Tour da Colômbia fortalece EFAPEL

125

A Equipa Profissional de Ciclismo EFAPEL está de regresso a casa, após seis etapas de dureza extrema por terras colombianas, mas que tornaram a equipa “mais forte, unida e destemida”, afirmou Américo Silva, diretor desportivo da equipa.

O Tour da Colômbia 2.1 UCI, a volta mais importante disputada neste país, conseguiu impressionar toda a estrutura de Ovar, “pela forma como nos receberam e pelo hino ao ciclismo que representou cada etapa e cada momento”, sublinhou o dirigente.

PUB

A correr ao lado de alguns dos melhores do mundo estiveram Bruno Silva, Fabricio Ferrari, Jóni Brandão, Marcos Jurado, Rafael Silva e Sérgio Paulinho. Dos seis corredores que alinharam entre 12 e 17 de fevereiro no Tour da Colômbia, apenas três resistiram e chegaram ao final da competição.

Os restantes não resistiram às adversidades que tiveram de enfrentar, com destaque para a adaptação à altitude, principal inimigo do plantel EFAPEL.

Sérgio Paulinho foi o primeiro a ser vítima da altitude, desistindo na terceira etapa. Seguiram-se Bruno Silva e Jóni Brandão, ambos a não resistir na penúltima etapa, este sábado, dia 16.

No arranque da prova, com um contrarrelógio por equipas, a EFAPEL posicionou-se em 25.º lugar entre as 28 participantes. No dia seguinte mostrou-se forte coletivamente e colocou três corredores com o mesmo tempo do vencedor: Rafael Silva, Bruno Silva e Jóni Brandão.

A terceira etapa, a 2300 metros de altitude, foi o dia que reduziu a equipa a cinco unidades, mas ainda assim, o trabalho coletivo fez subir à 23.ª posição da Geral por Equipas. Sexta-feira correu-se a quarta etapa, dominada pela alta velocidade, a uma média louca de 46,8 km/ hora, onde a EFAPEL foi protagonista de uma fuga com Marcos Jurado.

Com a quinta etapa surgiu a alta montanha ao longo de 180 km em circuito, marcados por uma queda inicial que envolveu Rafael Silva e Bruno Silva. O primeiro ainda resistiu, mas Bruno, com Jóni Brandão, não terminaram a prova, porque fisicamente não se sentiam bem. Reduzida a três corredores, a equipa prosseguiu ontem, domingo, destemida rumo à derradeira etapa na Colômbia, a Etapa Rainha da competição.

“Foi uma prova muito dura devido à altitude, onde o andamento que foi imprimido tanto pelas equipas do World Tour como de todas as colombianas em nada nos favoreceu. Contudo, para a nossa primeira participação e sem o trabalho que corresponde a estar numa corrida deste género, não se podia pedir muito mais. Regressamos com um sentimento de dever cumprido e de cabeça erguida, mais fortes do que quando chegámos”, avançou Américo Silva.

“Cada etapa foi um hino ao ciclismo, que deixou todos os participantes impressionados, o que nos faz deixar os nossos agradecimentos ao Presidente da Federação Colombiana de Ciclismo, Jorge Ovidio González”, rematou o diretor desportivo da EFAPEL.

A equipa já está de regresso a Portugal e vai agora concentrar todas as atenções na 45.ª Volta ao Algarve, que vai disputar-se já a partir desta quarta-feira, dia 20, até domingo, dia 24 de fevereiro.

CLASSIFICAÇÃO GERAL
Tour da Colômbia 2.1 UCI
1.º Miguel Angel Lopez (Astana Pro Team), 18h38m32s
80.º Marcos Jurado (EFAPEL), a 45m12s
125.º Rafael Silva (EFAPEL), a 01h12m26s
127.º Fabricio Ferrari (EFAPEL), a 01h13m08s

CLASSIFICAÇÃO GERAL POR EQUIPAS
1.º EF Education First, 55h31m27s
26.º EFAPEL, a 02h26m15s

Deixar uma resposta