A quinta etapa, com 140 km entre Guaratinga e Arraial d’Ajuda, em Porto Seguro, foi intensa para os candidatos ao título da nona edição da Brasil Ride.

© Hudson Malta / Divulgação

Tiago Ferreira e o holandês Hans Becking, da DMT Racing Team, venceram nesta quinta-feira (25), mas chegaram colados e no mesmo tempo dos líderes, o brasileiro Henrique Avancini e o alemão Manuel Fumic, da Cannondale Factory Racing, na arena da Brasil Ride, após pedalarem por 5h21min27seg.

O pódio do dia teve ainda o russo Alexey Medvedev e o italiano Francesco Failli, da Specialized Itália, completando o percurso em 5h23min46seg.

© Marcelo Rypl / Brasil Ride

O dia começou mal para Tiago Ferreira e Hans Becking, com um furo do pneu dianteiro de Tiago, que saiu à caça do pelotão depois do conserto. No ponto de hidratação do km 78, a estratégia de Ferreira e Becking foi de não parar e seguir em frente, para tentar-se distanciar dos concorrentes. No entanto, a fuga foi rapidamente neutralizada pelos perseguidores aos líderes e a decisão ficou para os metros finais, no sprint de chegada.

© Fabio Piva / Brasil Ride

“Para nós esta era a melhor etapa para tentarmos recuperar o tempo perdido. Estávamos todos fortes e os líderes não demonstraram nenhuma fraqueza. Assim, continuamos com um minuto de desvantagem, embora sabemos que fizemos o nosso melhor.”, disse Hans Becking.

“Tentamos ser tranquilos até o km 70, mas próximo do km 60 furou o meu pneu dianteiro e o grupo da frente acelerou para nos tentar deixar para trás. Resolvido o problema, respondemos na mesma moeda na terceira área de apoio, porque estávamos bem e não era necessário água para nós. Abrimos distância e obrigamos os rivais a fazerem força para chegar a nós. Nos 40 km finais, o Hans forçou e ficamos apenas nossas duas duplas juntas até o fim”, contou Ferreira.

© Hudson Malta / Divulgação

Com a liderança mantida, Henrique Avancini e Manuel Fumic seguem com pouco mais de um minuto na liderança, com a vantagem de terem nesta sexta-feira a sua etapa favorita, a do cross country olímpico (XCO).

© Fabio Piva / Brasil Ride

Elite feminina – Na luta pela camisola laranja, a disputa foi equilibrada entre as atuais líderes, as espanholas Sandra Santaynes e Anna Ramirez, da Olympia / Estevez Team, e a equipe que ocupa a segunda posição e lidera a competição das Américas, formada pelas brasileiras Viviane Favery e Marcela Toldi, da Cannondale Brasil Women.

© Wladimir Togumi / Brasil Ride

Após iniciarem num ritmo controlado, Viviane e Marcela alcançaram a dupla europeia e venceram nos metros finais.

© Wladimir Togumi / Brasil Ride

Assim como na elite masculina, entre as mulheres a diferença foi mantida entre líder e vice, na casa dos 27 minutos.

Video dos melhores momentos da 5ª Etapa da Brasil Ride 2018:

Top 5 após cinco etapas:

Masculino:
1-Henrique Avancini (BRA) / Manuel Fumic (GER) – 18h01min06seg
2-Tiago Ferreira (POR) / Hans Becking (NED) – 18h02min09seg
3-Alexey Medvedev (RUS) / Francesco Failli (ITA) – 18h11min10seg
4-Hugo Prado Neto (BRA) / Roel Paulissen (BEL) – 18h19min38seg
5-Sebastian Fini (DIN) / Martins Blums (LAT) – 18h23min00seg

Feminino:
1-Sandra Santanyes (ESP) / Anna Ramirez (ESP) – 24h34min18seg
2-Viviane Favery (BRA) / Marcella Toldi (BRA) – 25h01min33seg
3-Paula Gallan (BRA) / Franciele Almeida (BRA) – 25h28min20seg
4-Ilda Pereira (POR) / Mayalen Noriega (ESP) – 26h01min20seg
5-Ivonne Kraft (GER) / Agnes Naumann (GER) – 27h04min47seg

A sexta etapa é a de cross country, com atletas divididos em duas boxes: a primeira reúne os atletas de elite, com as 60 melhores duplas classificadas, depois a segunda boxe com os restantes participantes, às 10h e 13h, respectivamente.

© Marcelo Rypl / Brasil Ride

Em cada boxe o percurso tem 8,1 km, mas as duplas tem que dar quatro voltas, num total de 32,4 km. Uma regra desta etapa é que apenas neste dia não precisam correr em duplas, podem se separar.

Cada um por si e no final tem o tempo médio dos atletas. É um percurso de 90% de single track e trilhos travados, com poucas ultrapassagens, além de raízes com muita mata atlântica. Descidas e subidas não longas.

Parte e chega no Uiki Parracho, onde o atleta passa sempre dentro da estrutura de praia.

Brasil Ride: Mais que uma prova, uma etapa na sua vida.

Deixar uma resposta