O Critérium du Dauphiné 2020 visita a cidade de Clermont-Ferrand pela primeira vez, no arranque da primeira etapa, no dia 31 de Maio. Sem prólogo e sem contra-relógio, o percurso de 2020 não é para roladores.

Critérium du Dauphiné 2020 todas as atenções viradas para os trepadores
© Région Auvergne-Rhône-Alpes – Guillaume Atger

A corrida está desenhada para ser decidida no fim de semana numa série de subidas alpinas, culminando com dois finais, em Megève. A Savoie Mont Blanc Tourisme confirmou a continuação da sua parceria com o Critérium du Dauphiné e patrocinará a camisola branca por mais três anos.

A vida é sobre inovação e novas aventuras, é assim que, em 2020, a tradicional corrida alpina do ciclismo de estrada, visitará pela primeira vez a capital do Maciço Central. No entanto, existe um ar de familiaridade com o desafio que aguarda o pelotão na etapa de abertura da 72ª edição do Critérium du Dauphiné, que será disputada numa rota para Lyon, quase idêntica à 14ª etapa do Tour de France.

Critérium du Dauphiné 2020 todas as atenções viradas para os trepadores
© ASO/Alex Broadway

No dia seguinte, o terreno montanhoso de Saint-Christo-en-Jarez e o seu circuito final devem garantir que apenas o velocista mais resistente prevalecerá. A terceira etapa para Saint-Vallier, incluindo uma extenuante extensão de mais de um quilómetro, com um gradiente médio de 12%, pode elimina-los inteiramente, pois favorece trepadores mais explosivos.

Critérium du Dauphiné 2020 todas as atenções viradas para os trepadores
© ASO/Alex Broadway

A tradição de chegadas ao sprint no Vale do Ródano será cumprida na etapa 4, com chegada a  Bourg-de-Péage. No entanto, o contrarrelógio de quarta-feira foi dispensado, permitindo aos vários concorrentes à vitória final uma maior possibilidade de opções táticas. Como resultado, e pela primeira vez desde 1947, os participantes do Dauphiné deste ano não correrão um único quilómetro contra o relógio.

Critérium du Dauphiné 2020 todas as atenções viradas para os trepadores
© ASO/Alex Broadway

Os trepadores puros terão a primeira oportunidade de avaliar a forma dos seus rivais quando a corrida chegar às montanhas, na 5ª etapa, culminando no que Gilles Maignan descreve como sendo a descida rock ‘n’ roll de Côte Maillet.

© ASO/Alex Broadway

No dia seguinte, o pelotão poderá familiarizar-se com uma secção da 17ª etapa do Tour deste ano, incluindo uma subida ao Col de la Madeleine. No entanto, o verdadeiro confronto nas montanhas está reservado para o fim de semana, com 4.700 metros de elevação acumulada somente na etapa de sábado, que inclui as subidas ao Col de la Croix Fry em Aravis, até a estação de ski de Bisanne, com chegada a altiport de Megève.

A última etapa será igualmente dura, levando um pelotão disperso ao longo da Costa de Domancy, no Col de Romme e no Col de la Colombière antes de embarcar na brutal Costa de Cordon. Um verdadeiro festival de altitude.

© ASO

Etapas do Critérium du Dauphiné 2020:

  • Domingo, 31 de maio – Etapa 1 – Clermont-Ferrand (63)> Lyon (69) – 197 km
  • Segunda-feira, 1 de junho – Etapa 2 – Saint-Germain-au-Mont-d’Or (69)> Saint-Christo-en-Jarez (42) – 181 km
  • Terça-feira, 2 de junho – Etapa 3 – Saint-Chamond (42)> Saint-Vallier (26) – 175,5 km
  • Quarta-feira, 3 de junho – Etapa 4 – Loriol-sur-Drôme (26)> Bourg-de-Péage (26) – 173 km
  • Quinta-feira, 4 de junho – Etapa 5 – Vienne (38)> Col ​​de Porte (38) – 132,5 km
  • Sexta-feira, 5 de junho – Etapa 6 – Corenc (38)> Saint-Martin-de-Belleville (73) – 156,5 km
  • Sábado, 6 de junho – Etapa 7 – Ugine (73)> Megève (74) – 156,5 km
  • Domingo, 7 de junho – Etapa 8 – Megève (74)> Megève (74) – 153 km