Duplo destaque colombiano no Tour, com o ciclista Nairo Quintana (Movistar) a ‘aparecer’ finalmente e ganhar a primeira etapa de alta montanha nos Alpes e Egan Bernal (Ineos) a atacar forte e subir a segundo da geral.

Nairo Quintana vence primeira etapa nos Alpes
© A.S.O./Pauline BALLET

A 18.ª etapa, com as subidas do Izoard e do Galibier no programa, foi por outro lado de grande sacrifício para o francês Julian Alaphilippe (Deceuninck-QuickStep), que prossegue de amarelo e não cedeu tempo para os rivais, com exceção de Bernal.

Alaphilippe passou visivelmente mal no Galibier, a 20 quilómetros da meta, e sabe que, até à etapa de consagração de domingo, há ainda mais duas tiradas de alta montanha, novas ocasiões para os que o seguem tentarem inverter a tendência desta Volta a França.

Nairo Quintana vence primeira etapa nos Alpes
© A.S.O./Alex BROADWAY

Numa etapa com duas contagens de montanha de categoria especial, Nairo Quintana gastou 5:34.15 horas para completar os 208 quilómetros entre Embrun e Valloire, menos 1.35 minutos do que o francês Romain Bardet (AG2R La Mondiale) – outro dos favoritos que pouco se tinha mostrado – e 2.28 em relação ao cazaque Alexey Lutsenko (Astana).

© A.SO./Pauline BALLET

Na geral, Alaphilippe manteve a liderança, agora com 1.30 sobre Bernal, que subiu dois lugares, e 1.35 face ao galês Geraint Thomas, também da Ineos e vencedor da edição de 2018.

© A.SO./Pauline BALLET

Foi justamente Thomas que fez aparecer alguma fraqueza de Alaphilippe, com uma boa aceleração no alto do Galibier, sem resposta imediata. Poderá ser um ensaio para a jornada seguinte, que termina em escalada.

© A.SO./Pauline BALLET

O que é certo é que, desta vez, Alaphilippe recuperou os 27 segundos perdidos e chegou à meta ‘colado’ a Thomas, meio minuto depois de Bernal.

© A.S.O./Alex BROADWAY

O jogo de equipa da Ineos, que tem o segundo e terceiro da geral, pode ser interessante de seguir, assim como o que for planeado pela Movistar, que agora tem três unidades no top-10, com Nairo Quintana, Mikel Landa e Alejandro Valverde.

© A.SO./Pauline BALLET

Para os portugueses, foi mais um dia de sacrifício e sem dar nas vistas: Rui Costa (UAE Emirates) foi 85.º, a 24.49 minutos, Nelson Oliveira (Movistar) 93.º, a 29.59, e José Gonçalves (Katusha) 129.º, a 32.54.

© A.SO./Pauline BALLET

Na geral Costa é 53.º, a 1:35.54 horas, Oliveira 80.º, a 2:08.27 e Gonçalves 128.º, a 3:07.11.

Classificações da 106.ª Volta a França, após a 18.ª etapa, que ligou Embrun a Valloire, na distância de 208 quilómetros:

© A.S.O./Thomas MAHEUX

Classificação da etapa:

1. Nairo Quintana, Col (Movistar), 5:34.15 horas (média: 37,34 km/h)
2. Romain Bardet, Fra (AG2R La Mondiale), a 1.35 minutos
3. Alexey Lutsenko, Caz (Astana), a 2.28
4. Lennard Kamna, Ale (Sunweb), a 2.58
5. Damiano Caruso, Ita (Bahrain-Merida), a 3.00
6. Tiesj Bennot, Bel (Lotto-Soudal), a 4.46
7. Michael Woods, Can (Education First), m.t.
8. Egan Bernal, Col (INEOS), m.t.
9. Serge Pauwels, Bel (CCC), m.t.
10. Steven Kruiswijk, Hol (Jumbo-Visma), a 5.18
(…)
12. Thibaut Pinot, Fra (Groupama-FDJ), m.t.13. Geraint Thomas, GB (INEOS), m.t.
14. Julian Alaphilippe, Fra (Deceuninck-Quick Step), m.t.
(…)
84. Rui Costa, Por (UAE Emirates), a 29.49
92. Nelson Oliveira, Por (Movistar), a 29.59
128. José Gonçalves, Por (Katusha-Alpecin), a 32.54

© A.S.O./Alex BROADWAY

Classificação geral individual:

1. Julian Alaphilippe, Fra (Deceuninck-Quick Step), 75:18.49 horas.
2. Egan Bernal, Col (INEOS), a 1.30.
3. Geraint Thomas, GB (INEOS), a 1.35 minutos
4. Steven Kruiswijk, Hol (Jumbo-Visma), a 1.47.
5. Thibaut Pinot, Fra (Groupama-FDJ), 1.50.
6. Emmanuel Buchmann, Ale (BORA-hansgrohe), a 2.14.
7. Nairo Quintana, Col (Movistar), a 3.54
8. Mikel Landa, Esp (Movistar), a 4.54.
9. Rigoberto Urán, Col (Education First), a 5.33.
10. Alejandro Valverde, Esp (Movistar), a 5.58.
(…)
53. Rui Costa, Por (UAE Emirates), a 1:35.54 horas.
80. Nelson Oliveira, Por (Movistar), a 2:08.27.
128. José Gonçalves, Por (Katusha-Alpecin), a 3:07.11.

© A.SO./Pauline BALLET

Na sexta-feira, corre-se a 19.ª etapa, entre Saint-Jean-de-Maurienne e Tignes (126,5 quilómetros), com a meta a coincidir com uma contagem de primeira categoria, já depois de os ciclistas terem passado numa contagem de categoria especial, o Iseran, a menos de 40 quilómetros da meta. Aqui, sobem 12,9 quilómetros com declive médio de 7,5 %, o que pode ‘fazer mossa’.

Deixar uma resposta