A terceira etapa do Critérium du Dauphiné, uma tirada quase totalmente plana entre Puy-en-Velay e Riom, terminou com uma chegada em pelotão e vitória ao sprint do irlandês Sam Bennett (Bora-Hansgrohe).

Sam Bennett ganha ao sprint terceira etapa do Critérium du Dauphiné
© A.S.O / Alex Broadway

O belga Dylan Teuns (Bahrein) chegou tranquilamente integrado no pelotão e conserva a camisola amarela por mais um dia, enquanto que o contingente português ficou reduzido a José Gonçalves (Katusha), depois da desistência de Ruben Guerreiro (Katusha) e Nélson Oliveira (Movistar Team).

Sam Bennett foi, na aproximação à meta, muito bem ‘lançado’ pelo seu colega neozelandês Shane Arshbold e depois fez o seu trabalho na perfeição, com sprint forte nos últimos 200 metros e terminando os 177 quilómetros do percurso em 4:15.25 horas.

Sam Bennett ganha ao sprint terceira etapa do Critérium du Dauphiné
© A.S.O / Alex Broadway

O belga Wout van Aert (Jumbo) foi segundo e o terceiro posto ficou para o italiano Davide Ballerini (Astana).

Sam Bennett ganha ao sprint terceira etapa do Critérium du Dauphiné
© A.S.O / Alex Broadway

Na geral do Critérium du Dauphiné, Teuns continua com a amarela segura por três segundos apenas para o francês Guillaume Martin (WGG) e 20 segundos para o cazaque Alexei Lutsenko (Astana) e o dinamarquês Jakob Fuglsang (Astana).

Critérium du Dauphiné
© A.S.O / Alex Broadway

O dia dos portugueses não foi feliz, com a desistência de Nélson Oliveira e Ruben Guerreiro, ciclista que até tentou a sua sorte nos quilómetros finais, para depois ser vítima de uma queda, já na entrada para Riom.

Quanto a José Gonçalves, entrou em 106.º, bem no meio do pelotão. Na classificação geral, é o 56.º, a 9.35 minutos de Teuns.

Deixar uma resposta