Filippo Ganna (INEOS) voltou hoje a mostrar-se imbatível em contrarrelógios, ao vencer a sua terceira etapa no Giro d’Italia, João Almeida (Deceuninck-QuickStep) ficou mais líder da geral.

Filippo Ganna ganha terceira etapa, João Almeida reforça a Maglia Rosa
Foto: Jennifer Lorenzini/LaPresse

Ganna, que já tinha vencido o ‘crono’ inaugural e também a quinta etapa, cumpriu os 34,1 quilómetros entre Conegliano e Valdobbiadene em 42.40 minutos, 26 segundos a menos do que o australiano Rohan Dennis (INEOS), segundo, e 1.09 minutos relativamente ao norte-americano Brandon McNulty (UAE Emirates), terceiro.

Nas geral individual, João Almeida aproveitou o bom registo, a 1.31 do vencedor, para ganhar tempo a quase todos os adversários do ‘top 10′, à exceção de McNulty, e lidera agora com 56 segundos de vantagem sobre o holandês Wilco Kelderman (Sunweb), segundo, e 2.11 minutos para o espanhol Pello Bilbao (Bahrain-McLaren), terceiro.

João Almeida Maglia Rosa
Foto Gian Mattia D’Alberto/LaPresse

Filippo Ganna ‘voou’ no contrarrelógio e foi o único a baixar dos 43 minutos no traçado, que incluía a subida do ‘Muro’ do Poggio como principal dificuldade, com pendentes de inclinação acima de 12%.

Filippo Ganna ganha terceira etapa, João Almeida reforça a Maglia Rosa
Foto Marco Alpozzi/LaPresse

O campeão do mundo não teve dificuldades em confirmar o amplo favoritismo de que gozava para esta tirada, mesmo com o ‘esforço’ de ter andado em fuga na quinta etapa, que também venceu, e terá ainda a oportunidade de tentar uma quarta vitória na 21.ª e última etapa, no ‘crono’ final, em Milão.

Foto Marco Alpozzi/LaPresse

“Todas as vitórias são importantes para mim. Temos uma boa equipa e estou muito feliz. (…) Tenho de poupar energia para chegar a Milão, não passar muito frio e proteger-me. Tenho esse contrarrelógio como objetivo”, atirou.

João Almeida Maglia Rosa
Foto Fabio Ferrari/LaPresse

Com o italiano na ‘cadeira quente’ durante grande parte da corrida, sucederam-se os pretendentes a substituí-lo, mas nem o colega de equipa Dennis, nem McNulty, o único dos ciclistas de ‘olho’ na geral a fazer melhor que João Almeida, conseguiram superá-lo.

João Almeida Maglia Rosa
Foto Gian Mattia D’Alberto/LaPresse

‘Resolvida’ a questão de quem venceria a etapa, seguiu-se a luta pela geral, em que o líder português deu nova prova, não só de regularidade, mas também de força, ao ganhar tempo a todos os principais adversários.

Foto Marco Alpozzi/LaPresse

Da geral, só Kelderman se aproximou da ideia de ser líder, mas o quarto e último setor acabou por deitar por terra essa ambição e ainda acabou a perder tempo para o português, que lhe ganhou 16 segundos e deixou Bilbao a 2.11 minutos.

João Almeida Maglia Rosa
Foto Marco Alpozzi/LaPress

McNulty acabou por retirar dividendos do desempenho, ao subir ao quarto lugar na geral, do 11.º posto, e está agora a 2.23, enquanto o italiano Vincenzo Nibali (Trek-Segafredo) segue em quinto, a 2.30, com o polaco Rafa Majka (BORA-hansgrohe) a subir a sexto, com o mesmo tempo do italiano Domenico Pozzovivo (NTT), ambos a 2.33 de Almeida.

Foto Gian Mattia D’Alberto/LaPresse

O ‘top 10′ fecha com um colega de equipa do português, o italiano Fausto Masnada, no oitavo lugar, o austríaco Patrick Konrad (BORA-hansgrohe), um dos derrotados do dia, em nono, e o australiano Jai Hindley (Sunweb) em 10.º.

Foto Marco Alpozzi/LaPresse

O português Ruben Guerreiro (Education First) gozou um dia tranquilo enquanto líder da montanha e reforçou a posição na geral, ao subir ao 25.º posto, após obter o 44.º melhor registo no ‘crono’.

No domingo, a 15.ª etapa apresenta 185 quilómetros a partir da Base Aérea de Rivolto, num dia de alta montanha, que culmina com a subida de primeira categoria a Piancavallo, antes do segundo e último dia de descanso, na segunda-feira.