Luís Costa foi o nono classificado na prova de contrarrelógio de classe H5 do Campeonato do Mundo de Paraciclismo, em Emmen, Holanda.

Luís Costa completou o traçado de 20,8 quilómetros em 31’28’’59, o que lhe valeu um lugar na primeira metade da tabela, inserido nos dez primeiros, reforçando o estatuto de atleta integrado no projeto paralímpico Tóquio’2020.

Luís Costa ficou a 1’50’’75 do registo de 29’37’’84 que valeu ao italiano Alessandro Zanardi, antigo piloto de Fórmula 1, mais um título mundial. O segundo classificado, a 4,32s foi o holandês Tim de Vries. O estadunidense Óscar Sánchez fechou o pódio, a 37,31s da medalha de ouro.

A prova de Flávio Pacheco, na classe H4, não correu tão bem, o português foi 14.º classificado, com 32’32’’44, mais 4’28’’63 do que os 28’03’’81 que valeram ao holandês Jetze Plat a camisola arco-íris. O segundo classificado foi o estadunidense Thomas Davis, a 28,64s. A medalha de bronze viaja na bagagem do austríaco Thomas Fruhwirth, que ficou a 1’14’’32 do vencedor.

“O Luís Costa esteve bem, com um desempenho dentro daquilo que esperávamos, embora tivesse quebrado um pouco na segunda volta do circuito. O Flávio Pacheco, apesar de se ter aplicado, não conseguiu o resultado que esperávamos”, reconhece o selecionador nacional de paraciclismo, José Marques.

A Equipa Portugal continua em ação neste sábado. Às 15h30 será dado o tiro de partida para as provas de fundo de classe C1 e C2, que terão 66,6 quilómetros e contarão com Bernardo Vieira e Telmo Pinão.

Deixar uma resposta