Pela segunda vez, rumei com uns amigos à bela região do Douro para participar no Granfondo, com um pelotão de mais de 3000 ciclistas e três percursos à escolha (Minifondo 46 km, acumulado de subida total de 800m, Mediofondo 115 km, acumulado de 1700m e Granfondo 160 km, 2955m de acumulado). Esta é uma das mais belas e concorridas provas deste género em Portugal.

© Ferreira’s Photography

A chegada e o levantamento dos dorsais no sábado à tarde não foi propriamente acessível, uma vez que estivemos numa fila cerca de 45 minutos até conseguirmos obter os mesmos, no entanto, creio que esta dificuldade se deveu essencialmente ao número de participantes elevado, uma vez que a zona de levantamento estava devidamente organizada e o staff, muito simpático e disponível, atendeu-nos rapidamente e de forma célere.

De seguida demos um passeio pela feira onde se encontravam os stands das marcas patrocinadoras do evento e ainda conseguimos espreitar o Alberto Contador que, a par do “nosso” Rui Costa foi um dos principais convidados deste evento, através da parceria com a TREK.

O percurso escolhido foi o Mediofondo, composto por 115 km de distância e 1700m de acumulado de subida. Este percurso tem um inicio de cerca de 26 km planos até ao Pinhão. Foi óptimo para mim, uma vez que parti de uma box mais afastada da linha de partida (Box GARMIN) e me permitiu ir apanhando “comboios” mais rápidos e, com isso, galgar alguns lugares antes das subidas.

Uma vez chegados ao Pinhão, cortamos à esquerda e damos inicio à primeira dificuldade: a subida a Sabrosa. São 9 km longos, suaves, com uma percentagem média de 4% em bom piso e paisagens espectaculares.

No topo da subida tínhamos o abastecimento e pouco à frente tínhamos a descida algo perigosa, com estrada estreita e curvas apertadas, mas com bom piso e extremamente bem sinalizada.

Logo a seguir a uma ponte estreita temos nova subida para Cheires (a segunda grande dificuldade). Os primeiros 4 km são duros, dentro da aldeia tem umas rampas em pavê duras, com cerca de 13% de inclinação, seguem-se mais 4 km suaves até Favaios, local do segundo abastecimento.

Temos novamente mais uma descida espectacular para o Pinhão, com curvas com boa visibilidade e bom piso, entrando depois no pavé do Pinhão em direcção as Bateiras, local de separação do Mediofondo/Granfondo: O Mediofondo segue pela direita em direcção a Régua, virando uns km mais à frente à esquerda para a dificil, exigente e terceira grande dificuldade, a subida a Armamar. São 8 km de subida sendo os ultimos 4 km duríssimos.

© Fernando Ramos Fotografia

Chegada a Armamar temos o abastecimento líquido e, de seguida, a descida perigosa e em estrada estreita, sempre muito bem sinalizada pela organização, diga-se, para a marginal N222 que nos leva novamente a Régua.

Depois de cortar a meta temos a nossa merecida medalha de “Finisher” e a refeição de recuperação na zona de lazer do recinto.

© José Cunha

O LOVE TILES DOURO GRANFONDO é um grandioso evento ciclistico. As encostas do Douro oferecem fabulosos percursos e belas paisagens, a grande organização da BIKESERVICE, encarrega-se de promover o evento e as gentes da região recebem-nos de braços abertos e com grande simpatia e entusiasmo, fazendo desta prova, uma marcação obrigatória da agenda anual de eventos desportivos em bicicleta. Para o ano, seguramente, lá voltarei.

Deixar uma resposta