PUB

Nelson Oliveira foi hoje o oitavo classificado na prova de contrarrelógio do Campeonato do Mundo de Estrada, disputada em Wollongong, Austrália, com triunfo do norueguês Tobias Foss.

NELSON OLIVEIRA OITAVO CLASSIFICADO NO CONTRARRELÓGIO DO CAMPEONATO DO MUNDO DE ESTRADAO corredor bairradino, maior especialista português em contrarrelógio da última década, conseguiu o quinto top 10 da carreira em Campeonatos do Mundo da disciplina de esforço individual na categoria de elite.

PUB

Nos 34,2 quilómetros de contrarrelógio deste domingo, Nelson Oliveira fez uma prova como vem sendo seu apanágio, gerindo o esforço na fase inicial para acelerar a fundo com a passagem dos quilómetros. Por isso, foi o 13.º mais rápido aos 7,2 quilómetros, entre este ponto e o km 24,5 foi o oitavo melhor, sendo o sétimo mais rápido no troço final, entre o quilómetro 24,5 e a meta.

NELSON OLIVEIRA OITAVO CLASSIFICADO NO CONTRARRELÓGIO DO CAMPEONATO DO MUNDO DE ESTRADA
@Sprintcycling

Do somatório destes parciais saiu o resultado de 41’01’’76, mais 58,98 segundos do que o norueguês Tobias Foss, que surpreendeu os principais favoritos, com 40’02’’78 (média de 51,241 km/h). O pódio completou-se com o suíço Stefan Küng, a 2,95 segundos da camisola arco-íris, e com o belga Remco Evenepoel, a 9,16 segundos.

NELSON OLIVEIRA OITAVO CLASSIFICADO NA PROVA DE CONTRARRELÓGIO DO CAMPEONATO DO MUNDO DE ESTRADA
📸 @Sprintcycling

“O objetivo era entrar uma vez mais nos dez melhores e estou muito satisfeito por cumprir essa meta. Senti-me bem durante todo o contrarrelógio. Sabia que a parte final seria a chave. Era importante não dar tudo na primeira volta e guardar alguma força para o final. Isso foi fundamental. Senti-me bem. Estou muito feliz por, ao fim de tantos anos, continuar a estar no top 10 do Mundial”, confessa Nelson Oliveira, que conseguiu ser um dos dez melhores do mundo pela primeira vez em 2014.

“Foi mais um desempenho de excelência do Nelson, num percurso que se tornava um pouco enganoso e que obrigava a uma correta gestão do esforço, algo que ele faz muito bem. Apesar de ser essencialmente plano, o percurso apresentava um topo mais exigente, onde estava o ponto de cronometragem, e alguns falsos planos. O vento, que soprava de frente em algumas zonas e as muitas viragens também cortavam o ritmo, exigindo a tal gestão de esforço para a obtenção de um bom resultado”, considera o selecionador nacional, José Poeira.

João Almeida não alinhou no contrarrelógio. Tendo apresentado problemas gastrointestinais e febre à chegada à Austrália, foi decidido pelo médico da seleção, Filipe Lima Quintas, em conjunto com o corredor e o selecionador nacional, que seria mais prudente a ausência do ciclista do contrarrelógio para que possa apresentar-se na melhor condição na prova de fundo do próximo domingo.

Na noite de segunda para terça-feira, Portugal voltará a competir no Mundial de Wollongong, no contrarrelógio individual de juniores. A Seleção Nacional estará representada na prova de 28,8 quilómetros por António Morgado e Gonçalo Tavares.

PUB

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui