O britânico Simon Yates (Michelton-Scott) repetiu hoje o triunfo em etapas na edição de 2019 da Volta a França, ao vencer isolado a 15.ª, que mostrou a falibilidade do francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-Quick Step).

© A.S.O./Alex BROADWAY

O líder e dominador da corrida, após a vitória no contrarrelógio e de aumentar a vantagem na chegada ao Tourmalet, entusiasmou-se na abordagem à meta, seguindo o compatriota Thibaut Pinot (Groupama-FDJ), vencedor da etapa de sábado, e acabou por perder cerca de 30 segundos para os rivais.

Pinot destacou-se do grupo final, apanhou o espanhol Mikel Landa (Movistar), sem expectativas de chegar ao inalcançável Simon Yates, vencedor da Vuelta2018, que terminou os 185 quilómetros, entre Limoux e Foix, em 4:47.04 horas, menos 33 segundos do que os primeiros perseguidores, e conseguiu subir dois lugares para a quarta posição.

© A.S.O./Alex BROADWAY

Os ‘residentes’ do pódio, o britânico Geraint Thomas (INEOS) e o holandês Steven Kruijswijk (Jumbo-Visma), também aproveitaram a quebra de Alaphilippe nos cinco quilómetros finais, para ficarem a 1.35 e 1.47 minutos da amarela, enquanto Pinot está a 1.50.

Também o colombiano Egan Bernal (INEOS) encurtou em quase um minuto o seu atraso, perante o sofrimento do camisola amarela.

Yates, além de Pinot, foi o grande vencedor da tirada, conseguindo o segundo triunfo nos Pireneus e o segundo em quatro dias, depois de se ter imposto em Bagnères-de-Bigorre, tornando-se no primeiro repetente em vitórias, novamente numa rota difícil, com três montanhas de primeira categoria, depois de uma longa fuga.

Na penúltima ascensão do dia, no cimo dos 1.354 metros do Mur de Péguère, a cerca de 40 quilómetros da meta, Yates seguia na frente da corrida, acompanhado do Simon Geschke (CCC), à frente do colombiano Nairo Quintana (Movistar) e do francês Romain Bardet (AG2R La Mondiale), num primeiro grupo ao qual se juntou Landa.

Apesar da aceleração da Jumbo-Visma na perseguição, Yates iniciou o ataque vitorioso a nove quilómetros da chegada, levando na roda Landa e o alemão Lennard Kamna (Sunweb), que acabaria por descolar pouco depois.

“Estou muito orgulhoso de ter conquistado esta segunda vitória”, referiu Simon Yates.

Com Yates e Landa na dianteira, Pinot arriscou, merecendo uma resposta de Alaphilippe, que durou dois quilómetros, deixando transparecer alguma fragilidade do camisola amarela, que, nessa altura, já não contava com nenhum elemento da sua equipa.

© A.S.O./Alex BROADWAY

Enquanto Yates assegurava o segundo triunfo, Pinot também celebrava a aproximação ao pódio e Thomas, Bernal e Kruijswijk aproveitavam para se reduzir diferenças para Alaphilippe, que, um dia depois de ter reforçado a liderança, não foi além do 11.º lugar, a 1.49 do vencedor.

“Foi um dia difícil, mas já esperava, não estou desapontado, mas estou completamente exausto. Não é uma surpresa para mim quebrar perante os melhores trepadores, até porque eu ontem [no sábado] já tinha gastado as minhas reservas”, admitiu Alaphilippe.

O francês terminou a subida ao topo dos 1.194 metros a Prat d’Albis visivelmente esgotado e segurou-se a um separador da estrada, enquanto recuperava o fôlego, antes de apontar Pinot como um dos seus mais fortes rivais.

“Ele mostrou, verdadeiramente, que é um dos mais fortes favoritos. Ele vai chegar a uma terceira semana que combina bem com ele. Se eu perder a camisola, adoraria que fosse para ele”, realçou Alaphilippe.

Rui Costa (UAE-Emirates) continua a ser o português mais bem classificado, no 57.º lugar, a 1:20.22 horas da camisola amarela, à frente de Nelson Oliveira (Movistar), que é 96.º a pouco mais de duas horas, e de José Gonçalves (Katusha Alpecin), 127.º a duas horas e meia, após uma etapa em que os lusos chegaram praticamente 25 minutos depois de Yates.

© A.S.O./Alex BROADWAY

Classificações da 106.ª Volta a França em bicicleta, após a 15.ª etapa, que ligou Limoux a Foix, num percurso de 185 quilómetros:

Classificação da etapa:
1. Simon Yates, GB (Michelton-Scott), 4:47.04 horas (média: 38,67 km/h)
2. Thibaut Pinot, Fra (Groupama-FDJ), a 33 segundos.
3. Mikel Landa, Esp (Movistar), m.t.
4. Emanuel Buchmann, Ale (BORA-hansgrohe), a 51 segundos.
5. Egan Bernal, Col (INEOS), m.t.
6. Lennard Kamna, Ale (Sunweb), a 1.03 minutos.
7. Geraint Thomas, GB (INEOS), a 1.22.
8. Steven Kruiswijk, Hol (Jumbo-Visma), m.t.
9. Alejandro Valverde, Esp (Movistar), m.t.
10. Richie Porte, Aus (Trek-Segafredo), a 1.30.
11. Julian Alaphilippe, Fra (Deceuninck-Quick Step), a 1.49.
(…)
14. Jakob Fuglsang, Din (Astana), a 1.54.
20. Rigoberto Urán, Col (Education First), a 2.58.
62. Nelson Oliveira, Por (Movistar), a 24.30 minutos.
79. Rui Costa, Por (UAE Emirates), a 26.48.
102. José Gonçalves, Por (Katusha-Alpecin), m.t.

Classificação da geral individual:
1. Julian Alaphilippe, Fra (Deceuninck-Quick Step), 61:00.22 horas.
2. Geraint Thomas, GB (INEOS), a 1.35 minutos
3. Steven Kruiswijk, Hol (Jumbo-Visma), a 1.47.
4. Thibaut Pinot, Fra (Groupama-FDJ), 1.50.
5. Egan Bernal, Col (INEOS), a 2.02.
6. Emmanuel Buchmann, Ale (BORA-hansgrohe), a 2.14.
7. Mikel Landa, Esp (Movistar), a 4.54.
8. Alejandro Valverde, Esp (Movistar), a 5.00.
9. Jakob Fuglsang, Din (Astana), a 5.27.
10. Rigoberto Urán, Col (Education First), a 5.33.
(…)
57. Rui Costa, Por (UAE Emirates), a 1:20.22 horas.
96. Nelson Oliveira, Por (Movistar), a 2:00.17.
127. José Gonçalves, Por (Katusha-Alpecin), a 2:31.50.

© A.S.O./Alex BROADWAY
© A.S.O./Alex BROADWAY

Na segunda-feira, o pelotão goza o segundo dia de descanso da prova, que vai prosseguir na terça-feira, em Nîmes, local de partida e chegada da 16.ª etapa, que tem um traçado praticamente plano, à exceção de uma subida a meio, de quarta categoria.

Deixar uma resposta