Tadej Pogacar disse sentir a cabeça a explodir após ter arrebatado a camisola amarela a Primoz Roglic, que felicitou o seu compatriota e amigo, reconhecendo, contudo, estar desiludido por perder a Volta a França.

Tadej Pogacar venceu o 'crono' e destronou Primoz Roglic porque nunca deixou de acreditar
© A.S.O./Alex Broadway

“Ainda não estou em mim, vou precisar de tempo. Tenho a impressão que a minha cabeça vai explodir. À partida, já estava contente com o meu segundo lugar e agora tenho a camisola amarela!”, exclamou o jovem da UAE Emirates, que na segunda-feira cumpre 22 anos.

O esloveno deixou palavras de elogio à sua equipa, assumindo-se muito orgulho pelo “enorme esforço” feito pelos seus companheiros, e confessou que “conquistar a camisola amarela no último dia” era aquilo com que todos sonhavam desde o início.

Tadej Pogacar venceu o 'crono' e destronou Primoz Roglic porque nunca deixou de acreditar
© A.S.O./Alex Broadway

“Conseguimos e é fantástico. Não fui só eu, foi toda a equipa”, pontuou, antes de revelar que fez o reconhecimento dos 36,2 quilómetros entre Lure e La Planche des Belles Filles e que conhecia “todos as curvas, todos os buracos” na estrada no percurso do contrarrelógio que ganhou, com o tempo de 55.55 minutos.

Tadej Pogacar venceu o 'crono' e destronou Primoz Roglic porque nunca deixou de acreditar
© A.S.O./Alex Broadway

“Dei o máximo até ao fim e consegui. Estava a ouvir no auricular na parte plana, mas na subida não ouvi nada, porque os adeptos estavam a fazer imenso barulho. Não recebi nenhuma indicação de diferenças de tempo, limitei-me a ir ao máximo. Conhecia a subida e fui na máxima força do início até ao topo”, descreveu o ciclista que hoje, além da amarela, conquistou a terceira vitória em etapas, a classificação da montanha e a da juventude.

© A.S.O./Thomas Maheux

O grande derrotado da jornada, o também esloveno Primoz Roglic (Jumbo-Visma), foi ainda mais parco em palavras do que nos 11 dias em que andou de amarelo, limitando-se a felicitar o seu rival e amigo.

“Obviamente, estou dececionado, mas só posso dizer ‘chapeau’ ao Tadej, que mereceu a vitória”, declarou o homem que, no domingo, vai subir ao segundo degrau do pódio final nos Campos Elísios.

© A.S.O./Alex Broadway

Roglic, vencedor da Vuelta2019 (na qual Pogacar, na sua estreia em grandes Voltas, foi terceiro), reconheceu que talvez não tenha “puxado” o suficiente nos últimos dias.

“No ‘crono’, fui mais rápido do que outros, mas talvez não o suficiente. Estou dececionado com o resultado, mas dei tudo”, assegurou o líder da Jumbo Visma, que viu o seu jovem compatriota recuperar os 57 segundos de desvantagem que tinha à partida e ainda ganhar-lhe mais 59.

O esloveno, de 30 anos, disse que ainda verá como vai lidar com esta derrota, embora tenha garantido estar satisfeito com o resultado e com a sua performance no Tour.