39.º Grande Prémio ABIMOTA / Altice | Partida em Lisboa para cinco etapas

136

Foi no Centro de Alto Rendimento de Anadia – Velódromo Nacional de Sangalhos, que foi apresentado oficialmente o 39.º Grande Prémio ABIMOTA / Altice, que arranca em Lisboa já na próxima quarta-feira, dia 13 de junho. A sala que recebeu a sessão foi pequena para receber todos os intervenientes na prova, que assinala 41 anos de história, um marco no ciclismo nacional.

João Miranda, presidente da Direção da ABIMOTA – Associação Nacional das Indústrias de Duas Rodas, Ferragens, Mobiliário e Afins, responsável pela organização desta corrida de ciclismo de estrada, foi quem deu as boas-vindas, mostrando uma evidente satisfação por esta edição contar com o apoio reforçado da Altice Portugal, que se assume como principal patrocinador da competição, a quem dá também o nome.

O vice-presidente da ABIMOTA, Vital Almeida, que também é o Diretor da Prova, fez de seguida a apresentação detalhada da competição. São cinco etapas que fazem este ano a 39.ª edição do Grande Prémio ABIMOTA / Altice, com cinco dias de ciclismo de estrada que vão colocar em marcha um pelotão com 120 corredores distribuídos por 15 equipas. Esta é a segunda corrida mais antiga de Portugal, em provas por etapas e a única no país com oito camisolas em disputa, não existindo outra prova de ciclismo de estrada com um número de camisolas igual ou superior em competição.

À semelhança do ano passado, todas as noites vão ser transmitidos os resumos dos melhores momentos de cada etapa, num dos canais temáticos da Sport TV, parceiro da prova, trazendo assim outro alcance em termos mediáticos à 39.ª edição.

AS CINCO ETAPAS AO PORMENOR:
Em 2018, no total vão ser percorridos 585,4 km por ciclistas das categorias Elite e Sub-23. Tudo indica que esta será uma edição abençoada ou não fosse a prova arrancar em pleno Dia de Santo António, do centro de Lisboa, sendo a primeira vez que a caravana ABIMOTA passa pela capital. Para este 13 de junho, dia da primeira etapa, está marcado um Contarrelógio por Equipas no emblemático Campo Grande, com 5,5 km. Este trabalho coletivo terá início às 17 horas e termina pelas 19.30 horas.

Ainda no dia da pedalada de saída desta competição, entre as 15 e as 16.15 horas, não esquecer que Lisboa recebe também a 3.ª prova pontuável para a Taça de Portugal Jogos Santa Casa de Paraciclismo, com um percurso circular de 2,7 km. Ao reservar uma parte do programa para esta prova tão específica, o ABIMOTA / Altice afirma-se também como uma realização inclusiva e que promete um dia de arranque memorável para o ciclismo português.

A segunda etapa, dia 14 de junho, quinta-feira, vai fazer a ligação ao centro do país, com partida em Coruche, da Praça de Touros, município que também se estreia este ano no ABIMOTA / Altice. A partida será dada às 12.55 horas para o pelotão percorrer 157,2 km até Proença-a-Nova, que acolhe a chegada cerca das 17 horas, no Parque Urbano Comendador João Martins.

Dia 15 é dia de sair para a estrada a terceira etapa do 39.º Grande Prémio ABIMOTA / Altice, tirada que estará concentrada em Belmonte. Espera-se uma tarde de ciclismo em Circuito, com 70,85 km (duas voltas) que terão início pelas 14.25 horas do Castelo de Belmonte. Este será também o monumento que assinala a chegada às 16.15 horas. Não vai faltar uma ampla vista sobre a Serra da Estrela, permitindo que seja retirado o devido prazer desta jornada, toda ela em redor das origens de Pedro Álvares Cabral.

Chegado o fim-de-semana, para sábado, dia 16, está reservada a mais longa etapa deste Grande Prémio ABIMOTA / Altice. A partida faz-se de Almeida, da Praça 25 de Abril, às 11.55 horas, rumo a Mortágua. Serão cumpridos 184,4 km que culminam na Avenida dos Bombeiros Voluntários, pelas 16.30 horas. Terra de gente que gosta de ciclismo, este é o terceiro município que se estreia na prova ao receber uma chegada.

Por fim, a quinta etapa. É Anadia – Capital do Espumante e do Ciclismo Nacional, ao albergar o Velódromo Nacional de Sangalhos –, que recebe no domingo, dia 17, o último dia de prova. Estão reservados 156,3 km para a última tirada, que sai às 12.25 horas da Praça do Município de Anadia para seguir viagem até Águeda, que como não podia deixar de ser vai aplaudir e brindar sobre a linha da meta o final do 39.º Grande Prémio ABIMOTA / Altice. É da Avenida 25 de Abril que vão ecoar os aplausos do público presente, a partir das 16.15 horas, esperando-se que venha em massa para assistir à consagração do vencedor da 39.ª edição do Grande Prémio ABIMOTA / Altice.

AS 15 EQUIPAS PARTICIPANTES EM 2018:
A 39.ª edição do Grande Prémio ABIMOTA / Altice vai contar com a participação de 15 equipas (13 lusas e duas espanholas), com um pelotão composto por cerca de 120 ciclistas que se preparam para disputar as oito camisolas da prova. As equipas portuguesas que vão para a estrada são a Aviludo-Louletano-Uli, Efapel, LA-Alumínios, Liberty Seguros-Carglass, W52-FC Porto, FGP-Cube-Bombarral, Fortunna-Maia, ACDC Trofa, Miranda-Mortágua, Rádio Popular-Boavista, Sporting-Tavira, Vito-Feirense-Blackjack e Sicasal-Constantinos-Delta Cafés. As formações espanholas são a Kuota-Construcciones Paulino-Oviedo.Es e a Supermercados Froiz.

AS OITO CAMISOLAS EM DISPUTA:
São oito as camisolas que vão ser disputadas no 39.º Grande Prémio ABIMOTA / Altice:
Camisola Amarela – Geral Individual (patrocinada pela Intellysys)
Camisola Verde – Geral por Pontos (Pecol)
Camisola Azul – Geral Montanha (Navarra)
Camisola Rosa – Geral Metas Volantes (MR Group)
Camisola Encarnada – Melhor Corredor Equipa Clube ( SRAM)
Camisola Branca – Geral Juventude (Turismo do Centro)
Camisola Xadrez – Geral Meta Autarquias (OK Embalagens)
Camisola Bolinhas – Classificação Meta Bolinhas (Miranda&Irmão)

OS NÚMEROS QUE CONTAM A HISTÓRIA:
161 Etapas | 131 Dias de Competição
75 Municípios portugueses (partidas ou chegadas) |4 Espanhóis (partidas ou chegadas)
20.000 Km percorridos em quatro décadas
41 anos | 38 edições

Ana Isabel Bocas, diretora comercial da Altice Portugal, disse que este apoio à prova “é importante” porque a marca é a “Camisola Amarela nas infraestruturas de telecomunicações em Portugal e por isso apoiamos gente com fibra”, que vai pedalar por toda a região Centro do país. “Esta é uma modalidade que requer fibra e entendemos que é ao estar nas diferentes regiões que podemos continuar na liderança”. A responsável não terminou sem antes lançar o desafio para que no próximo ano a prova passe pelo Alentejo, por ser a sua terra natal mas também por demonstrar que assim continuará a crescer e expandir-se para outros territórios.

João Figueiredo, administrador da Intellysys, que patrocina a Camisola Amarela, lembrou que a empresa tem no seu ADN as duas rodas, daí fazer “todo o sentido apoiar a prova e a nossa terra”. Também Hugo Coutinho, sócio-gerente da OK Embalagens, partilha da mesma opinião: “Revemo-nos nos valores do Grande Prémio ABIMOTA, onde é vivida a competitividade de forma salutar, sempre com companheirismo. No que depender de nós vão haver sempre edições futuras”. Já João Filipe Miranda, da Miranda&Irmão, disse que a marca está associada à prova “há vários anos, sempre a patrocinar uma das camisolas, e agora também com a equipa Miranda-Mortágua, que tem as bicicletas equipadas com os componentes fabricados pela marca de Águeda. É uma honra estarmos associados ao evento”, acrescentou.

Da parte dos municípios coube a Teresa Belém, presidente da Câmara Municipal de Anadia, começar, mostrando-se honrada por acolher a apresentação oficial do evento naquela “casa do ciclismo nacional”, sendo Anadia e Sangalhos uma “terra do ciclismo e onde se fizeram grandes nomes na modalidade, que trazem grandes feitos para a região e para o país”. José Júlio Norte, autarca de Mortágua, revelou-se muito satisfeito por ver o seu município pela primeira vez a receber o Grande Prémio ABIMOTA, prometendo que tudo será feito para “dar o melhor e correr bem”. Para o fim ficou Jorge Almeida, presidente da Câmara Municipal de Águeda: “É uma alegria muito grande ter de novo a prova a chegar a Águeda. O ciclismo é a festa do povo e este ano vai sair à rua em grande, com uma dinâmica reforçada graças ao forte apoio da Altice e das empresas de Águeda, que se reconhecem nesta competição”.

Foi Delmino Pereira, Presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, que fechou a sessão. Ao considerar o ABIMOTA / Altice um evento de referência do calendário nacional de estrada, disse, com entusiasmo, que a prova “está mais forte. É uma corrida âncora do calendário luso e demonstra a vitalidade do ciclismo e como a indústria do ciclismo tem crescido. Estamos numa infraestrutura única em Portugal, onde se descobrem talentos e evoluem os atletas”, lembrou.

A sessão terminou com uma visita ao Velódromo Nacional de Sangalhos.

Recorde-se que o Grande Prémio ABIMOTA / Altice é uma das provas mais tradicionais em Portugal. Reconhecido publicamente pelo papel que desempenha como promotor do ciclismo e da prática desportiva, tem forte tradição e interesse popular no país, fortalecendo as relações entre pessoas e instituições que congregam esforços para, ano após ano, poderem levar a bom termo mais uma edição. Trata-se de um evento que promove a vertente desportiva da bicicleta, fruto do empenho quase exclusivo da indústria das duas rodas e dos associados ABIMOTA.

O 39.º Grande Prémio ABIMOTA / Altice pode ser seguido nas Redes Sociais e em abimota.org.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome