O Velódromo Nacional, em Sangalhos, Anadia, comemora hoje o décimo aniversário da inauguração. São dez anos de evolução permanente, com novos desafios por diante.

Quando Alves Barbosa foi o primeiro a dar a volta aos 250 metros da pista, em 11 de setembro de 2009, abriu-se um novo capítulo na História do ciclismo em Portugal.

“A inauguração do Velódromo Nacional foi a oportunidade de o ciclismo português assumir uma verdadeira cultura global de alto rendimento, alinhada com as melhores práticas internacionais. Esta infraestrutura veio permitir desenvolver a vertente de pista, mas também o trabalho de qualidade, científico, nas restantes vertentes do ciclismo, contribuindo para mostrar novos talentos nacionais ao mundo e para a conquista de resultados de relevo”, lembra o presidente da Federação Portuguesa de Ciclismo, Delmino Pereira.

A verdade é que, desde a inauguração do Velódromo Nacional, que também é o Centro de Alto Rendimento ao serviço desta modalidade, o ciclismo português conquistou 37 medalhas em grandes competições internacionais – Campeonatos do Mundo, Campeonatos da Europa e Jogos Europeus -, nas vertentes de pista, estrada, BTT e paraciclismo. Este foi o período mais profícuo da História do ciclismo português ao nível dos resultados de alto rendimento desportivo, nas categorias de juniores, sub-23 e elite.

Ao longo de dez anos, o Velódromo Nacional assistiu ao surgimento de novos campeões e ao trabalho de base para o desenvolvimento de talentos, num desempenho meritório de toda a equipa técnica nacional, alicerçado no apoio da Câmara Municipal de Anadia, Instituto Português do Desporto e Juventude, Fundação do Desporto, Comité Olímpico de Portugal e Comité Paralímpico de Portugal.

Grandes nomes do ciclismo internacional têm também passado pelo Velódromo Nacional, durante as competições internacionais ali realizadas na última década, assim como em estágios de preparação para os maiores eventos internacionais.

O Velódromo Nacional foi palco do Campeonato do Mundo para Masters, em 2009, que serviu de teste para a realização de cinco edições do Campeonato da Europa de Sub-23 e Juniores (2011, 2012, 2013, 2014 e 2017). Esta competição de referência para os valores mais jovens irá regressar a Sangalhos em 2020, de 14 a 19 de julho, sendo um palco privilegiado para o último teste de muitos dos corredores que vão competir nos Jogos Olímpicos, estando Portugal na luta pela qualificação, pela primeira vez, para as provas de pista do maior evento desportivo global. Algo só possível com a existência da infraestrutura que hoje comemora o décimo aniversário.

Ao longo destes dez anos, o Velódromo Nacional ganhou companhia: ao lado nasceu a pista olímpica de BMX e, no mesmo concelho, a pista permanente de BTT (XCO) da Curia. Esta integração de várias vertentes da modalidade e a competência demonstrada pelo ciclismo português, levou a UCI a distinguir o Centro de Alto Rendimento de Anadia como Centro Continental Europeu do Centro Mundial de Ciclismo.

O grande desafio para o futuro passa por dinamizar este Centro, transformando-o numa estrutura de referência a nível internacional.

Próximas provas de pista no Velódromo Nacional:

7 de dezembro: 1.ª Prova da Taça de Portugal – Troféu José Bento Pessoa
18 de janeiro: 2.ª Prova da Taça de Portugal – Troféu Alves Barbosa
25 de janeiro: 3.ª Prova da Taça de Portugal – Troféu SUNLIVE
1 e 2 de fevereiro: Campeonato Nacional
7 a 9 de fevereiro: Grande Prémio Internacional de Anadia
14 a 19 de julho: Campeonato da Europa para Sub-23 e Juniores

Deixar uma resposta