Tour de France 10ª Etapa: Vincenzo Nibali Vence

273
Vincenzo Nibali aproveitou hoje a desistência de Alberto Contador para, numa demonstração de força, assumir-se como o principal candidato ao triunfo final na Volta a França em bicicleta.

O italiano da Astana lançou um ataque fulminante na subida para La Planche des Belles Filles, o primeiro final de primeira categoria da 101.ª
edição do Tour, deixou plantados os novos candidatos ao pódio, entre os quais o português Rui Costa (Lampre-Merida), ergueu os braços para celebrar a sua segunda vitória de etapa e voltou a vestir de amarelo, num dia em que Alberto Contador (Tinkoff-Saxo), o último dos vencedores presentes, disse adeus, devido a uma queda.

“Hoje senti-me bem, com boas pernas”, resumiu o “Tubarão do Estreito” que, aos 29 anos, está mais perto de vencer a sua primeira Volta a França e fazer o pleno nas grandes do ciclismo (venceu a Vuelta2010 e o Giro2013).

Esperavam-se 161,5 quilómetros agitados entre entre Mulhouse e La Planche des Belles, mas nem tanto. Primeiro, foram as fugas, convertidas numa única numerosa, com nomes importantes como Peter Sagan (Cannondale), Joaquim Rodriguez (Katusha), Thomas Voeckler (Europcar) e, sobretudo, o vencedor da véspera, Tony Martin, e o seu colega e homem da geral da Omega Pharma-Quickstep, Michel Kwiatkowski.

Depois, o drama: Tiago Machado, terceiro da geral, caiu, a organização do Tour indicou na sua transmissão em direto na página oficial da corrida que tinha abandonado, uma desistência prontamente desmentida pela NetApp-Endura e posteriormente pela ASO, que publicou uma foto do “bravo Tiago”.

Momentos depois, o espanhol Alberto Contador deixava a Volta a França órfã de vencedores, na sequência de uma queda que a transmissão televisiva não apanhou, mas que o deixou com a bicicleta e um sapato desfeitos, um joelho ligado e um sonho destroçado, com o abandono a ser feito em lágrimas.

Enquanto isso, e já com a Astana, que resolveu puxar enquanto Contador ainda estava a ponderar se desistia ou não, mais moderada na frente do grupo dos favoritos, Kwiatkowski e Rodriguez revezaram-se na frente, com o espanhol, terceiro classificado do Tour2013, a conseguir ultrapassar o polaco rumo à primeira categoria em La Planche des Belles Filles e, parecia, à vitória de etapa.

Mas lá atrás, Nibali só aguardava o momento certo para desferir o ataque que deixou todos os outros, agora favoritos, parados e em dificuldade, entre os quais Rui Costa, que, apesar da ajuda de Chris Horner, perdeu 01.06 minutos na meta — ainda assim, o campeão do mundo subiu ao nono lugar da geral, a 03.58.

Meticuloso, o homem mais consistente nas grandes Voltas nos últimos quatro anos, que na véspera tinha “emprestado” a amarela ao francês Tony Gallopin (Lotto-Belisol), para não obrigar a Astana a trabalhar hoje, recuperou a liderança da geral, ao mesmo tempo que, isolado e de dedo na boca, festejava o seu segundo triunfo neste Tour, parando o cronómetro da etapa em 4:27.26 horas.
Nibali parece agora destinado a vencer a sua primeira Volta a França. Os seus grandes adversários são, agora, o australiano Richie Porte, o plano B da Sky depois do abandono de Chris Froome e segundo classificado a 02.23 minutos, e o espanhol Alejandro Valverde (Movistar), terceiro a 02.47.

Na terça-feira, o pelotão tem o seu primeiro respiro, no primeiro dos dois dias de descanso desta edição, antes de retomar o seu percurso, na 11.ª etapa, uma ligação de 187,5 quilómetros entre Besançon e Oyonnax.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome