PUB

A segunda etapa, que ligou Bruntál a Dlouhé Stráně, na República Checa, assinalou o início das grandes dificuldades montanhosas. Afonso Silva foi o português mais bem classificado no dia de hoje, tendo terminado no 15º lugar.

A etapa rainha da Corrida da Paz, prova da Taça das Nações de Sub-23, levou os corredores num duro percurso de 136,3 quilómetros, entre Bruntál e Dlouhé Stráně. Tal como já se adivinhava, a tirada de hoje fez grandes diferenças na classificação geral, também causadas pela chuva que tornou as descidas ainda mais perigosas.

PUB

Apesar das dificuldades desta segunda etapa, Afonso Silva conseguiu terminar na 15ª posição, a 2m35s do vencedor, Filippo Zana, garantindo assim o 14º posto na classificação geral. O selecionador nacional, José Poeira, antevia um bom lugar na geral e afirma ter ido ao encontro dessas mesmas expectativas, com o resultado do corredor português.

“Hoje foi um dia complicado, choveu muito, o que tornou as descidas muito perigosas. O Afonso fez uma subida muito boa. Seguiu sempre num dos grupos da frente e só largou no último quilómetro. Andou muito bem. Conseguimos colocar um corredor nos vinte primeiros, que era o nosso objetivo, de forma a somar mais pontos na Taça das Nações de Sub-23. Acreditava que íamos conseguir fazer isso”, disse José Poeira.

Fábio Costa e Diogo Barbosa chegaram com 5m13s de atraso em relação ao vencedor, ocupando o 30º e o 31º lugares. Pedro Miguel Lopes terminou a 10m21s, em 47º, e Miguel Salgueiro e Fábio Fernandes chegaram ambos a 20m07s do vencedor, em 72º e 77º, respectivamente.

No dia de amanhã, a armada portuguesa terá pela frente mais uma dura etapa de montanha, com 168,1 quilómetros de distância. Esta última etapa é a mais longa de todas e vai ter partida e chegada em Jeseník.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui