Ruben Guerreiro (Education First) garantiu hoje, matematicamente, a vitória na classificação da montanha do Giro d’Italia, após a 18.ª etapa, a caminho de ser o primeiro português ‘rei’ desta tabela numa das três grandes Voltas.

Ruben Guerreiro quase ‘rei’ da montanha com abandono de Visconti
Photo Credits: LaPresse

Depois do dia de hoje, em que o ciclista português, que já tinha vencido a nona etapa, somou 36 pontos, sobram 98 pontos que um ciclista pode somar até domingo, em Milão, e todos apenas no sábado, com duas subidas de primeira categoria (40 pontos cada) e uma de segunda (18).

A vantagem de Guerreiro, que soma 234 pontos, para o belga Thomas de Gendt (Lotto Soudal), segundo com 122, é de 112 pontos, pelo que a vitória está assegurada para o luso, num feito inédito para Portugal em classificações secundárias de voltas a Itália, França e Espanha.

Ruben Guerreiro vencedor virtual da classificação da montanha do Giro d’Italia
Photo Credits: LaPresse

O triunfo de hoje até começou antes da própria partida, em Pinzolo, com o abandono do italiano Giovanni Visconti (Vini Zabù-KTM), por lesão, um dia depois de ter sido ‘destronado’ por Guerreiro, numa altura em que somava 148 pontos.

Visconti já tinha ‘roubado’ a camisola ao português de Pegões, no concelho do Montijo, mas o luso conseguiu reavê-la e, hoje, confirmou a azul até ao final, num dia em que João Almeida (Deceuninck-QuickStep) perdeu a camisola rosa e a camisola branca, da juventude.

Ruben Guerreiro vencedor virtual da classificação da montanha do Giro d’Italia
Photo Credits: LaPresse

Hoje, o homem da Education First cortou a meta em 36.º lugar após integrar a fuga do dia, aproveitando o resultado para subir seis posições na geral, para o 37.º posto.

Ruben Guerreiro vencedor virtual da classificação da montanha do Giro d’Italia
Photo Credits: LaPresse

Para confirmar o feito, Ruben Guerreiro, que hoje passou em primeiro no Campo Carlo Magno e em segundo no Passo Castrin, precisa de terminar a prova, faltando três etapas, na sexta-feira, sábado e domingo, dia em que o Giro termina com um contrarrelógio em Milão.