Congresso Internacional de Ciclismo

235
“Pistas para o Futuro” será o tema do Congresso Internacional de Ciclismo que decorrerá, nos dias 6 e 7 de julho, no Cine-Teatro de Anadia, numa organização da Federação Portuguesa de Ciclismo. A iniciativa contará com a participação de Pat McQuaid, Jean-Marie Leblanc, Wojciech Walkiewicz, Mario Zorzoli e José Luís Algarra.

Ao longo dos dois dias do Congresso organizado pela Federação Portuguesa de Ciclismo será debatido o ciclismo em toda a sua variedade, desde o ciclismo profissional às escolas da modalidade, passando pela utilização da bicicleta como meio de deslocação, de lazer e de afirmação de uma nova cultura urbana, sem esquecer a vertente científica, o combate à dopagem ou o ciclismo enquanto actividade económica.

A iniciativa vai contar com um forte contingente estrangeiro, do qual farão parte o presidente da União Ciclista Internacional (UCI), Pat McQuaid, o presidente da União Europeia de Ciclismo, Wojciech Walkiewicz, o histórico director da Volta a França Jean-Marie Leblanc, o professor José Luis Algarra, ex-director-técnico da Federação Portuguesa de Ciclismo, e o responsável médico da UCI, Mario Zorzoli.

Recorde-se que a realização do Congresso resulta de uma proposta apresentada pelos delegados da Associação de Ciclismo do Minho à Assembleia-Geral da Federação Portuguesa de Ciclismo. A proposta dos delegados minhotos, aprovada a 20 de Novembro de 2010 pelo órgão máximo federativo, sugere que o Congresso promova a reflexão sobre o desporto e o ciclismo, perspetive o futuro da modalidade em Portugal e contribua para a (re)definição de estratégias de desenvolvimento.

“O ciclismo é uma modalidade extremamente completa e complexa, com inúmeras vertentes e disciplinas. Toda esta panóplia de motivos de interesse estará presente no Congresso, uma iniciativa que visa analisar o presente da modalidade, tendo por base o conhecimento que transportamos do passado mas sempre com uma meta em vista: encontrar respostas para que a modalidade possa continuar a evoluir no futuro”, afirma o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Artur Lopes.

O presidente do Congresso Internacional de Ciclismo, Paulo Vaz, reitera “a importância deste evento no sentido de encontrar pistas para o futuro da modalidade”. “É por isso que estamos a trabalhar na definição de um programa ambicioso, que terá cerca de dez painéis de debate e perto de quarenta intervenções de fundo e que será divulgado em breve”, concluiu.

Fonte: AC do Minho

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome