Yerka, a bicicleta impossível de roubar

397

Três chilenos dizem ter resolvido um problema demasiado frequente e que assombra os sonhos dos ciclistas. Criaram a YERKA, uma bicicleta que, dizem, é impossível de roubar.

9Os roubos de bicicletas são tão frequentes que é provável que já tenha acontecido a si ou a um amigo. Por ser um problema global, três empreendedores chilenos conceberam a YERKA, uma bicicleta que garantem ser a primeira bicicleta impossível de roubar. Para que um malfeitor consiga levar consigo a bicicleta, garantem os criadores, terá de a serrar ao meio, deixando-a inutilizável.

8Um dos inventores da YERKA viu a sua bicicleta ser roubada não uma, mas duas vezes. Antes que acontecesse uma terceira vez, aliou-se a dois colegas da universidade e criou o design e um protótipo de uma bicicleta cuja parte inferior do quadro se abre e é usado o alumínio do selim para bloquear a bicicleta a um poste ou árvore. Sem necessitar de cadeados, a bicicleta fica presa em menos de 10 de segundos, dizem os criadores. Também é rápido desbloquear o sistema para poder utilizar a bicicleta.

6Cristóbal Cabello, Andrés Roi Eggers e Juan José Monsalve, com idades entre 22 e 24, começaram com um investimento de 100 mil dólares por parte de um fundo estatal para o empreendedorismo e, para produzir em quantidade, recorreram ao crowdfunding através do site Indiegogo.

9Durante a campanha já foram vendidas 197 bicicletas, metade das quais encomendas provenientes dos EUA. As primeiras 100 bicicletas foram vendidas a 400 dólares e, depois, o preço aumentou para 500 dólares por unidade. A ideia é aumentar o preço para 600 dólares, incluindo alguma tecnologia bluetooth para associar a uma app no telemóvel e um sistema reforçado para evitar o roubo das rodas.

7“Nos próximos quatro anos, o nosso objetivo é vender quase 300 unidades por mês, em todo o mundo”, dizem os fundadores da startup. “Mas o mais importante é que os nossos clientes digam a bicicleta é fantástica. Gostámos dela e vamos passar palavra“.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome