TransPortugalRace 2015 by Garmin – Day 2

472

TransPortugalRace 2015 by GarminO TransPortugal não é só para atletas. Qualquer um pode acompanhar a prova no local, passear, visitar os monumentos e lambuzar-se com as melhores iguarias do mundo (uma dura realidade para os adeptos de dietas). Se andas a bezerrar por casa, deprimida, despenteada e de roupão, vem daí ver estas “belezas” nos melhores spots do país! Isto aplica-se a mulheres e homens, porque ser uma Dona de Casa Desesperada é um estado de espírito e podes optar por não ser mais uma.

TransPortugalRace 2015 by Garmin - Day 2 goProAlém disso, há atletas que não conseguem estar separados/as dos seus parceiros/as. Chamem-lhe química, cheiro, universo a conspirar, almas gémeas, paixão, amor, amor. E assim temos por cá 13 acompanhantes de atletas: 11 mulheres, uma menina e um cavalheiro (adoro esta palavra).

A Christel Strauss de Upington (Northern Cape, África do Sul) foi professora durante 26 anos antes de ter o seu negócio de NBI (coaching, algo assim). Christel adora acompanhar o marido, François Strauss (531 – 78o hoje). A brasileira Izabella Testa veio ao TransPortugal com o marido Leonardo dos Santos (522 – 21o de hoje) e a filha Luana. A Izabella gere duas franquias em Araxá, Minas Gerais, a CacauShow e a The Love Brands (eu sabia!). “Como fizeste para poder vir Izabella?” “Muito planeamento”, responde. A Maria Teresa dos Santos, também brasileita, apressa-se a concordar. Maria Teresa teve de tirar uma licença para vir acompanhar o Clécio Bazanelli (521 – 50o lugar), pois é professora de inglês e o ano lectivo está em curso. Maria Teresa é de Ibitinga, capital do bordado, no Estado de São Paulo. Jacki, de Cape Town, é uma fotografa freelancer, o que lhe permitiu acompanhar o seu adorado TJ Duncan (544 –84oda etapa), sul africano, a trabalhar para a Sky, em Londres. TJ confessa que não treinou o suficiente, mas sorri: Jacki dá-lhe imenso apoio, tem sempre prontas as recovery drinks. Coraçõezinhos flutuam no ar. Se elas conseguiram vir, tu também consegues.

TransPortugalRace 2015 by Garmin - Day 2 paisagemTalvez devido à Cape Epic race, talvez porque sim, temos 15 atletas da África do Sul no TransPortugal deste ano. Malcolm Dods (310) chegou em 5o. A propósito, o Malcolm veio com a Leslee. Cuidado com ele: é o criador do nickname “Mestre da Dor”. Herman Heunis (558) ficou em 9o lugar na etapa de hoje. O sul africano seguinte foi Graeme Cumming (547) em 31o. Matthieux Miller (552) e Vaugh Roux (553) chegaram ex-aequo no 34o lugar. Kelvin Bingham (508) ficou em 47o. Kelvin é o atleta mais novo em prova. Tem 21 anos, parece um príncipe e pedala com o pai, Derrick Bingham (507), que ficou em 48º hoje. Kelvin, já não és um puto, mesmo que o Derrick pense o contrário. Ah, e a mãe é portuguesa, de Guimarães.

James Jacobs (510) e Louise Rensburg (541) estão ambos no 67o lugar da etapa. Os seguintes foram Nicolaas Jacobs (540) em 72o lugar, Robert Viljoen (509) e Adriaan Strauss (480) juntos no 74º, François Strauss (531) no 78o e finalmente Bertus Kilian (530) e TJ Duncan (544) ambos no 84o lugar.

TransPortugalRace 2015 by Garmin - Day 2 rioQue dia! A etapa foi ganha pela Kate Aardal (341, NO), em segundo lugar ficou o Alexandre Guilhoto (564, PT), seguido pelos Pat Dodge (446, CA), Ricardo Gonçalves (549, PT) e Malcolm Dods (310, SA).

E finalmente temos o Zbigniew Wizner (423)! Querem um drama épico dos tempos modernos, entre um filme da Disney (porque o Zbigniew é a pessoa mais simpática do mundo) e o The Terminal? O Zbigniew é polaco, mas vive em Estocolmo, onde tem uma empresa de construção. O plano era chegar directamente a Lisboa, com a TAP, na sexta à noite. Tudo confirmadíssimo, sem stresses. Pois… era, mas não foi. O Zbigniew ficou sucessivamente retido em aeroportos, primeiro em Estocolmo, depois em Bruxeles, já num qualquer plano B que o traria até ao Porto no Sábado. Desistir? Nem pensar. O Zbigniew veio direitinho via: Bruxelas, Francoforte, Genebra e Porto. Ele chegou. Mas a bagagem não, nem a bicicleta. E assim o Zbigniew perdeu a primeira etapa. A bicicleta acabou por chegar e foi o suficiente: Zbigniew meteu-se numa loja desportiva e comprou tudo o resto. Ainda sem bagagem, Zbigniew atirou-se à montanha para sacar um fantástico 11º lugar na segunda etapa. Fryderyk Franciszek Chopin (aka Frédéric Chopin), o polaco, fez música para pessoas assim.

Então e que me dizes acerca da Polónia? E o homem só me falava do BTT: as Tatra, as montanhas mais elevadas da Polónia, e a Beskidy MTB Trophy, a mais dura prova da Europa Central. Por isso o Zbigniew é tão fantástico. O BTT está-lhe no sangue.

TransPortugalRace 2015 by Garmin - Day 2 viewA 3ª etapa amanhã vai da Guarda até às Penhas da Saúde. São 95km com 3376m de ganho de elevação. Começam com a descida romana do Tintinolho: 3 km de descida técnica, em calçada romana, para sacudir o esqueleto. Assim se prepara a subidinha seguinte, Santinha (1595m), coisa levezinha, a julgar aqui pelo perfilzinho (diminutivos ajudam sempre em subidas) &%$#! Mas o ponto mais alto será já em Piornos. 1610m de altitude, já perto do final. A subida de Manteigas para Piornos é a mais longa de toda a prova: 19 km de subida com um acumulado de cerca de 1000m. O lado bom (LOL) é o vale glaciar da Serra da Estrela. Paisagens espectaculares para suavizar a aspereza da subida. Vá, eu sei que vão praguejar, pois vão?

Em 12 de Maio de 1958, “Nee Nee Na Na Na Na Nu Nu” dos Dicky Doo & The Don’ts atingiram o top. Neste 12 de Maio, tu vais-te nee nee na na na nu nu na terceira etapa do TransPortugal. Tenta chegar inteiro. Mas gosto de ti de qualquer maneira. Desesperadamente.

Galeria de Fotos AQUI

Mais informações em www.ciclonatur.pt, siga todas as novidades no Facebook da TransPortugal.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome