Taça de Portugal de Ciclocrosse – Estrangeiros dominam na consagração de Vítor Santos e Daniela Pereira

47

Os corredores estrangeiros foram os mais fortes no Ciclocrosse Internacional de Valongo, última prova da Taça de Portugal, disputada, neste domingo, no Parque Aventura da Lipor, em Ermesinde. Vítor Santos (Quinta das Arcas/Jetclass/Xarão) e Daniela Pereira (Saertex Portugal/Edaetech) conquistaram a Taça de Portugal.

O sub-23 francês Loïc Szewe (UV Mazamet) revelou-se o mais forte do pelotão de elite, impondo-se ao cabo de uma corrida em que se destacou da concorrência para cruzar a meta com 41 segundos de vantagem sobre o Samuel González (CC Salvaterra de Miño). O terceiro, a 1m05s, foi Márcio Barbosa (Aviludo-Louletano-ULI).

A vitória na Taça de Portugal estava entregue, à partida, a Vítor Santos, corredor que foi o sexto classificado neste domingo. A disputa pelas restantes posições no pódio da geral aqueceu a prova ermesindense. Roberto Ferreira (BTT Seia) segurou o segundo lugar na Taça, com a quinta posição na corrida desta tarde, enquanto Bruno Silva (Quinta das Arcas/Jetclass/Xarão) fechou no terceiro posto.

A campeã de Espanha de ciclocrosse, Aida Nuño (Garaje Paco), dominou por completo a corrida feminina de elite. A corredora asturiana, seis vezes campeã espanhola, arrancou em solitário e cumpriu as cinco voltas à pista como se estivesse a fazer um contrarrelógio, sempre com as adversárias a larga distância. Num pódio todo espanhol, a segunda foi Lucia Vázquez (ProRebordosa/LROpticas/RJGroup), a 5m31s, e a terceira Isabel Castro (Condadobike AD), a 6m21s. Regressada após uma longa paragem para maternidade, Isabel Caetano mostrou que a quem sabe nunca esquece e foi a melhor portuguesa, no quarto lugar, a 7m20s.

A prova deste domingo encerrava as contas da Taça de Portugal, mas as ciclistas do topo da geral andaram longe da frente da corrida. Daniela Pereira (Saertex Portugal/Edaetech) conquistou a Taça, apesar de não ter ido além do sexto lugar em Ermesinde. Ana Vigário (Sporting/Tavira/Formação Eng. Brito da Mana) foi a segunda na geral e sétima na prova de hoje. Ana Ramalho encerrou o pódio da Taça de Portugal.

A corrida de juniores também teve um vencedor espanhol, Adrián Barros (Coruxo CC), que suplantou Julián Madrigal (BTT Seia) e Márcio Peralta (BTT Loulé/Elevis), que o acompanharam no pódio. Hélder Gonçalves (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact) selou a conquista da Taça de Portugal com o quarto lugar na última corrida. Débora Figueiredo (Seissa/KTM Bikeseven/Matias & Araújo/Frulact) foi a única sub-23 feminina, vencendo a geral da Taça nesta categoria.

O cadete Diogo Neves (BTT Loulé/Elevis) conquistou uma vitória dupla, na última etapa e na geral da Taça. No setor feminino de cadetes, triunfou a campeã espanhola, Maria Parajón (Tricrazy/Madrid Team), mas Ana Santos (ASC/Focus Team/Vila do Conde), segunda em Ermesinde, venceu a Taça de Portugal.

Rogério Matos (Rompe Trilhos/Apcar) ergueu os braços em master 30, mas o terceiro classificado em Ermesinde, Rúben Nunes (ASC/Focus Team/Vila do Conde), ficou com a Taça. Em master 40 aconteceu o mesmo: Guillermo Alvarez (Condadobike AD) foi o mais rápido hoje, mas a geral viaja para casa do quinto classificado, Nuno Inácio. Em masters 50 e masters femininas, ganharam hoje os vencedores da Taça, António Moreira e Raquel Marques (ASC/Focus Team/Vila do Conde), respetivamente.

A Taça de Portugal 2017-18 fechou com chave de ouro, com a primeira corrida portuguesa de sempre a pontuar para o ranking internacional, motivo pelo qual atraiu vários corredores estrangeiros, contribuindo para uma lista de inscritos com 175 ciclistas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome