Miranda Factory Team mantém liderança da Taça de Portugal de DHI

69

A Miranda Factory Team continua na liderança da Taça de Portugal de Downhill (DHI), ao manter o 1.º lugar no ranking nacional, após ter sido disputada este fim-de-semana na Lousã a terceira etapa da prova.

Ontem, dia 25 de março, terminadas as mangas decisivas, a equipa da Miranda&Irmão subiu ao pódio duas vezes para consagrar a vitória do Cadete Gonçalo Bandeira, com o 1.º lugar e celebrar o 3.º lugar do Júnior Tiago Ladeira. O Elite Vasco Bica ficaria com o 23.º lugar da classificação do dia.

Contudo e após os resultados obtidos pelos três pilotos no Louzanpark, em mais uma corrida de grande nível mas muito exigente, onde os atletas da portuguesa Miranda Factory Team sofreram alguns azares, além do 1.º lugar da equipa cada um dos pilotos mantém o 1.º lugar da tabela geral, em cada um dos escalões correspondentes, seguindo na dianteira da Taça.

No final da prova, Vasco Bica não se mostrava satisfeito. Avançou que esta foi uma prova “menos boa para mim. Tive uma queda na manga final que me impossibilitou de chegar aos lugares da frente. Senti-me rápido todo o fim-de-semana e com possibilidades de lutar por lugares do pódio, mas não o consegui mostrar, o que me deixa bastante desapontado”.

O Elite da Miranda Factory Team diz ter sentido que também desapontou a equipa, “mas o desporto é assim e há que seguir em frente e focar-me nas próximas provas”.

Para o Júnior Tiago Ladeira a prova também “não correu conforme esperava”. Isto porque “na qualificação caí duas vezes. A segunda queda foi mais por desconcentração. Mas na manga final dei tudo, tentando fazer uma descida controlada mas sempre a dar o máximo em zonas mais fáceis. Ainda assim, como apanhei dois atletas em pista, dificultou o meu trabalho. No entanto ainda consegui ficar em 3.º lugar”, explicou o piloto da Miranda Factory Team.

Quem também não estava convencido com a prova era Gonçalo Bandeira. “Passamos de um fim-de-semana perfeito, em São Brás de Alportel, para um muito azarado, na Lousã, com alguns problemas mecânicos e quedas. Mas a competição é assim mesmo”, explicou, conformado. “Não estive ao nível que ambicionava estar, contudo, por outro lado, estou contente por ter ganho a classe e por correr na Lousã”, continuou o Cadete, que desta vez teve o prazer de correr em casa, a capital do DHI em Portugal.

A pista do Louzanpark, na Lousã, em plena região das Aldeias do Xisto, viveu este fim-de-semana muita adrenalina e a velocidade da modalidade a fundo, com uma lista de inscritos numerosa e de qualidade.

Após uma breve paragem para a Páscoa, a competição regressa à Lousã com o Campeonato da Europa de DHI, entre 6 e 8 de abril. Esta prova surge no âmbito do projeto Cyclin’Portugal 2018, que pretende reconhecer as Aldeias do Xisto como destino de excelência para a prática de ciclismo, quer profissional como amador.

A quarta prova da Taça de Portugal corre-se em Ribeira de Pena, mas só depois do Europeu, no dia 29 de abril.

DEIXE UMA RESPOSTA

Escreva o seu comentário
Escreva o seu nome