Para a Trek-Pirelli (Trek Selle San Marco na altura) o Cape Epic 2019 foi memorável por duas razões contrárias, embora apenas uma delas tenha sido positiva.

Trek-Pirelli a caminho de mais uma tentativa ao título do Cape Epic
Photo by Sam Clark

Primeiramente, um terceiro lugar na geral para Damiano Ferraro e Samuele Porro. Em segundo lugar, um horrível acidente na linha de meta que terminou a corrida para Michele Casagrande e Fabian Rabensteiner.

Em 2020, Damiano Ferraro e Samuele Porro competirão pela Trek-Pirelli 1 numa tentativa de melhorar o terceiro lugar no Absa Cape Epic 2019, onde terminaram atrás da SCOTT-SRAM MTB-Racing e Cannondale Factory Racing.

O ano passado não foi a primeira vez que os dois italianos pisaram no pódio. Antes da edição de 2019, no seu primeiro encontro com a Untamed African MTB Race em 2016, Ferraro e Porro percorreram o seu caminho até ao terceiro lugar, atrás da Bulls e da Centurion Vaude by Meerendal 2.

É interessante notar que o Cape Epic 2020 e 2016 têm distâncias e acumulados de subida semelhantes e, visitarão vários locais e trilhos familiares; algo que pode reforçar as esperanças dos italianos, dada a sua última atuação nas regiões.

Trek-Pirelli a caminho de mais uma tentativa ao título do Cape Epic
Photo by Nick Muzik

“O tempo voa, mas eu ir-me-ei sempre lembrar da última vez que visitámos estas regiões” reflectiu Samuele Porro sobre a sua última visita a Ceres, Tulbagh e arredores. “Dias realmente técnicos e super quentes – as minhas melhores condições para correr. O Cape Epic é dura para o corpo, mas também para a mente, portanto, tentaremos focar-nos nas nossas próprias forças e na nossa própria corrida, sem pensar muito no desempenho das outras equipas de fábrica.”

“O terceiro lugar do ano passado foi um resultado que nos deu confiança para entrar em 2020, mas cada edição do Cape Epic é uma história diferente”, explicou Damiano Ferraro quando questionado sobre a posição da equipa frente à corrida de 2020. “Ter vários Cape Epic’s de experiência com certeza ajuda muito e oferece a experiência necessária para gerir as demandas físicas, emocionais e mecânicas – o mais importante é que dá uma ideia clara do terreno que você encontrará. Estou empolgado por competir com Samuele novamente – entendemo-nos sem precisar falar. ”

A rota técnica e exigente para 2020 no Cape Epic promete testar cada piloto e os seus equipamentos de todas as maneiras possíveis. O desastre nunca está a menos de uma fração de segundos, algo que foi comprovado no ano passado pela Trek-Pirelli 2 (Trek Selle San Marco 2 na altura) quando Michele Casagrande e Fabian Rabensteiner saíram da corrida depois de cruzarem os guiadores na linha de meta da 5ª etapa.

Casagrande e Rabensteiner recuperaram-se após o infeliz encontro com a Untamed e terminaram 2019 com uma nota positiva, quando reivindicaram a vitória geral no Swiss Epic do Cantão de Graubünden, na Suíça.

“A vitória do Swiss Epic foi realmente importante para mim e Fabian, especialmente após o final infeliz da Cape Epic de 2019”, admitiu Casagrande. “Precisávamos de um resultado positivo para recuperar a confiança e o reconhecimento de que podemos lutar ao mais alto nível. Em 2020, queremos melhorar os nossos resultados anteriores e estamos a trabalhar no duro para garantir que possamos. ”

Trek-Pirelli a caminho de mais uma tentativa ao título do Cape Epic
Photo by Mark Sampson

“Existiram muitos momentos bonitos no Cape Epic para mim, mas o melhor foi a nossa vitória na Grand Finale em Val de Vie em 2018”, refletiu Rabensteiner. “Eu, espero certamente, uma corrida melhor do que no ano passado! O nosso treino está a correr bem e esperamos um excelente Absa Cape Epic em 2020. ”

Com 647 quilómetros de trilhos cansativos, 15 550 metros de subida acumulada, bem como os melhores ciclistas de montanha do mundo, a Trek-Pirelli 1 e 2 têm uma desafiadora Absa Cape Epic pela frente, mas vale a pena ficar de olhos postos nestas duas equipas.

Sintonize a transmissão ao vivo de toda a ação do Cape Epic, de 15 a 22 de março de 2020 em www.cape-epic.com.