David Rosa décimo nos Jogos Europeus

2115

Jogos Europeus Baku David Rosa metaO português David Rosa cumpriu hoje o objetivo com que partiu para os Jogos Europeus, em Baku, no Azerbaijão, terminando na décima posição a prova de cross country olímpico (XCO), ganha pelo suíço Nino Schurter.

O campeão nacional e número 12 do ranking mundial começou muito forte, chegou ao final do “start loop” na primeira posição, mas uma saída de corrente condicionou a restante corrida. David Rosa atrasou-se na altura em que o grupo principal se partiu e teve de fazer grande parte da prova em recuperação, o que impediu a reserva de forças para atacar as últimas voltas.

Ainda assim, David Rosa conseguiu atingir o lugar nos dez melhores que almejava à partida, gastando mais 4m08s do que Nino Schurter. O domínio suíço foi completo, com os helvéticos a ocuparem todos os lugares do pódio. O segundo classificado foi Lukas Fluckioger, a 13s, enquanto o terceiro, a 33s, foi Fabian Giger.

“Cumprimos o objetivo, embora, mais uma vez, com um travo amargo. Se não fosse o problema mecânico, no momento decisivo da corrida em que aconteceu, estou convencido de que o David Rosa teria ficado no top 5”, afirma o selecionador nacional de BTT, Pedro Vigário.

Jogos Europeus Baku David Rosa 7David Rosa corrobora a análise do selecionador. “Estava no sítio certo, na roda do Nino Schurter, quando me saltou a corrente. Perdi posições e fiquei num dilema tático. Íamos entrar na zona com mais vento e eu sabia que se tentasse enfrentar o vento sozinho poderia pagar a fatura mais tarde, mas também sabia que se não o fizesse poderia ficar irremediavelmente para trás. Dei tudo para chegar à frente e consegui encostar no grupo que discutia o sexto lugar. Só que cheguei lá muito justo e mal colei deu-se um ataque ao qual não pude responder. Não fora o azar, estou convencido de que poderia lutar pelo top 5, até porque dois dos cinco primeiros de hoje ficaram sempre atrás de mim na Taça do Mundo deste ano”, recorda David Rosa.

Joana Monteiro terminou a prova de elite feminina na 23.ª posição, a uma volta da suíça Jolanda Neff, que revelou grande superioridade, chegando ao final da prova com 1h31m05s de corrida, menos 2m03s do que a compatriota Kathrin Stirnemann, que conseguiu a medalha de prata. A terceira classificada foi a polaca Maja Wloszczowska, a 2m05s da vencedora. “A Joana defendeu-se bem. É sub-23, estava a competir em elite e teve uma queda. Deu o que pôde”, conclui Pedro Vigário.

O ciclismo nacional volta ao programa dos Jogos Europeus na próxima quinta-feira, com a participação de Rafael Reis no contrarrelógio de elite masculina.

Fonte: Federação Portuguesa de Ciclismo

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome