Atualmente, os ciclo computadores GPS já são algo que quase todo o ciclista usa, seja para efetuar os seus treinos, gravar os seus passeios/provas e partilhar com os amigos, gravar e posteriormente analisar os seus dados ou, pelo “simples” facto de poder carregar para ele um percurso e segui-lo, permitindo ao ciclista percorrer mais facilmente zonas que desconheça.

Hammerhead KarooAqui no BTT Lobo, tivemos a hipótese de testar o Karoo, o ciclo computador GPS da Hammerhead, empresa americana composta por uma equipa apaixonada e dedicada de criadores, engenheiros e construtores com uma paixão pelo desporto e em particular pelo ciclismo.

O Karoo, como tantos outros ciclo computadores GPS, permite fazer tudo isso, sendo que o seu principal foco é de facto o permitir seguir percursos, seja na estrada ou fora dela.

Hammerhead KarooO seu ecrã de 3.5 polegadas (com uma resolução de 480 x 640, uma densidade de pixéis de 229, anti-brilho e Corning Gorilla Glass) e consequente tamanho do aparelho, são o que salta de imediato à vista, sendo maior que a maioria dos seus concorrentes, mas permitindo que o seu intuito seja cumprido.

Hammerhead KarooCom o seu grande ecrã a cores, touchscreen, mapas mundiais grátis (formato OpenStreetMap) e aquilo que o torna único, que é ser programado com base Android, a sua utilização para navegação é excelente, fácil e fluída, permitindo sem qualquer problema percorrer o mapa sem a ocorrência de cortes, ou da necessidade de esperar que o mesmo carregue, e ainda assim contendo imensa informação como tipo de terreno, ruas de sentido único, nomes de ruas, etc. e, com a facilidade de com alguns toques, deixarmos de seguir o percurso que estamos a seguir e deixar o Karoo definir o percurso mais direto para um ponto no mapa à nossa escolha, ou voltar para casa, com extrema rapidez.

Hammerhead KarooAssim que ligamos o Karoo, ficamos a conhecer a capacidade de cores do aparelho, com a pequena animação que é apresentada antes de nos ser do menu principal. Aqui, é-nos apresentado um enorme ícone amarelo, que é utilizado para aceder ao menu que antecede a sua utilização em atividade, onde podemos escolher um dos muitos perfis que podem ser criados pelo utilizador, uma rota a seguir que já se encontre na memória do Karoo ou navegar para uma determinada morada e que podem ser ordenadas por “mais recente”, “nome”, “distância”, “proximidade” ou “acumulado de elevação”.

Hammerhead KarooAinda neste menu, podemos escolher um treino, que pode ser carregado através de emparelhamento com a conta TrainingPeaks do utilizador e por fim, a bicicleta que o ciclista vai usar.

Depois de termos tudo ao nosso jeito, basta carregar em “View Ride” (sim, em inglês. Este é um dos pontos negativos do Karoo, pois até ao momento, só suporta a língua inglesa, sendo que neste texto iremos traduzir alguns dos nomes, por forma ao leitor ter um melhor entendimento), para termos acesso ao mapa e às várias janelas de dados de que o perfil disponha e que podem ser totalmente personalizadas pelo utilizador num outro menu próprio para o efeito. Daqui podemos ordenar ao Karoo que inicie a gravação da atividade e seguirmos caminho.

Regressando ao menu inicial, abaixo do enorme ícone amarelo, são-nos apresentados os restantes menus. Na primeira página podemos aceder a “Atividades”, “Rotas” e “Treinos”. Passando com o dedo para a esquerda sobre o ecrã na área destes icons menores, temos ainda acesso a “Perfis”, “Sensores” e “Definições”.

Nas Atividades, como o nome indica, ficarão gravadas todas as nossas saídas de bicicleta e que podem ser ordenadas por data, duração, distância, elevação ou nome. Aqui, basta passar com o dedo para o lado direito, para apagar a atividade.

De seguida, temos acesso às Rotas gravadas no Karoo, que podem ser ordenadas tal como na gravação de atividade, definir uma morada para onde irmos, ou até mesmo criar o percurso na própria unidade com recurso a marcação de pontos no mapa. As Rotas que aqui estão gravadas, podem ser carregadas para a unidade através de cabo ou por wi-fi, onde o Karoo irá “buscar” as rotas a uma parte especifica do site da Hammerhead denominada Dashboard e da qual falaremos mais à frente.

Como referido anteriormente, de seguida surge-nos o menu dos Treinos, onde teremos acesso aos planos que tenhamos disponíveis, com já referido, na conta TrainingPeaks do ciclista e que surgirão no ecrã do Karoo, dando-nos indicações sobre o que fazer durante o exercício.

No menu Perfis, na página seguinte, o utilizador tem acesso a criar novos perfis ou editar os já existentes, mudando-lhes o nome, ligando ou não a auto-pausa e definindo os ecrãs de dados a apresentar, bem como quantidade e tipo de dados por ecrã, podendo criar ecrãs e mapa, dados numéricos, ou gráfico de elevação.

Os ecrãs de dados podem fornecer de 1 a 12 dados em simultâneo, de entre as categorias de Velocidade, Distância, Frequência Cardíaca, Cadência, Potência, Voltas, Altimetria, Tempo, Mudanças e Vários (percentagem de bateria e/ou temperatura.

Velocidade: velocidade atual, média, máxima e média em 3, 5 ou 10 segundos;

Distância: efetuada, para o destino, para a próxima curva;

Frequência cardíaca: atual, por zona circular/numérica/com indicador, média, máxima, percentagem da frequência máxima/reserva, percentagem de reserva atual;

Cadência: atual, média máxima, média 3, 5 ou 10 segundos;

Potência: atual, por zona circular/numérica/com indicador, média, máxima, média 3, 5, 10, 30 segundos, 20 minutos ou 1 hora, normalizada, percentagem do FTP, fator de intensidade, valor de stress, balanço de potência entre pedais, suavidade da pedalada, efetividade do torque, potência/peso, energia produzida, calorias de potência, taxa de gasto de calorias e suavidade de produção de potência;

Volta: número, distância, velocidade máxima, velocidade, frequência cardíaca máxima, frequência cardíaca, cadência, cedência máxima, potência, potência máxima, tempo, acumulado positivo/negativo, altitude máxima/mínima e altitude;

Altimetria: altitude atual, acumulado subida/descida, percentagem atual, velocidade vertical, altitude máxima/mínima/média;

Tempo: total, hora local, em movimento, parado, tempo para o destino, hora de chegada ao destino, nascer do sol, pôr do sol, hora do alvorecer/crepúsculo, tempo até ao nascer do sol, tempo até ao pôr do sol, tempo até ao alvorecer/crepúsculo;

Mudanças: andamento numérico/gráfico, percentagem da bateria, modo de mudanças (Di2), mudança dianteira, mudança traseira, numero de mudanças durante a volta;

Na edição do ecrã de mapa, podemos escolher apenas o mapa, ou ter ainda dois ou quatro campos de dados. Aqui aproveitamos para dar a conhecer uma particularidade, que é a possibilidade de quando estamos a navegar o mapa nos zoom’s mais próximos, ver as ruas entre “edifícios” 3D e podermos ver o mapa diretamente de cima ou com alguma inclinação, dando a aparência da seta que indica a posição atual, estar a circular pelo mapa a fora, numa visão em 3ª pessoa.

À semelhança de edição do ecrã de mapa, no ecrã de gráfico de elevação, podemos ter o  gráfico acima da apresentação de dois ou quatro campos de dados. Este gráfico só nos será apresentado, quando seguimos uma rota pré-gravada, possibilitando-nos consultar o que nos espera de subidas ou descidas, com informação de distância/altitude e a altitude a que nos encontramos atualmente.

No menu Sensores, como o nome indica, é onde iremos emparelhar os vários sensores que utilizarmos enquanto pedalamos, como cadência, velocidade, potência, etc.. Os protocolos de comunicação que o Karoo disponibiliza são Bluetooth e Ant+. Na lista de dispositivos disponíveis, podemos manter pressão sobre cada um deles e movê-los para cima um baixo, conforme a preferência de utilização que lhes queremos dar. Ao seleccionarmos um sensor, teremos acesso às suas informações, como o seu estado, o tipo de sensor e o seu nome (que pode ser alterado aqui mesmo).

Por fim, temos o menu Definições. Aqui temos uma variedade bastante grande de definições, começando pelo emparelhamento com a conta Hammerhead, perfil do utilizador, conecção a serviços como Strava ou TrainingPeaks, onde podemos definir o upload automático das atividades para as plataformas, definir as bicicletas e zonas de treino, definir a navegação curva a curva, download de mapas de todo o mundo, ligação Wi-Fi, os sensores, áudio via Bluetooth, dados móveis, modo avião, data e hora, calibração da altitude, opções do ecrã, localização, seguimento ao vivo, ligar/desligar botões laterais (sim, o Karoo também tem botões. Já lá iremos), alertas áudio por Bluetooth, sistema de medidas, armazenamento, reset de fábrica, atualização do sistema e informações do aparelho.

É ainda no menu Definições que temos a mais recente adição, há muito solicitada pela comunidade de utilizadores do Hammerhead Karoo: os Segmentos em Tempo Real do Strava.

Esta característica, desde há muito solicitada pela comunidade à Hammerhead, foi finalmente implementada e pode-se dizer que foi uma implementação de excelência. Está fácil de usar, fácil de visualizar e com uma ótima apresentação visual, sendo que para este caso, é necessário ter conta premium no Strava (Summit), mas que caso só queiram testar, pelo menos para já a Hammerhead possibilita o acesso a 2 meses grátis.

Carregados os segmentos marcados como favoritos no Strava para o Karoo, podemos seguir a nossa volta normal e sermos notificados ao chegar a um segmento, ou ir ao mapa, selecionar o inicio do segmento e mandar o Karoo navegar para ele, sendo criada uma rota no imediato.

Chegados ao segmento, temos um gráfico do mesmo e os tempos que definirmos, de entre o KOM, o nosso PR ou a pessoa que seguimos no Strava e que está ou imediatamente acima ou abaixo de nós na classificação.

A importação de rotas é algo que também surpreendeu bastante, pois o Dashboard no site da Hammerhead, além de nos permitir carregar os nossos próprios ficheiros, possibilita que os possamos descarregar directamente de um site como por exemplo o Strava para ali, sendo que assim que o Karoo se ligue à internet, todos os novos tracks serão carregados para o mesmo. E tudo isto pode ser feito na hora e muito rapidamente, com recurso por exemplo a um smartphone com ligação à internet. No Dashboard podemos ainda criar os nossos próprios tracks, onde podemos definir se pretendemos percorrer estradas de alcatrão, montanha ou gravel.

O Dashboard tem ainda uma outra função de extrema importância, que é permitir a quem tenha o nosso link, seguir os nossos passeios/pedaladas e ver dados como a velocidade, se estamos ou não na rota definida ou a hora prevista de chegada ao final da rota. Esta opção pode ser ativada nas definições do Karoo, onde é gerado o link que teremos que partilhar com quem nos for seguir (o link será sempre o mesmo, até que a opção seja desativada e activada de novo, gerando nessa altura novo link).

A pessoa que estiver em casa seguir-nos, terá também que ter conta criada no Dashboard da Hammerhead, sendo esta grátis. Para que o seguimento ao vivo funcione, é necessária uma ligação à internet, seja emparelhando com a ligação do smartphone ou colocando na slot de que o Karoo dispõe, um cartão SIM.

Outro ponto negativo do Karoo (para alguns utilizadores) vai para a ausência de uma coluna. Assim sendo, as indicações de navegação áudio dadas por ele, apenas são audíveis com recurso a fones Bluetooth. No nosso caso e como nunca fomos habituados a ter sons para navegação nos GPS’s, não nos fez qualquer diferença, até porque as indicações dadas no ecrã são bastante fáceis de ver e perceptíveis. Estas indicações podem estar sempre ligadas, sempre desligadas ou surgir apenas quando vai haver uma mudança de direcção.

Conforme dito acima, o Karoo também tem botões físicos. 5 para sermos mais precisos. 2 do lado esquerdo e dois do lado direito. O do topo do lado esquerdo, ao contrário dos restantes, é liso, sendo todos os restantes com relevos. Esse botão liso, permite ligar/ desligar o Karoo e ligar/desligar só o ecrã quando a unidade já está ligada. Os restantes permitem navegar o Karoo, sendo que conseguimos aceder a tudo, apenas com os botões, caso queiramos por exemplo bloquear o touchscreen, mas mantendo o ecrã ligado.

