Tour du Pays de Vaud | Furo no contrarrelógio coletivo condiciona resultado

56

A Equipa Portugal começou com o pedal esquerdo a participação no Tour du Pays de Vaud, prova suíça da Taça das Nações de juniores, uma vez que um furo de Guilherme Mota condicionou o desempenho coletivo no contrarrelógio por equipas de hoje.

Os 4,6 quilómetros de luta contra o tempo por equipas, percorridos em Lausanne, permitiram fazer a primeira seleção de valores. A Equipa Portugal terminou a primeira etapa no 13.º lugar, entre 20 nações.

“Com cerca de 250 metros percorridos, o Guilherme Mota furou. Como ia no meio do grupo, acabou por desorganizar o trabalho coletivo, porque a equipa ficou partida. Não correu da melhor maneira, mas só desejo que todos os azares sejam estes. Agora vamos pensar na difícil etapa de amanhã”, afirma o selecionador nacional, José Poeira.

A Equipa Portugal completou o percurso em 5m52s, mais 19,25 segundos do que a formação holandesa, que triunfou. Afonso Silva, Diogo Ribeiro, Francisco Guerreiro, Pedro Andrade e Wilson Esperança chegaram todos com o mesmo tempo. Guilherme Mota, que teve de trocar de bicicleta, na sequência do furo, foi o único que se atrasou.

A segunda etapa corre-se nesta sexta-feira, uma ligação de 119,6 quilómetros, entre Missy e Bioley-Magnoux, com partida às 14h20.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome