Tiago Ferreira vence pelo terceiro ano seguido no segundo dia da Brasil Ride, e agora tem 1min13seg de vantagem na elite masculina. Na elite feminina, Jaqueline Morão e Cindy Montambault são as vencedoras.

© Marcelo Rypl / Brasil Ride

Tiago Ferreira, ao lado de seu companheiro de equipe DMT Racing Team, o holandês Hans Becking, confirmou nesta segunda-feira o favoritismo da segunda etapa da Brasil Ride. Após vencer nos dois anos anteriores na prova entre Arraial d’Ajuda, em Porto Seguro, e Guaratinga, ao lado do belga Roel Paulissen (2016) e de José Dias (2017), respectivamente, Tiago Ferreira conseguiu o terceiro triunfo consecutivo desde que a ultramaratona mudou-se para o extremo Sul da Bahia.

PUB
© Fabio Piva / Brasil Ride

A vitória veio em 4h39min59seg, 3min19 à frente do brasileiro Henrique Avancini e o alemão Manuel Fumic, da Cannondale Factory Racing, o que garantiu a Tiago Ferreira e Hans Becking a liderança da competição com 1min13 à frente de Avancini e Fumic.

Com 131 km de extensão, a segunda etapa teve seis duplas na liderança entre os km 20 e 95. Além Ferreira/Becking e Avancini/Fumic, que atacaram os rivais na proximidade do km 100, estiveram no pelotão dianteiro as duplas Hugo Prado Neto (BRA) e Roel Paulissen, OCE/Cannondale, terceiro colocados do dia, Alexey Medvedev (RUS) e Francesco Failli (ITA), Specialized Itália, Lukas Kaufmann (BRA) e Sherman Trezza (BRA), Cannondale Brasil Racing, e Sebastian Fini (DIN) e Martins Blums (LAT), CST Sandd American Eagle MTB Racing Team, entre a quarta e a sexta posição, as quatro duplas terminaram com menos de um minuto de diferença.

© Fabio Piva / Brasil Ride

“A Brasil Ride na verdade começou nesta segunda-feira. Ganhar esta etapa é importante, e ainda abrimos vantagem para os principais candidatos, o que foi melhor ainda. Muito feliz por ter ganho três vezes a segunda etapa nas últimas três épocas, sempre com parceiros diferentes”, comemorou Tiago Ferreira. “O Hans e eu trabalhamos muito bem juntos e entendemo-nos, além de termos uma maneira de competir semelhante. Assim, sabemos que estamos em condições de disputar o título da Brasil Ride”, completou Tiago Ferreira, campeão da prova em 2012.

© Fabio Piva / Brasil Ride

“Foi um dia em que o pelotão andou muito tempo junto. No começo da prova tínhamos muito barro pelo caminho e eu não me sentia tão bem. Para ser sincero, não foi uma etapa boa para mim, as minhas pernas não estavam boas. O Tiago foi o motor da nossa equipe e eu apenas o segui. Geralmente o primeiro longo dia nas ultramaratonas são maus para mim e ganhar foi algo realmente bom e significativo para o resto da semana. Foram apenas dois dias. Ainda à muita competição pela frente”, avaliou o holandês Hans Becking, bicampeão da Brasil Ride (2014/2015).

José Dias e Sanderson Celso fizeram o 9º lugar e na geral estão em 10º lugar.

© Fabio Piva / Brasil Ride

Assim como o prólogo, a segunda etapa foi marcada por muita lama na saída de Porto Seguro e chuva na região da Guaratinga.

© Fabio Piva / Brasil Ride

Na disputa entre as mulheres, o triunfo novamente foi da dupla formada entre a atual campeã brasileira Jaqueline Mourão e a canadense Cindy Montambault, Jacky & Cindy. Desta vez, a diferença para a segunda posição foi pequena, apenas 11 segundos para as donas da camisola de melhor equipe das Américas, Viviane Favery e Marcella Toldi, da Cannondale Brasil Women, que completaram em 6h11min41seg. O top 3 do dia teve ainda as espanholas Sandra Santaynes e Anna Ramirez. Ilda Pereira e Mayalen Noriega fizeram o 6º lugar e na geral estão na mesma posição.

© Fabio Piva / Brasil Ride

Em Master, Tiago Aragão e Luís Santos fizeram o 10º lugar e na geral estão na mesma posição.

Na categoria Mista, Celina Carpinteiro e José Silva venceram e já são lideres, Ana Antunes e André Rocha fizeram o 4º lugar e estão no 5º lugar.

Video dos melhores momentos da 2ª Etapa da Brasil Ride 2018:

A terceira etapa parte da cidade de Guaratinga e muda bastante em termos de paisagem. Muitas pedras, ainda no piso de terra, mas pedras como a do Corcovado. Um cenário pitoresco e diferente, passando pela lateral das pedras.

Metade do percurso é single track e o outra estradões de terra. Subidas curtas, mas bem íngremes. Trilhos de fazenda de cacau desativados.

© Fabio Piva / Brasil Ride

Top 5 após duas etapas:

Masculino:
1-Tiago Ferreira (POR) / Hans Becking (NED) – 5h31min46seg
2-Henrique Silva (NED) / Manuel Fumic (GER) – 5h32min59seg
3-Sebastian Fini (DIN) / Martins Blums (LAT) – 5h35min54seg
4-Lukas Kaufmann (BRA) / Sherman Trezza (BRA) – 5h36min06seg
5-Alexey Medvedev (RUS) / Francesco Failli (ITA) – 5h37min40seg

Feminino:
1-Jaqueline Mourão (BRA) / Cindy Montambault (CAN) – 7h18min26seg
2-Viviane Favery (BRA) / Marcella Toldi (BRA) – 7h21min28seg
3-Sandra Santanyes (ESP) / Anna Ramirez (ESP) – 7h51min37seg
4-Paula Gallan (BRA) / Franciele Almeida (BRA) – 8h04min57seg
5-Cristiane Pereira (BRA) / Eliana Pinheiro (BRA) – 8h11min22seg

As etapas restantes da Brasil Ride 2018:

Etapa 3 – Guaratinga – 77,4 km e 2.106 m de altimetria
Etapa 4 – Guaratinga – 101 km e 2.665 m de altimetria
Etapa 5 – Guaratinga para Arraial d’Ajuda – 140 km e 2.336 m de altimetria
Etapa 6 – Arraial d’Ajuda – 32,4 km e 664 m de altimetria
Etapa 7 – Arraial d’Ajuda – 43,8 km e 497 m de altimetria

Brasil Ride: Mais que uma prova, uma etapa na sua vida.

Deixar uma resposta