Em qualquer ecrã do Karoo que estejamos a usar, podemos arrastar o dedo do topo para baixo e aceder a um pequeno menu onde podemos ligar/desligar o Wi-Fi, os dados móveis, a auto-pausa e os sensores, bem como regular a luminosidade do ecrã e ver as coordenadas do local onde nos encontramos.

Falando em luminosidade, esta pode perfeitamente ser usada no mínimo. O ecrã continua extremamente percetível e permite uma poupança de cerca de 2%/hora na bateria.

Em termos de bateria, o gasto máximo que tivemos foi de cerca de 12%/hora, com sensores de cadência/velocidade e frequência cardíaca, cartão SIM e seguimento ao vivo ligados, GPS da unidade ligada, a seguir uma rota com indicações de navegação visuais ligadas e re-roteamento nalguns momentos e luminosidade no máximo. Sendo que com algumas destas caraterísticas desligadas e a luminosidade no mínimo, é possível reduzir para 6%/7% hora. O Karoo permite ainda o carregamento em andamento, com recurso a um powerbank.

Uma vez que tocámos no assunto do re-roteamento, aproveitamos para voltar a falar da navegação. Os dados no mapa são muito perceptíveis, bem como a rota a seguir, que por vezes mostra o sentido a seguir, por forma a evitar enganos, mas que caso aconteçam, o re-roteamento é feito em cerca de 5 segundos (ou menos), levando-nos de volta à rota no mais curto espaço.

Ao termos uma conta Hammerhead, o Karoo está em constante actualização para o seu servidor, sendo que caso tenhamos que efectuar um reset de fábrica, podemos fácil e rapidamente voltar a carregar de lá os nossos dados e preferências, sem que haja a necessidade de definir tudo novamente.

Como já referido, o Karoo é programado em Android, sendo que por isso suporta carregamento de outras aplicações no seu sistema (a própria Hammerhead confirma-o, mas não o encoraja), para quem esteja à vontade com o funcionamento Android, sendo que assim, podem ter no vosso Karoo o Spotify, o Youtube ou o Zwift, entre muitos outros desde que não se esgotem os seus 9.5 gigabytes de armazenamento interno.

Para aqueles que são amantes dos gadgets e gostam se sentir seguros e usar as mais recentes tecnologias, o Karoo suporta o funcionamento de mudanças eletrónicas Di2 e radar traseiro Vária.

Pode-se dizer que o Hammerhead Karoo nunca está verdadeiramente terminado e o que ele nos disponibiliza hoje, pode ser ainda melhorado amanhã, pois a sua equipa está constantemente atenta aos feedbacks que recebem e às redes sociais, bem como aos conselhos dados pela sua equipa de testes avançada, disponibilizando mensalmente correcções de erros, melhorias ou novas características.

Os contras que podemos apontar ao Hammerhead Karoo, que para alguns de vós até podem não fazer diferença são, o seu tamanho (98x72x28mm) e peso (189g pesados por nós), a linguagem disponível ser apenas o inglês, a ausência de som emitido pela própria unidade e a ausência de capas/películas protetoras. Em tudo o resto correspondeu e até superou as espectativas.

Mais info em www.hammerhead.io.

Review
Desempenho
10
Navegação
10
Design e Construção
8
Autonomia
9
Funcionalidade
10
Preço
10
Artigo anteriorCaminha investe na rede de ecovias e trilhos para atrair turistas
Próximo artigoSpecialized apresenta a coleção de roupa Primavera/Verão 2020
Diogo Lobo
Fundador do BTT Lobo e desde pequeno aficionado pela bicicleta. Eterno apaixonado por comunicação, vídeo e criação de conteúdo, profundo amante de bicicletas, principalmente as de BTT. É no BTT que está a minha paixão, e é esta mesma paixão que me move para continuar a dar diariamente as novidades mais fresquinhas sobre o mundo das bikes. O objetivo passa por trazer um pouco do meu conhecimento a quem segue o BTT Lobo e, quem sabe, melhorar o quotidiano de quem usufrui do nosso site, o seu portal a pedal em Portugal e no Mundo.