Volta ao Alentejo é a próxima paragem do pelotão internacional

0
36

A 35.ª Volta ao Alentejo, antecipada face às datas tradicionais, disputa-se entre 22 e 26 de fevereiro. Além da mudança de calendário, a corrida também subiu de escalão, sendo agora de classe 2.1 internacional.

A maior parte do percurso adequa-se aos roladores, como é natural na região, mas a primeira etapa, no norte do Alentejo, poderá deixar marcas. A tirada inicial encaminha a caravana de Portalegre, de onde sai às 12h00, até Castelo de Vide, através de um trajeto de 158 quilómetros, que levará cerca de quatro horas a percorrer. É a viagem mais curta da corrida, mas também a mais acidentada, incluindo quatro prémios de montanha – um de segunda, dois de terceira e um de quarta categoria -, mais do que no somatório das restantes jornadas.

A segunda etapa tem 171,3 quilómetros, a percorrer entre Monforte e Portel, apenas com uma subida de quarta categoria como obstáculo para os velocistas. A terceira jornada é a mais extensa, 208 quilómetros sem qualquer subida pontuável, entre Mourão (10h50) e Mértola (16h00).

O pelotão da Volta ao Alentejo deixa Odemira às 11h45 de dia 25 de fevereiro para pedalar ao longo de 175,2 quilómetros, temperados por uma subida de quarta categoria, que não será suficiente para partir o pelotão antes da chegada a Alcácer do Sal, prevista para as 16h00.

A competição encerra com uma tirada de 168,9 quilómetros, desde Ferreira do Alentejo (11h50) até à Praça do Giraldo, no coração de Évora, onde os primeiros são esperados em redor das 16h00, depois de mais uma viagem em que a história montanhosa se resume a uma escalada de quarta categoria.

A caravana será formada por uma equipa WorldTour, a espanhola Movistar Team, por cinco continentais profissionais, a espanhola Caja Rural-Seguros RGA, a israelita Israel Cycling Academy, a colombiana Manzana Postobón, a russa Gazprom-RusVelo, e a polaca CCC Sprandi Polkowice, e por 13 continentais: as seis portuguesas – Efapel, LA Alumínios-Metalusa BlackJack, Louletano-Hospital de Loulé, RP-Boavista, Sporting-Tavira e W52-FC Porto -, duas oriundas dos Estados Unidos da América, Axeon Hagens Berman e Rally Cycling, duas da Noruega, Team Coop e Team Sparenbanken Sor, a basca Euskadi Basque Country-Murias, a irlandesa An Post Chain Reaction e a holandesa Metec-TKH Mantel.

Mais info sobre a Volta ao Alentejo em www.voltaaoalentejo2017.com

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome