Domingos Gonçalves (Caja Rural) está suspenso provisoriamente por “uso de métodos e/ou substâncias proibidas”, segundo a lista atualizada de suspensões da União Ciclista Internacional, hoje publicada.

“A União Ciclista Internacional (UCI) anuncia que o ciclista português Domingos Gonçalvez foi notificado de uma violação do regulamento antidopagem por uso de uma substância proibida, com base nas anomalias detetadas no seu passaporte biológico entre 2016 e 2018”, esclarece a federação internacional, em comunicado.

O campeão nacional de fundo de 2018 e de contrarrelógio em 2017 e 2018 não competia desde a Volta a Espanha, quando desistiu na 14.ª etapa.

O ciclista barcelense, de 30 anos, foi convocado para os Mundiais de Yorkshire, em setembro, mas acabou por não participar, alegando motivos pessoais para não viajar para a cidade inglesa.

O organismo que tutela o ciclismo mundial recorda que o caso do português é o segundo de um corredor da equipa espanhola Caja Rural no período de 12 meses, depois de Jaime Rosón.

O ciclista espanhol foi despedido pela Movistar em fevereiro após ter sido suspenso por quatro anos por valores anómalos no seu passaporte biológico quando ainda representava a Caja Rural, em 2017.

Estes dois casos detetados no mesmo período de 12 meses (2016-2017) ativam a aplicação do regulamento antidopagem da UCI, que prevê a suspensão da equipa por um período entre 15 e 45 dias.

Domingos Gonçalves representou a Caja Rural em 2016, tendo-se transferido para a Rádio Popular-Boavista na época seguinte, onde permaneceu até nova incursão na equipa espanhola do segundo escalão mundial esta temporada.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome