O presidente da União Ciclista Internacional (UCI), David Lappartient, disse que apenas falará do caso Chris Froome durante esta semana, reagindo à notícia do Le Monde de que o ciclista foi recusado na Volta à França.

“Estamos aqui pela informação do jornal Le Monde. Já tinha dito que daremos a conhecer a posição da UCI antes do Tour, e esse será o caso. A competição arranca no próximo sábado, pelo que falaremos durante a semana”, disse David Lappartient, à margem dos Nacionais de França.

Froome está a ser investigado por um controlo antidoping positivo após a 18.ª etapa da Vuelta, em 07 de setembro, decorrente de uma análise à urina que acusou a presença do broncodilatador salbutamol em níveis superiores aos permitidos pela Agência Mundial Antidopagem (AMA).

A defesa de Froome, vencedor da Volta a França em 2013, 2015, 2016 e 2017, alega que o britânico sofreu uma disfunção renal, o que explica o excesso de salbutamol detetado.

A organização do Tour tem a possibilidade de recusar a participação do ciclista, com base num artigo do regulamento, que permite a rejeição de uma equipa ou um dos seus membros, se a presença puder afetar a imagem ou reputação da competição.

O jornal Le Monde avança que o ciclista estará inibido de competir no Tour, por decisão da organização (Amaury Sport Organisation) e que a equipa Sky apresentará recurso na câmara arbitral do Comité Olímpico francês e defenderá o caso na terça-feira.

Deixar uma resposta