso. É mais como o baterista numa banda. Não é a coisa mais gloriosa do mundo, mas é necessária. Acho que quem trabalha nesta área do ciclismo, sabe bem onde se está a meter. Se não optam pela mecânica, provavelmente irão fazer outra coisa.

Como descreveria a sua experiência com as ferramentas Unior até agora?

Trabalhar com a Unior tem sido muito bom. Até o momento na minha carreira, eu podia usar o que eu achasse melhor, por isso é bom ter opções consistentes e de qualidade. Também gosto do fato de a Unior fornecer mais do que ferramentas de bicicleta. Eles fornecem soluções. Os problemas da bicicleta nem sempre são resolvidos com ferramentas. Ser capaz de olhar para o catálogo e ver outros pequenos detalhes que podem ser úteis é uma grande ajuda.

O Jeff também teve oportunidade de visitar a principal fábrica da Unior na Eslovénia. O que achou?

Foi fantástico. A logística e a complexidade são incríveis. Foi ótimo ver o que é realmente preciso para fazer estas coisas. Acho que não percebemos até ir lá e ver. Mesmo uma chave que parece e funciona de forma simples, é impressionante perceber o que é realmente necessário para fazer. Seja forjada, cortada ou maquinada a laser, a ferramenta deve corresponder às características mecânicas necessárias para o trabalho. Existe apenas uma empresa, no nosso setor, capaz de fazer tudo isto na mesma fabrica.

Na sua opinião, quais são os benefícios desta cooperação para a Unior? Logo a seguir ao ponto de vista óbvio da exposição?

Espero que o feedback ajude. Temos, por vezes entre mãos, algumas situações bastante únicas que nem sempre são fáceis de resolver, apenas, com ferramentas. Também temos que olhar para fora e isso também ajuda a Unior a entender as necessidades do mecânico.

Conte-nos sobre o relacionamento com os ciclistas da equipa; eles fazem muitos pedidos específicos ou apenas querem que as suas bicicletas estejam sempre em perfeitas condições?

Para mim, é mais uma questão psicológica. Eles têm confiança em nós. Assim que saem da bicicleta, eles vão comer e recuperar. Eles não estão a ver o que fazemos. É preciso ter muita confiança para enfrentar uma descida, numa corrida World Tour, tão rápido. Para mim, o mais importante é trabalhar de uma maneira que transmita confiança aos ciclistas, que eles saibam que estamos atentos. Eles precisam saber que a sua bicicleta está perfeita toda vez que forem para uma corrida, para que possam pensar em ganhar e não na bicicleta.