O Serra da Estrela Riders Challenge tem como objetivo colocar no radar dos amantes do ciclismo as subidas à serra da Estrela.

Serra da Estrela Riders Challenge 2020Este ano, a pandemia da covid-19 impede a realização de vários eventos de grande dimensão e de massas como o Granfondo Serra da Estrela, mas os ciclistas amadores podem enfrentar as subidas através da participação faseada num desafio baseado num conceito inovador.

“Esta apresentação inscreve-se em três variáveis diferentes. Em primeiro lugar, o que está em causa é colocar no radar dos amantes do ciclismo e do cicloturismo aquelas subidas épicas à serra da Estrela”, explicou o presidente do Turismo do Centro, Pedro Machado.

O responsável, que falava no âmbito da apresentação do evento ocorrida no Centro de Interpretação da Torre do Estrela Geopark, adiantou que os ciclistas amadores que queiram participar passam a ter uma plataforma ‘online’ que lhes permite terem toda a informação disponível para usufruírem das subidas à serra.

“Pela força das contingências que vivemos e impossibilitados de fazer os grandes eventos nesta altura, procuramos que a plataforma sirva para, individualmente ou em grupo, haver a capacidade de manter esta modalidade. Trata-se de uma forma de poder fazer eventos mais singulares ao longo do ano e permitir a atração à da serra da Estrela ao longo do ano, permitindo que os hotéis e a restauração possam continuar a captar pessoas”, frisou.

O conceito deste novo desafio de ciclismo de estrada passa por cumprir três etapas, correspondentes a três circuitos pelos municípios de Seia e de Manteigas.

O presidente da Câmara de Seia, Carlos Filipe Camelo, realçou o enorme impacto que atividades como a prova de Granfondo da Serra da Estrela têm na região.

“O objetivo é melhorar a atratividade da serra num contexto muito próprio e que é penalizador para a hotelaria e a restauração. Por esta via [deste novo evento] pode ser alimentada pelos atletas participantes e familiares. É mais um complemento para solidificar o que era já uma atividade em crescendo”, sustentou.

O presidente da Câmara de Manteigas, Esmeraldo Carvalhinho, explicou que haverá uma prova repartida por datas e etapas, com a participação faseada dos atletas.

O autarca realçou a importância do evento em, de alguma forma, fazer face à ausência do Granfondo Serra da Estrela, prova que anualmente junta cerca de 1.500 participantes nacionais e internacionais na região.

“Trata-se de uma atividade que mobiliza muita gente e que não podemos perder. Acima de tudo, temos de manter viva a atividade na serra da Estrela para que os aficionados do ciclismo mantenham a sua presença. Trata-se de um evento muito importante. O nosso território tem características apetecíveis para esta prática do ciclismo, BTT ou até do ‘trail'”, disse.

Esmeraldo Carvalhinho realçou ainda que estas atividades têm um suporte, quer em termos da oferta de alojamento, quer da restauração, que não existia há alguns anos.

“Trata-se de uma mais-valia para quem nos visita. Temos [em Manteigas] condições ótimas de acolhimento. Atualmente disponibilizamos 800 camas para aqueles que nos querem visitar”, concluiu.

O projeto Granfondo Serra da Estrela nasceu em 2014, numa parceria entre a Ultra Spirit Sports, o Turismo Centro de Portugal e os municípios de Manteigas e de Seia, sendo que o objetivo principal passava por promover o território como destino de férias também no verão e enquanto destino de eleição para o ciclismo e cicloturismo.

Serra da Estrela Riders Challenge 2020O conceito do Serra da Estrela Riders Challenge passa por cumprir três etapas, correspondentes a três circuitos desenhados nas vertentes que rodeiam o maciço central da Serra, com inícios e finais em Manteigas e em Seia.

Ao contrário dos eventos com data e hora específica, neste desafio os participantes têm cerca de dois meses para alcançarem o objectivo final – a conclusão das três etapas – podendo escolher dias e horários para cumprirem os diversos trajectos.

ETAPA ESTE

Distância: 77 km | Desnível acumulado: 2.550 m (d+)

Pontos de Passagem: Manteigas – Vale da Amoreira – Verdelhos – Teixoso – Covilhã – Piornos – Torre – Manteigas

ETAPA OESTE

Distância: 102 km | Desnível acumulado: 2.450 m (d+)

Este circuito é passível de ser efectuado com início e final em Seia ou Manteigas, sendo validado nas duas versões correspondentes a estas duas portas de entrada.

Pontos de Passagem:

Versão Manteigas: Manteigas – Torre – Sabugueiro – Seia – Gouveia – Penhas Douradas – Manteigas.

Versão Seia: Seia – Gouveia – Penhas Douradas – Manteigas – Torre – Sabugueiro – Seia.

ETAPA SUL

Distância: 115 km | Desnível acumulado: 3.100 m (d+)

Pontos de Passagem: Seia – Valezim – Vide – Pedras Lavradas – Alvoco da Serra – – Loriga – Adamastor – Torre – Sabugueiro – Seia

Mais informações em www.bike-roads.com.