A LA Alumínios–LA Sport quer a camisola da montanha da edição especial da Volta a Portugal, com o seu diretor desportivo a sonhar com um lugar no ‘top 10’ do ciclista Emanuel Duarte, o melhor jovem da edição anterior.

Volta a Portugal  LA Alumínios–LA Sport quer a camisola da montanha“Os objetivos passam por estar na frente da corrida, principalmente em fugas e tentar obter uma das camisolas, principalmente a da montanha, que é um dos objetivos, e, quem sabe, uma das etapas, sendo uma opção. Em termos de geral individual, temos o Emanuel Duarte, que no ano passado fez uma excelente corrida, venceu a juventude, e este ano ambicionamos um bom lugar na geral. Um ‘top 10’ seria brilhante”, estimou Hernâni Broco.

Depois de, em 2019, ter vencido a juventude, a LA Alumínios–LA Sport gostaria que Miguel Salgueiro conquistasse a camisola branca no prólogo, que marca o arranque da prova, no domingo, em Fafe.

“Penso que, no prólogo, vai ser um objetivo tentar que ele vista essa camisola e que transite de um ano para o outro na nossa equipa, mas, penso que, para uma geral, é complicado lutar por essa camisola, porque ele tem dificuldades em passar na alta montanha”, analisou, em declarações à agência Lusa.

O diretor desportivo da formação do Seixal não está preocupado com os impactos que a paragem forçada motivada pela pandemia de covid-19 possa ter nos seus ciclistas, que têm feito “um bom trabalho” e minimizado a falta de competição “com estágios na serra e na zona da equipa, o Seixal”.

“Sendo numa fase inicial, penso que a minha equipa fica mais favorecida, porque, se fosse numa fase mais tardia da competição, era mais prejudicial para este jovens, uma vez que a experiência, aí, sobressairia ainda mais. Sendo numa fase inicial não se vai notar tanto, porque vamos todos de igual para igual, sem as competições que tínhamos nos anos anteriores”, argumentou quando questionado sobre se a concentração de chegadas em alto nos primeiros dias poderia ser prejudicial para os seus pupilos.

Dizendo já estar satisfeito por haver uma edição especial da Volta a Portugal – a 82.ª edição foi adiada para 2021 pela Podium, promotora comercial do evento -, Hernâni Broco revelou também que o percurso desenhado pela Federação Portuguesa de Ciclismo (FPC) “se encaixa bem dentro das características da equipa”.

“Fico satisfeito com o percurso desta Volta, não sei se é por pensar e ter dúvidas que podia não existir, mas acho que é um percurso bem pensado e bastante aceitável para nove dias de competição”, defendeu.

O antigo ciclista, de 39 anos, contou ainda à Lusa que quer os corredores, quer o ‘staff’ da sua formação estão a lidar “bastante bem” com os cuidados a ter com a covid-19.

“Em termos de ansiedade, claro que sempre cria alguma coisa porque temos de passar por todos os testes, falar cada vez mais nesta doença, não sabermos o que pode acontecer, porque é quase uma patologia invisível. É claro que deixa alguma ansiedade, mas penso que está controlada e não os vejo com um grau de ansiedade muito elevado”, acrescentou.

Broco acredita que os ciclistas nem se vão lembrar que existe a pandemia de covid-19 quando estiverem em cima da bicicleta, concentrando-se os momentos de ansiedade no pré-etapa, com os controlos existentes na zona 0, onde só entram os corredores, o ‘staff’, pessoal da organização e jornalistas, todos eles obrigados a fazer um teste de deteção do novo coronavírus 72 horas antes do arranque da competição.

LA Alumínios – LA Sport

Equipa: Emanuel Duarte (Por), André Ramalho (Por),  Gonçalo Leaça (Por),  David Ribeiro (Por), Marvin Scheulen (Por), Miguel Salgueiro (Por) e Bruno Silva (Por).

Diretor Desportivo: Hernâni Broco.