Donos da Camisola Amarela após o prólogo de abertura da Brasil Ride, o dinamarquês Sebastian Fini e o letão Martins Blums, CST Sandd American Eagle Racing Team, voltaram a vencer uma etapa da prova, nesta terça-feira (23).

© Wladimir Togumi / Brasil Ride

Com o tempo de 2h29min25 na disputa que contou com duas voltas em um circuito de 36,5 km na região de Guaratinga, Fini e Blums terminaram 2min53seg à frente do pelotão perseguidor.

O segundo classificado pelo terceiro dia seguido foi o brasileiro Henrique Avancini e o alemão Manuel Fumic, Cannondale Factory Racing, com 2h32min18seg. O russo Alexey Medvedev e o italiano Francesco Failli completaram o pódio, com 2h32min19seg.

© Marceo Rypl / Brasil Ride

Líderes da elite masculina, o Tiago Ferreira e o holandês Hans Becking, da DMT Racing Team, chegaram juntos com o pelotão de perseguição aos líderes, na sexta posição, com 2h32min24seg, atrás dos brasileiros Lukas Kaufmann e Sherman Trezza, da Cannondale Brasil Racing, em quarto lugar, e do holandês David Nodermann e do inglês Grant Ferguson, CST Sandd American Eagle Racing Team.

© Marceo Rypl / Brasil Ride

Tiago Ferreira e Hans Becking têm agora 1min17seg para os segundos classificados, Avancini e Fumic, que estão apenas um segundo à frente de Fini e Blums.

“Estamos felizes por manter a liderança, mas entendo que faltou objetividade hoje. Fini e Blums atacaram e ninguém quis fazer nada. Foi uma corrida tática e o Tiago e eu não quisemos forçar sem apoio dos demais”, disse Hans.

© Marceo Rypl / Brasil Ride

“Para nós continua tudo igual. Foi uma etapa diferente, mas não entendemos porque nenhuma dupla quis trabalhar. Nem Hans e eu iríamos ajudar outra dupla e fizemos o que era para ser feito. Sabíamos que a tática do Avancini e Fumic era atacar no primeiro single track e optei por passá-los nesse momento e entrei na frente deles. Resguardei-me de possíveis ataques e chegamos todos juntos”, comentou Tiago.

José Dias e Sanderson Celso fizeram o 21º lugar e na geral caíram para o 13º lugar.

© Wladimir Togumi / Brasil Ride

As líderes da elite feminina, Jaqueline Mourão e Cindy Mountambault, Jacky & Cindy, mostraram que são realmente as principais favoritas ao título. Conseguiram a terceira vitória em três provas, desta vez com o maior diferença pra as rivais até o momento: 8min10 para as segundas colassificadas do dia, as espanholas Sandra Santaynes e Anna Ramirez, da Olympia/Esteve Team.

O pódio ficou completo pelas líderes das Américas, Viviane Favery e Marcella Toldi, da Cannondale Brasil Women.

Ilda Pereira e Mayalen Noriega fizeram o 5º lugar e na geral estão na mesma posição.

© Fabio Piva / Brasil Ride

Em Master, Tiago Aragão e Luís Santos fizeram o 13º lugar e na geral subiram para a 8ª posição.

Mensagem de Brou Bruto Drews para os Tugas:

Na categoria Mista, Celina Carpinteiro e José Silva fzeram o 2º lugar e continuam lideres com 10h05min20seg, Ana Antunes e André Rocha fizeram o 8º lugar e estão no 6º lugar.

Video dos melhores momentos da 3ª Etapa da Brasil Ride 2018:

Top 5 após três etapas da Brasil Ride:

Masculino:
1-Tiago Ferreira (POR) / Hans Becking (NED) – 8h04min10seg
2-Henrique Avancini (BRA) / Manuel Fumic (GER) – 8h05min17seg
3-Sebastian Fini (DIN) / Martins Blums (LAT) – 8h05min18seg
4-Lukas Kaufmann (BRA) / Sherman Trezza (BRA) – 8h08min28seg
5-Alexey Medvedev (RUS) / Francesco Failli (ITA) – 8h09min59seg

Feminino:
1-Jaqueline Mourão (BRA) / Cindy Montambault (CAN) – 10h25min02seg
2-Viviane Favery (BRA) / Marcella Toldi (BRA) – 10h39min59seg
3-Sandra Santanyes (ESP) / Anna Ramirez (ESP) – 11h06min22
4-Paula Gallan (BRA) / Franciele Almeida (BRA) – 11h31min38seg
5-Cristiane Pereira (BRA) / Eliana Pinheiro (BRA) – 11h41min24seg

© Fabio Piva / Brasil Ride

Quarta etapa – A mais dura de todas etapas, porque tem mais altimetria. São 100 km e 2.600 m acumulados, com três serras bastante íngremes. Cada uma com cerca de 2 km, mas bem difíceis. Uma delas é a Pedra Da Batalha, que assusta pelo tamanho.

Mais perto do final tem a Subida das 7 Voltas, onde ocorrerá o Desafio Rebull Zera o Pico, com os atletas que subirem mais rápido sem colocar o pé no chão. Tem grau de dificuldade altíssimo e menos de 4% dos participantes conseguem zerar.

© Fabio Piva / Brasil Ride

A etapa mistura áreas de terra e trilhas, uma das mais elogiadas na temporada passada. Single tracks limpos, passando por fazendas de cacau.

As etapas restantes da Brasil Ride 2018:

© Fabio Piva / Brasil Ride

Etapa 4 – Guaratinga – 101 km e 2.665 m de altimetria
Etapa 5 – Guaratinga para Arraial d’Ajuda – 140 km e 2.336 m de altimetria
Etapa 6 – Arraial d’Ajuda – 32,4 km e 664 m de altimetria
Etapa 7 – Arraial d’Ajuda – 43,8 km e 497 m de altimetria

© Ney Evangelista / Brasil Ride

Brasil Ride: Mais que uma prova, uma etapa na sua vida.

Deixar uma resposta