O britânico Ethan Hayter foi a aposta surpresa da INEOS Grenadiers para a segunda etapa da Volta ao Algarve, triunfando no alto da Fóia, depois de percorridos 182,8 quilómetros, desde Sagres, e é o novo Camisola Amarela Turismo do Algarve.

Volta Ao Algarve 2ª Etapa | Ethan Hayter Veste-Se De Amarelo Na Fóia
Photo © João Fonseca

A etapa teve duas fases. A primeira, logo após a passagem por Vila do Bispo, foi marcada por uma fuga de oito corredores, que chegou a ter mais de 8 minutos de vantagem sobre o pelotão. A UAE Team Emirates assumiu as despesas da perseguição, em trabalho para Rui Costa. Desta forma, à entrada nos últimos 30 quilómetros, onde estavam colocadas três contagens de montanha, a margem dos escapados era já quase inexistente.

PUB

Só que, na descida da primeira para a segunda montanha, Rui Costa caiu, acabando por desistir. Foi altura de outras equipas se mostrarem na frente do grupo, com destaque para o poderoso trabalho de Kasper Asgreen (Deceuninck-Quick-Step), que colocou o ritmo durante toda a escalada para a Pomba, impedindo veleidades dos adversários.

Volta Ao Algarve 2ª Etapa | Ethan Hayter Veste-Se De Amarelo Na Fóia
Photo © João Fonseca

O ritmo constante do campeão de fundo da Dinamarca permitiu que fosse um grupo numeroso a entrar na subida final, de Monchique até ao alto da Fóia. A primeira metade da montanha fez-se em ritmo constante. A movimentação decisiva aconteceu a 3 quilómetros do final, graças a uma aceleração do francês Élie Gesbert (Team Arkéa-Samsic).

O ataque do chefe de fila da formação gaulesa deixou um grupo de seis homens em cabeça de corrida. O próprio Élie Gesbert, Jonathan Lastra (Caja Rural-Seguros RGA), João Rodrigues (W52-FC Porto) e o tridente da INEOS Grenadiers formado por Ethan Hayter, Sebastián Henao e Iván Ramiro Sosa.

Os dois colombianos da equipa britânica assumiram as despesas da corrida, até que, já nas últimas centenas de metros, Ethan Hayter, o homem com melhor ponta final dos seis da frente, desferiu um ataque imparável para cortar a meta com 4h48m43s (média de 37,989 km/h). João Rodrigues foi segundo e Jonathan Lastra terceiro, ambos com o mesmo tempo do vencedor. O topo da geral conta com os mesmos corredores, pela mesma ordem e com igualdade de tempo.

“Na última descida fui prudente e atrasei-me um pouco, perdendo algumas posições. O meu colega de equipa Carlos [Rodriguez] trouxe-me novamente ao grupo e entrei na última subida bastante protegido. O Sebastián Henao impôs um ritmo forte, e o Iván Sosa ajudou e coube-me ir até ao final. Estava com esperanças de fazer uma boa corrida aqui no Algarve, mas confesso que me correu melhor do que esperava. Agora resta-me aguentar a liderança até onde puder”, referiu Ethan Hayter.

De ontem para hoje só a Camisola Verde Crédito Agrícola, dos pontos, não mudou de dono, permanecendo no corpo do irlandês Sam Bennett (Deceuninck-Quick-Step). João Rodrigues assumiu o estatuto de melhor trepador, passando a equipar a Camisola Azul Lusíadas. Sean Quinn (Hagens Berman Axeon), que no domingo ganhou a Clássica da Arrábida, é o melhor jovem e dono da Camisola Branca IPDJ. A INEOS Grenadiers comanda por equipas.

A terceira etapa da Volta ao Algarve, marcada para esta sexta-feira, prevê-se de acalmia na luta pela geral e de emoções fortes entre os sprinters. Será a viagem mais longa da prova, unindo Faro a Tavira, ao longo de 203,1 quilómetros.

Deixar uma resposta