O espanhol Alberto Gallego (Rádio Popular-Boavista) ganhou hoje a Prova de Abertura – Região de Aveiro, primeira corrida da Taça de Portugal Jogos Santa Casa, disputada entre Albergaria-a-Velha e Vagos.

Prova de Abertura – Região de Aveiro | Alberto Gallego abre época com triunfo em Vagos
© João Fonseca Photographer

Os 181,3 quilómetros ficaram marcados por uma fuga de quatro corredores, iniciada ao quilómetro cinco. Marvin Scheulen (LA Alumínios-LA Sport), Hugo Sancho (Miranda-Mortágua), Alberto Gallego (Rádio Popular-Boavista) e Franklin Chacón (Gios/Kiwi Atlantico) destacaram-se dos demais. José Dias (Equipa Portugal) e Francisco Ferreira (JV Perfis/Gondomar Cultural) rolaram dezenas de quilómetros em posição intermédia, mas nunca alcançaram a dianteira.

O quarteto da frente beneficiou da apatia do pelotão para alcançar os 15 minutos de vantagem, com cerca de metade da distância percorrida. Uma queda no pelotão, que mobilizou os meios de socorro disponíveis, obrigou à neutralização da prova, por altura do prémio de montanha, em Talhadas. O recomeço da corrida marcou o despertar do pelotão, que foi tirando margem aos quatro escapados e acabou com a aventura dos ciclistas que estavam em posição intermédia.

Apesar do fim da letargia no grupo principal, Alberto Gallego surpreendeu. Deixou os companheiros de aventura para trás e, a menos de 20 quilómetros da meta, isolou-se para triunfar em solitário, ao fim de 4h15m59s. O pelotão ainda absorveu os restantes aventureiros, mas gastou mais 18 segundos do que o vencedor, embora o venezuelano Leangel Linarez (Miranda-Mortágua) ainda tenha levantado os braços, julgando ter vencido. O terceiro foi Luís Mendonça (Efapel).

Prova de Abertura – Região de Aveiro | Alberto Gallego abre época com triunfo em Vagos
© João Fonseca Photographer

O jackpot da fuga saiu a Alberto Gallego. O espanhol venceu a corrida, é o primeiro comandante da Taça de Portugal Jogos Santa Casa e ainda conquistou o prémio de montanha da Prova de Abertura – Região de Aveiro. Fábio Costa (Kelly/InOutBuild/UDO) foi o melhor sub-23.

“Era uma corrida boa para ganhar ritmo e é incrível esta vitória. A cerca de 20 quilómetros do fim, houve um momento de hesitação no grupo e ataquei. A vitória dá-me muita motivação, deixando-me com sentimentos contraditórios”, reconhece Alberto Gallego.

A Rádio Popular-Boavista juntou a vitória coletiva à individual e a Sicasal/CM Torres Vedras foi a melhor equipa de clube.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome