A dupla suíça da Scott-SRAM MTB-Racing Nino Schurter e Lars Forster venceu os 111km da Etapa 1 do Absa Cape Epic 2019, de forma enfática.

Photo by Shaun Roy/Cape Epic

Nino Schurter e Lars Forster terminaram em 04:24:04, aumentando a sua vantagem de um dia para o outro, em 3.33, para Manuel Fumic e Henrique Avancini, da Cannondale Factory Racing, que terminaram em segundo lugar.

A dupla da equipa BULLS Legends, de Alban Lakata e do cinco vezes campeão Karl Platt, completou o pódio.

Photo by Nick Muzik/Cape Epic

“Estou muito feliz com a vitória”, afirmou Schurter logo após a chegada, noutro dia nublado e fresco. “Foi um bom dia. Custou-me um pouco no final, mas agora temos tempo para nos recuperarmos para amanhã ”, disse.

Photo by Nick Muzik/Cape Epic

Jaroslav Kulhavy e Sam Gaze da Investec-Songo-Specialized cruzaram a meta na Hermanus High School no grupo perseguidor, não muito longe, para limitar as suas perdas e subir para o terceiro lugar na classificação geral.

Photo by Shaun Roy/Cape Epic

No entanto, se a grande história é que três equipas vocacionadas para cross-country estão firmemente colocadas no topo da classificação geral de uma corrida por etapas esgotante, é também verdade que existiram muitos sub-enredos em jogo, num dia que teve os seus dramas.

Photo by Nick Muzik/Cape Epic

O primeiro – e talvez o mais interessante – é a feroz batalha que se desenvolveu ao longo da etapa, entre as duas equipes da dianteira: um grupo de cerca de 20 pilotos, com todos os principais competidores manteve-se junto até ao Dimension Data Hot Spot aos 37km. Dai em diante, o grupo começou a separar-se depois da equipa Scott-SRAM MTB-Racing (que liderou a chegada ao Hot Spot) aumentar o ritmo.

Photo by Nick Muzik/Cape Epic

A Cannondale Factory Racing foi capaz de permanecer no grupo, assim como a Investec-Songo-Specialized, uma das equipas da Trek Selle San Marco, a Canyon e as duas equipes seniores da BULLS. E assim ficou, até que Henrique Avancini avançou para deixar  o seu muito falado colete de hidratação no ponto de água três. Isso funcionou como uma espécie de catalisador e a verdadeira festa começou.

Photo by Nick Muzik/Cape Epic

Por volta dos 74kms, Sam Gaze largou a sua roda numa seção de areia e avançou com força. Ele foi capaz de se juntar ao grupo perseguidor, mas umas Scott-SRAM MTB-Racing e a Cannondale Factory Racing muito fortes, já tinham aberto um espaço muito grande para as equipas da perseguição.

Photo by Nick Muzik/Cape Epic

Não foi muito depois disso que a Scott-SRAM MTB-Racing avançou sozinha. “Os rapazes realmente não queriam trabalhar, então atacámos”, explicou Schurter. “É assim que funciona.”

Photo by Shaun Roy/Cape Epic

“Todos no grupo estavam um pouco nervosos e foi um começo agitado, mas depois a corrida a sério começou depois daquele ponto de água”, acrescentou depois Fumic.

Photo by Nick Muzik/Cape Epic

“A Scott estava a lançar algumas fugas, mas nós na realidade não nos queríamos envolver nelas”, disse ele. “Então continuámos a andar de forma consistente e tudo ficou bem. É uma semana longa e é preciso estar forte no final.”

O seu parceiro, Avancini, verbalizou mais após o final. “Eles (Scott-SRAM MTB-Racing) estavam muito fortes hoje”, comentou. “Lars (Forster) é um piloto de classe mundial – como eu disse ontem – e Nino Schurter é talvez o melhor de todos.”

Photo by Greg Beadle/Cape Epic

Mas, seria bom ter alguns microfones nas bicicletas para que as pessoas pudessem ouvir o verdadeiro Nino“, disse Henrique Avancini. “Ele está sempre a meter-se com todos. Mas tudo bem, vou mostrar-lho pouco a pouco. Neste tipo de corridas eu estou realmente confiante. Eu confio nas minhas pernas, no meu corpo, no meu parceiro e na minha equipa. É uma semana longa e espero que tenhamos uma boa luta nos próximos dias.”

Photo by Nick Muzik/Cape Epic

Além do acidente de Gaze e do trabalho de perseguição em que a Investec-Songo-Specialized investiu, que lhes pode custar caro no final da semana, o outro ponto importante do dia foi o renascimento da Team BULLS Legends de Karl Platt e Alban Lakata, que terminou em terceiro.

Photo by Greg Beadle/Cape Epic

“Os últimos dois anos foram muito maus e isso foi difícil para a motivação” disse um Platt regozijante após o final. “Terminar no pódio é uma alegria e um grande alívio para mim.”

“Correu muito bem”, concordou Lakata. “Não esperávamos que fosse assim e, se pudermos continuar assim a semana toda, será muito bom.” Mas também temos que cuidar de nós mesmos ”, acrescentou. “É uma semana longa e hoje pedimos muito de nós”.

Photo by Nick Muzik/Cape Epic

A equipa SpecializedFoundationNAD de Matt Beers e Alan Hatherly teve problemas mecânicos desde o início e passou o dia a lutar para se manter na corrida, mas conseguiu manter a Absa African Jersey.

Vídeo da 1ª etapa do Cape Epic 2019:

A segunda etapa, de terça-feira, promete puxar ainda mais pelo pilotos, com 2250 metros de subida nos 90 km de Hermanus até Oak Valley.

Deixar uma resposta