A Equipa Portugal está confiante num lugar entre os dez melhores na prova de fundo do Campeonato do Mundo de Estrada, que se realiza, neste domingo, em Imola, Itália.

As cores nacionais serão defendidas por Ivo Oliveira, Nelson Oliveira, Rúben Guerreiro e Rui Costa numa prova de 258,2 quilómetros, marcada pela dureza, traduzida num acumulado de subida de 5 mil metros.

“Vamos bater-nos por um lugar nos dez primeiros. O percurso, pela dureza, faz lembrar o de Florença, embora o perímetro do circuito seja muito maior em Imola. Vamos passar em subidas muito íngremes, em estradas estreitas. Acredito que possamos estar representados no pequeno lote de ciclistas que vai discutir a corrida”, afirma o selecionador nacional, José Poeira.

Rui Costa, campeão mundial em Florença, em 2013, e entre o top 10 nas edições de 2015, 2018 e 2019, afina pelo mesmo diapasão. “Será um mundial dos mais duros em que estive presente, o que é bom para os portugueses. Acredito que a corrida será discutida entre 25 corredores, um misto de ciclistas que chegam muito bem do Tour com outros já em forma para as clássicas e para o Giro”, avalia o poveiro.

“Amanhã vou estudar bem o percurso e os adversários durante as primeiras voltas. Tentarei estar por perto dos principais candidatos para, nas voltas finais, seguir o meu instinto, mas sempre com cabeça, porque uma ‘bala’ mal gasta pode deitar tudo a perder”, sublinha Rui Costa.