O português Pedro Silva (Caniço Riders) conquistou hoje a segunda etapa da Taça de Portugal de DHI, realizada em Porto de Mós, derrotando a forte concorrência estrangeira presente na corrida.

Tudo parecia decorrer segundo o guião quando o número um do ranking mundial, o francês Amaury Pierron (Commençal/Vallnord) estabeleceu o melhor tempo na manga de qualificação, 2’46’’492. No entanto, a chuva que, entretanto, caiu e deixou a pista mais escorregadia mudou o rumo da corrida na descida final.

Pedro Silva, que na manga de qualificação já fizera em tempo dentro do top 10, aplicou-se na final e, beneficiando de uma pista ainda não totalmente atingida pela água, estabeleceu a melhor marca da descida que determina os vencedores, 3’10’’910.

O segundo mais lesto foi o espanhol Carlos Haro (Bull Bikes DH Team), a 1,582 segundos. O terceiro, a 3,489 segundos, foi Amaury Pierron.

A corrida feminina também acabou afetada com a mudança das condições da pista, dado que os tempos da final foram muito mais lentos do que os da manga de qualificação. No entanto, a corredora mais rápida foi a mesma nas duas mangas, a francesa Myriam Nicole (Commençal/Vallnord), que, na final, desceu em 3’41’’782.

Seguiu-se a alemã Sandra Rübesam (RSG Olympiapark Munich/Nukeproof), a 11,238 segundos, e a portuguesa Margarida Bandeira (Montanha Clube/LouzanPark), a 13,512 segundos.

Nas camadas jovens destacaram-se o júnior Eduardo Simões (Montanha Clube/LouzanPark) e o cadete Nuno Reis (Maiatos).

Os vencedores em veteranos foram o master 30 Daniel Pombo (Ciclo Madeira Clube Desportivo), o master 40 Miguel Santos e o master 50 Antero Oliveira (Bike House DH Team/Guimarães). Ana Martins (Casa do Povo de Abrunheira) foi a única master feminina em pista.

A Taça de Portugal de DHI prossegue no próximo domingo, na Lousã.

Deixar uma resposta